ATIVOS AMBIENTAIS DO BIOMA CERRADO: UMA ANÁLISE DA COBERTURA VEGETAL NATIVA E SUA RELAÇÃO COM O PREÇO DA TERRA NO ESTADO GOIÁS

Conteúdo do artigo principal

Manuel Eduardo Ferreira
Fausto Miziara
Laerte Guimarães Ferreira Júnior
Francis Lee Ribeiro
Nilson Clementino Ferreira

Resumo

Nos últimos anos, a região de savanas no Brasil, também conhecida como Cerrado, passou a ser considerada como um dos biomas mais ameaçados no mundo no que diz respeito à biodiversidade, com cerca de 40% de sua área original desmatadas. Em fato, esta região representa um importante pilar para a economia nacional, em grande parte devido à intensa produção agrícola gerada em seus domínios fisiográficos. Na necessidade, ainda que tardia, de se compreender este bioma em seus aspectos ecológicos e econômicos, este artigo versa sobre a eventual interdependência entre a valoração econômica, por meio das categorias de preços de terras, com o ativo ambiental cobertura vegetal nativa. Em particular, avaliamos as variáveis intensidade de pobreza, preços de terras e remanescentes de Cerrado em escala municipal para o Estado de Goiás (área core do Cerrado). Dentre os principais resultados, constatou-se uma dependência, ainda que tênue, entre a cobertura vegetal remanescente com tais categorias de preços, com destaque para a Pastagem de Alto Suporte (r2 de 0,30). Especificamente em relação ao índice social intensidade de pobreza (o qual influi diretamente sobre a conservação ambiental), os resultados indicam uma tendência de elevação da pobreza nas áreas do estado com maior proporção de Cerrado nativo (r2 de 0,38). Da mesma forma, a pobreza parece estar mais atrelada às localidades com preços de terras mais baixos, sobretudo nas regiões com ofertas para a categoria Pastagens de Baixo Suporte (r2 de 0,24).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
FERREIRA, M. E.; MIZIARA, F.; FERREIRA JÚNIOR, L. G.; RIBEIRO, F. L.; FERREIRA, N. C. ATIVOS AMBIENTAIS DO BIOMA CERRADO: UMA ANÁLISE DA COBERTURA VEGETAL NATIVA E SUA RELAÇÃO COM O PREÇO DA TERRA NO ESTADO GOIÁS. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 61, n. 1, 2009. DOI: 10.14393/rbcv61n1-44853. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44853. Acesso em: 23 jul. 2024.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Manuel Eduardo Ferreira, UFG - Universidade Federal de Goiás

Programa de Doutorado em Ciências Ambientais Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento. Possui graduação em Geografia pela Universidade de Brasília (2000), mestrado em Processamento de Dados em Geologia e Análise Ambiental pela Universidade de Brasília (2003), doutorado em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de Goiás (2009), com estágio pós-doutorado (2009) no Woods Hole Research Center (Massachusetts, EUA). Atualmente, encontra-se como professor adjunto da Universidade Federal de Goiás (UFG), na área de Cartografia e Geoprocessamento, e pesquisador associado ao Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento (LAPIG), onde atua como colaborador de projetos envolvendo o monitoramento de paisagens naturais e antrópicas nos biomas Cerrado e Amazônia. Dentre seus interesses de pesquisa, destacam-se o monitoramento da cobertura vegetal e uso do solo por meio de técnicas de Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento, bem como a geração de cenários ambientais através da integração de dados biofísicos e socioeconômicos.

Fausto Miziara, UFG - Universidade Federal de Goiás

Programa de Doutorado em Ciências Ambientais Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento. Possui graduação em Sociologia pela Universidade de Brasília (1996), mestrado em Sociologia pela Universidade de Brasília (1989) e doutorado em Sociologia pela Universidade de Brasília (1995). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Goiás. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia Rural e Sociologia Ambiental. Os principais temas de pesquisa que desenvolve atualmente estão articulados com a expansão da Fronteira Agrícola.

Laerte Guimarães Ferreira Júnior, UFG - Universidade Federal de Goiás

Programa de Doutorado em Ciências Ambientais Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento

Francis Lee Ribeiro, UFG - Universidade Federal de Goiás

Programa de Doutorado em Ciências Ambientais Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento. possui graduação em Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1983) , mestrado em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa (1998) e doutorado em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa (2002) . Atualmente é PROFESSOR ADJUNTO I da Universidade Federal de Goiás e Membro de corpo editorial da REVISTA UFG. Tem experiência na área de Economia , com ênfase em Teoria Econômica. Atuando principalmente nos seguintes temas: ECONOMIA NEOCLÁSSICA, TEORIA DA POLUI

Nilson Clementino Ferreira, UFG - Universidade Federal de Goiás

Programa de Doutorado em Ciências Ambientais Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento possui graduação em Engenharia Cartográfica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1990), mestrado em Engenharia de Transportes pela Universidade de São Paulo (1997) e doutorado em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de Goiás (2006). Atualmente é professor da Escola de Engenharia Civil da Universidade Federal de Goiás.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)