Anúncios

Edição Especial 2022: Extensão Popular: o legado de Paulo Freire nas práticas extensionistas

2022-07-11

A Revista de Educação Popular (REP) convida membros de comunidades acadêmicas e pesquisadores das instituições de ensino superior a submeterem trabalhos para a Edição Especial 2022: Extensão Popular: o legado de Paulo Freire nas práticas extensionistas”. A presente proposta constitui uma parceria entre a REP e o Grupo de Pesquisa em Extensão Popular (EXTELAR), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e visa possibilitar a socialização de reflexões, saberes e ideias em torno da Extensão Popular, desvelando contribuições relevantes para esse campo que está inserido na área de estudos da Educação Popular.

O prazo para submissão se estenderá de 11 de julho a 31 de agosto de 2022. A submissão, independente de artigo, comunicação ou relato de experiência, deve ser registrada na modalidade Edição Especial 2022.

Os trabalhos submetidos serão avaliados seguindo as normas da revista, conforme descrito em sua página no endereço eletrônico: http://www.seer.ufu.br/index.php/reveducpop/about/submissions.

Para este número especial, cujo lançamento está previsto para 31 de outubro de 2022, serão selecionados até 12 textos. O texto aprovado mas não selecionado para esta edição entrará nas edições regulares da Revista de Educação Popular 2022 e 2023, caso seja interesse dos autores.

Saiba mais sobre Edição Especial 2022: Extensão Popular: o legado de Paulo Freire nas práticas extensionistas

Edição Atual

v. 21 n. 1 (2022): Revista de Educação Popular (ISSN 1982-7660)
					Visualizar v. 21 n. 1 (2022): Revista de Educação Popular (ISSN 1982-7660)

Publicação quadrimestral da Pró-reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal de Uberlândia.

Publicado: 2022-04-29

Artigos Originais

Relatos de experiência

Ver Todas as Edições

A REP configura-se como um instrumento de divulgação de teorias e práticas sobre educação, saúde e cultura populares, propiciando a socialização da produção acadêmica e dos grupos e movimentos sociais, de maneira a produzir a inserção de temas ou problemas da atualidade no processo de ensino, pesquisa e extensão da Universidade e a inclusão de conhecimentos produzidos pela Academia no exame da realidade atual pelos movimentos sociais e outras comunidades externas.