Avaliação e formação de professores de línguas

uma discussão sobre o currículo e as percepções dos formandos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OT2021v23.n.3.62193

Palavras-chave:

Letramento em avaliação de Línguas, Formação de Professores de Línguas, Licenciatura em língua inglesa

Resumo

Partindo da premissa de que a avaliação é parte integrante do processo de ensino e aprendizagem de línguas, este artigo apresenta um microestudo que investigou as percepções de alunos-graduandos do curso de licenciatura em Letras-Inglês de uma universidade pública da região Centro-Oeste sobre sua própria formação para avaliar. Para analisar as informações fornecidas pelos participantes, apoiamo-nos nos conceitos basilares de professor reflexivo (SCHON, 1983; 1992; CONTRERAS, 2002) e de letramento em avaliação (de línguas) (STIGGINS, 1991; SCARAMUCCI, 2016; QUEVEDO-CAMARGO; SCARAMUCCI, 2018). A metodologia utilizada incluiu entrevistas semiestruturadas e análise documental (PRODANOV; FREITAS, 2003) do currículo do curso de formação de professores em Letras-Inglês da universidade. As análises das entrevistas indicam que os licenciandos entendem a importância dos conhecimentos pedagógicos para sua formação e, sobretudo, sentem falta de disciplinas que abordem a avaliação de línguas. Concluímos que é necessário que o letramento em avaliação de línguas seja uma das pautas centrais para discussão nos cursos de formação de professores, para que os formandos compreendam o processo avaliativo de maneira integral, desde a formulação dos objetivos e a elaboração de instrumentos até a interpretação dos dados e a tomada de decisões a partir deles, e, assim, exerçam seus papéis de professores-avaliadores reflexivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Damacena, Universidade de Brasília

 

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada da Universidade de Brasília

Gladys Quevedo-Camargo, Universidade de Brasília

Professora do Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução do Instituto de Letras da Universidade de Brasília

Referências

BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf. Acesso em: 16 Abril 2020.

BRASIL, Orientações curriculares para o Ensino Médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Volume 1. Brasília: MEC/SEF, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_01_internet.pdf. Acesso em: 16 Abril 2020.

BRASIL, Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEF, 2018. Disponível em:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 16 Abril 2020.

BLOOM, B. S., HASTINGS, J. T., MADAUS, G. F. Evaluación del aprendizaje. Buenos Aires: Troquel, 1975.

BURNS, A. Collaborative Action Research for English Language Teachers. Cambridge: Cambridge University Press, 1999.

CLARK, H. Using language. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.

CONTRERAS, J. Autonomia de professores. Trad. Sandra Trabuco Valenzuela, São Paulo: Cortez, 2002.

FULCHER, G. Assessment literacy for the language classroom. Language Assessment Quarterly, v.9, n.2, p. 113-132, 2012. https://doi.org/10.1080/15434303.2011.642041 Acesso em: 16 Abril 2020.

HANKS, W. O que é contexto. In: Bentes, A. C.; Rezende, R.C.; Machado, M. R. (Orgs.) Língua como prática social: das relações entre língua, cultura e sociedade a partir de Bourdieu e Bakhtin, pp. 169-203. São Paulo, Cortez, 2008.

HAYDT, R. C. Avaliação do processo ensino-aprendizagem. São Paulo: Ática, 1995.

HERRERA, L.; MACÍAS, D. A call for language assessment literacy in the education and development of teachers of English as a foreign language. Colomb. Appl. Linguist. J., v. 17, n. 2, p. 302-312, 2015. DOI: https://doi.org/10.14483/udistrital.jour.calj.2015.2.a09 Acesso em: 16 Abril 2020.

INBAR-LOURIE, O. Constructing a language assessment knowledge base: a focus on language assessment courses. Language Testing, v.25, n.3, p. 385-402, 2008. https://doi.org/10.1177/0265532208090158 Acesso em: 14 Abril 2020.

JORDÃO, C.; BÜHRER, E. A condição de aluno-professor de língua inglesa em discussão: estágio, identidade e agência. Educação & Realidade, v.38, n.2, p. 669-682, 2013.

LUCKESI, C. Avaliação da aprendizagem escolar. 7ª ed. São Paulo: Cortez, 1998.

MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Fundamentos de metodologia científica. 5ª edição. São Paulo: Editora Atlas S.A., 2003.

McNAMARA, T. Language testing. Oxford: Oxford University Press, 2000.

