Autoria estudantil em língua estrangeira

reflexões discursivas e letramento crítico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OT2022v24.n.1.64553

Palavras-chave:

Educação Profissional e Tecnológica, Práticas de ensino-aprendizagem, Aulas de Espanhol, Multimidialidades

Resumo

Este artigo apresenta, como objeto de análise, recortes do livro-álbum “Escenarios de la Pandemia”, produzido por estudantes do terceiro ano da disciplina de Espanhol, do Instituto Federal Catarinense, campus Blumenau. Com base nessa materialidade, o objetivo da pesquisa é analisar o desenvolvimento da autoria do estudante a partir da concepção de letramento crítico nas aulas de Espanhol como Língua Estrangeira. Para isso, a discussão teórico-analítica das sequências discursivas investigadas conta, principalmente, com o apoio de autores que discutem letramento crítico e multimidialidade, em diálogo com os pressupostos teórico-metodológicos da Análise de Discurso francesa. Diante do estudo realizado, pode-se dizer que, ao adotar a perspectiva do letramento crítico, é possível valorizar a autoria discente, pois, dessa forma, potencializam-se as produções textuais polissêmicas e subjetivas, o que se difere das atividades de repetição que comumente se fazem em aulas de língua estrangeira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliene da Silva Marques, Instituto Federal Catarinense

Professora EBTT do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Catarinense (IFC, Campus Blumenau), onde atua no Ensino Médio Integrado, na Licenciatura em Pedagogia e no Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT). Doutora em Ciências da Linguagem pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). Mestra em Ciências da Linguagem (Unisul). Especialista em Língua Portuguesa pela Faculdade Capivari (Fucap) e em Ensino de Língua Espanhola pela Faculdade Única de Ipatinga (Única). Graduada em Licenciatura em Letras: Português e Espanhol (Unisul) e em Pedagogia (Uninter). Vice-líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Práticas Educativas em Educação Profissional e Tecnológica (IFC) e colaboradora do Grupo de Pesquisa em Relações de Poder: Esquecimento e Memória (Unisul). Tem como principal área de interesse a Análise de Discurso, direcionando-se ainda para temáticas vinculadas à Linguística Textual, Sociolinguística, Multiletramentos, Multimidialidades, Metodologias de Ensino e Avaliação da Aprendizagem

Referências

CERVETTI, G. et al. A tale of differences: comparing the traditions, perspectives, and educational goals of critical reading and critical literacy. Reading Online, v. 4. n. 9, p. 1-13, 2001. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/mod/resource/view.php?id=2643314. Acesso em: 25 nov. 2021.

FERNÁNDEZ, R. V. Desvelar la ideología en las prácticas de lectura de Español como Lengua Extranjera: el desarrollo de la competencia crítica. 2017. 119 f. Dissertação (Máster Universitario) – Universidad de Cantabria, Cantabria – ES, 2017. Disponível em: https://repositorio.unican.es/xmlui/bitstream/handle/10902/13693/TFM.RVF.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 12 dez. 2021.

FRANCO, A. V. Literacidad crítica y literacidades digitales: ¿una relación necesaria? Folios, v. 42, p. 139-160, 2015. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0123-48702015000200010. Acesso em: 10 jan. 2022. DOI: https://doi.org/10.17227/01234870.42folios139.160.

INSTITUTO CERVANTES. Marco común europeo de referencia para las lenguas: aprendizaje, enseñanza, evaluación. Madrid, Anaya, 2002. 267 p. Disponível em: https://redined.educacion.gob.es/xmlui/bitstream/handle/11162/207011/Europa_lenguas_c.pdf?sequence=1. Acesso em: 30 nov. 2021.

MOREIRA, H. N; MOREIRA, G. L. Literacidad visual y crítica en ELE para fines específicos: lectura de anuncios publicitarios como práctica social y política. Trab. Ling. Aplic., v. 59, n. 2, p. 1455-1480, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tla/a/LXwzZzrHnKwpV6XSqtpBLSy/?lang=es. Acesso em: 27 nov. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/010318137451911820200630.

PANTOJA, M. V. E. et al. Comprensión lectora a través del libro álbum en escuela unitaria. In: BELALCÁZAR, M. E; BRAVO, R. R. (Coor.). Didácticas de la construcción del lector. San Juan de Pasto: Editorial Universidad de Nariño, 2020, p. 65-115. Disponível em: https://pt.calameo.com/read/006595024ed4c0d504131. Acesso em: 11 dez. 2021.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica a afirmação do óbvio. 5ª ed., Campinas: Editora da UNICAMP, 2014. p. 288.

PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. 7ª ed., Campinas: Pontes, 2015. p. 66.

PÊCHEUX, M; LÉON, J. Análise Sintática e Paráfrase Discursiva. In: ORLANDI, E. P. (Org.). Análise de Discurso: Michel Pêcheux. 4ª ed., Campinas: Pontes, 2015, p. 163-173.

ORLANDI, E. P. Discurso e Leitura. 9ª ed., São Paulo: Cortez, 2012. p. 160.

ORLANDI, E. P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 12ª ed., Campinas: Pontes, 2015. p. 98.

ORLANDI, E. P. Eu, Tu, Ele: discurso e real da história. Campinas: Pontes, 2017. p. 342.

OSPINA, G. La pedagogía por proyectos en los talleres de creación de los libros álbumes. Revista Infancias imágenes, v. 9, p. 58-78, 2010. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/3653131.pdf. Acesso em: 10 jan. 2022.

ROJO, R. H. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R. H; MOURA, E. (Orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012, p. 11-31.

Downloads

Publicado

2022-07-13

Como Citar

DA SILVA MARQUES, J. Autoria estudantil em língua estrangeira: reflexões discursivas e letramento crítico. Olhares & Trilhas, [S. l.], v. 24, n. 1, 2022. DOI: 10.14393/OT2022v24.n.1.64553. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/64553. Acesso em: 13 ago. 2022.