PERRENOUD, P. Não mexam na minha avaliação! Para uma abordagem sistêmica da mudança pedagógica. In: ESTRELA, A.; NOVOA, A. (Orgs.) Avaliações em educação: novas perspectivas. Lisboa: Educa, 1992, p. 155-173.

PERRENOUD, P. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens - entre duas lógicas. Porto Alegre: Artmed Editora, 1999.

PRODANOV, C.; FREITAS, E. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico - 2ª Edição. Editora Feevale, 2013.

QUEVEDO-CAMARGO, G. Formação de professores de línguas adicionais e letramento em avaliação: breve panorama e desafios para os cursos de licenciatura em LEM no Brasil. Calidoscópio, v. 18, n. 2, p. 435-459, 2020. https://doi.org/10.4013/cld.2020.182.10. Acesso em: 14 Set. 2020.

QUEVEDO-CAMARGO, G. SCARAMUCCI, M.V.R. O conceito de letramento em avaliação de línguas: origem de relevância para o contexto brasileiro. Linguagem: Estudos e Pesquisas, v.22, n.1, p. 225-245, 2018. https://doi.org/10.5216/lep.v22i1.54474. Acesso em: 14 Set. 2020.

SCARAMUCCI, M. V. R. Avaliação: mecanismo propulsor de mudanças no ensino/aprendizagem de língua estrangeira. Revista Contexturas. São Paulo, APLIESP, p. 75-81, 1999.

SCARAMUCCI, M. V. R. O professor avaliador: sobre a importância da avaliação na formação do professor de língua estrangeira. In: ROTTAVA, L.; SANTOS S. (Orgs.) Ensino-aprendizagem de línguas: língua estrangeira. Ijuí: Editora da UNIJUI, 2006, p. 49-64.

SCARAMUCCI, M. V. R. Letramento em avaliação (em contexto de línguas): contribuições para a linguística aplicada, educação e sociedade. In: JORDÃO, C. M. (Org.) A linguística aplicada no Brasil: rumos e passagens. Campinas, SP: Pontes Editores, 2016, p. 141-165.

SCHÖN, D. The reflective practitioner: how professionals think in action. London: Temple Smith, 1983.

SCHÖN, D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

STIGGINS, R. Assessment literacy. Phi Delta Kappan, v.72, n.7, p. 534-39, 1991.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação de professores. São Paulo: Vozes, 2002.

TAYLOR, L. Developing assessment literacy. Annual Review of Applied Linguistics, v.29, p. 21-36, 2009. https://doi.org/10.1017/S0267190509090035 Acesso em: 10 Set. 2020.

TEIXEIRA DA SILVA, V. A competência para a avaliação na formação do professor de línguas. In: CONSOLO, D.; TEIXEIRA DA SILVA, V. (Orgs.) Olhares sobre competências do professor de língua estrangeira: da formação ao desempenho profissional. São José do Rio Preto: HN, 2007, p. 243-255.

THOMAS, J.; ALLMAN, C.; BEECH, M. Assessment for the diverse classroom: a handbook for teachers. Tallahassee, FL: Florida Department of Education, Bureau of Exceptional Education and Student Services, 2004. Disponível em: https://www.fldoe.org/core/fileparse.php/7690/urlt/0070083-assess_diverse.pdf Acesso em: 10 Set. 2020.

VIEIRA-ABRAHÃO, M. Prática de ensino e o estágio supervisionado como foco de pesquisa na formação do professor de LE. Contexturas: Ensino Crítico de Língua Estrangeira. v.1, p. 49-54, 1992.

VIEIRA-ABRAHÃO, M. A formação do professor de línguas de uma perspectiva sociocultural. Signum. Estudos de Linguagem, v. 15, n. 2, p. 457-480, 2012. http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2012v15n2p457. Acesso em: 12 Set. 2020.

ZEICHNER, K. Uma análise crítica sobre a" reflexão" como conceito estruturante na formação docente. Educação & Sociedade, v. 29, n. 103, p. 535-554, 2008. https://doi.org/10.1590/S0101-73302008000200012. Acesso em: 12 Set. 2020.

Downloads

Publicado

2021-09-28

Como Citar

DAMACENA, M.; QUEVEDO-CAMARGO, G. Avaliação e formação de professores de línguas: uma discussão sobre o currículo e as percepções dos formandos. Olhares & Trilhas, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 1054–1073, 2021. DOI: 10.14393/OT2021v23.n.3.62193. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/62193. Acesso em: 9 ago. 2022.