Funções literárias de nomes de personagem no romance O filho de mil homens

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex-v9a2023/24-14

Palavras-chave:

Antroponomástica literária, Literatura portuguesa, Nomes de personagem, Nomes de pessoa

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar uma proposta de conceituação, definição e exemplificação de funções literárias que os nomes próprios de pessoas podem adquirir em contextos ficcionais prosaicos. Para tanto, a fundamentação teórica utilizada está baseada numa síntese das propostas teóricas de Dvořáková (2018), Gybka (2018) e Amaral e Seide (2020) que evidenciam 10 funções diferentes para este tipo de antropônimo. Parte-se do pressuposto de que os nomes próprios de pessoas, na ficção literária, se tornam nomes de personagens não apenas em virtude do seu contexto de uso, mas, principalmente, graças à sua função, isto é, dentro da lógica simbólica e ficcional da obra em que se encontram. Nesse artigo, são analisadas as funções literárias dos nomes dos nomes próprios de pessoa no romance O filho de mil homens de Valter Hugo Mãe publicado em 2012. A análise dos nomes das personagens da obra evidencia quase todas as funções previstas pelos teóricos que embasaram este estudo, com exceção dos usos que fazem transgressões às normas linguísticas. Por se tratar de uma área interdisciplinar, a Onomástica Literária enriquece a análise das personagens, desvendando camadas ocultas de significado na obra, espera-se que este artigo possa inspirar outros estudiosos a investigarem as funções literárias dos nomes próprios de pessoa em diferentes contextos ficcionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Sipavicius Seide, UNIOESTE

Doutora em Língua Portuguesa e Filologia pela Universidade de São Paulo.Docente do Programa de Pós-Graduação em Letras da Unioeste  e do Colegiado do Curso de Letras do Campus de Marechal Cândido Rondon.

Referências

AMARAL, Eduardo Tadeu Roque; SEIDE, Márcia Sipavicius. Nomes próprios: introdução à antroponímia brasileira. São Paulo: Blucher, 2020. Disponível. em https://openaccess.blucher.com.br/download-pdf/453. Acesso em 23 set. 2021.

AQUINO, Felipe. São João Crisóstomo, Doutor da Igreja e Padroeiro do Concílio Vaticano II. Setembro, 2021. Disp.em < São João Crisóstomo, Doutor da Igreja e Padroeiro do Concílio Vaticano II – Província Carmelitana Fluminense (carmelitas.org.br) > Acesso em 7, junho, 2023.

BARTHES, R. Proust e os nomes. In: Novos ensaios críticos. O grau zero da escritura. Trad. H. de L. Dantas. et. al. São Paulo: Cultrix, 1986. p. 55-67.

BREMER, Donatella. “Language & Culture”.In:.Els noms en la vida quotidiana Actes del XXIV Congrés Internacional d’ICOS sobre Ciències Onomàstiques. 2014, p 344 -348. Disp em https://www.gencat.cat/llengua/BTPL/ICOS2011/113.pdf. Acesso em. 02, junho 2023.

BUTKUVIENĖ, K., PETRULIONĖ, L., SEIDE, M. S. ., & Valiulienė, E. Name-giving motives in Lithuania and Brazil: a comparative view. Domínios de Lingu@gem, v. 15, n. 2, 2021, p. 405–445. https://doi.org/10.14393/DL46-v15n2a2021-6

CAMARGO, A. K. Nomeação e Espacialização como agentes do trágico em “Os Maias”. Onomástica desde América Latina, v.1, n.2, p. 2-16, 2020. https://doi.org/10.48075/odal.v1i2.24290

CAMARGO, A. K., SEIDE, M S. Clarice Lispector aos olhos da Antroponomástica: o antropônimo ficcional como artifício da (des)personalização. Revista Letras, v. 98, p. 180-198, 2019.

DVOŘÁKOVÁ, Ž. 2018. Notes on functions of proper names in literature. Onoma v.53, p. 33-48, 2018. DOI: 10.34158/ONOMA.53/2018/3

ECKERT, K.; RÖHRIG, M. Antroponímia ficcional: o caso de Ubirajara, de José de Alencar. Revista GTLex,v. 2, n. 1, p. 170–189, 2017. https://doi.org/10.14393/Lex3-v2n1a2016-7

ECKERT, K., RÖHRIG, M. Onomástica literária em Graciliano Ramos: os nomes dos personagens de Vidas Secas e de São Bernardo. Revista de Estudos da Linguagem, v.26, n.3, p.1277-1294, 2018.

GIBKA, M K. Functions of characters’ proper names in novels. Onoma 53, p. 49-66, 2019. https://doi.org/10.34158/ONOMA.53/2018/4

LÓPEZ FRANCO, Y. G. Las relaciones intercategoriales e intracategoriales en antroponimia. El caso de los nombres de pila en francés de Francia y en español de México. Onomástica desde América Latina, Cascavel, PR, v. 1, n. 1, p. 222-247, 2020. DOI: https://10.48075/odal.v1i1.24169

MÃE, Valter Hugo. O filho de mil homens. Editora Bloco, Rio de Janeiro, 2012.

OLIVEIRA, Humberto Moacir de. “Mãe e a invenção da família: uma leitura psicanalítica do romance O filho de mil homens como um contraponto ao estatuto da família. Desassossego, v. 19, Jun,2018, ISSN 2175-3180 DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v10i19, p.152-174.

PAWIŃSKI, T. Próba wyjaśnienia nazwy wyspy Nipu [An attempt at explaining the name of the Nip island]. Ruch Literacki VIII, p.191, 1933.

PEDRASSANI, J. S; ECKERT, K.; RÖHRIG, M. (2020) Onomástica literária: os nomes dos personagens do romance Lucíola de José de Alencar. Revista GTLex, v.3, n.2, p. 294-312, 2018. https://doi.org/10.14393/Lex6-v3n2a2018-4

RECH, G.C., SELL, F.S. F. Antropônimos ficcionais em personagens de histórias clássicas infantis traduzidas para Libras. Revista Com(textos) linguísticos. v.15, n.32, 2021, p.166-179.

RECZEK, Stefan. O nazwiskach bohaterów komedii polskiej XVIII wieku [On characters’ surnames in 18th-century Polish comedy]. Pamiętnik Literacki XLIV, 1953, p. 217-237.

REYES CONTRERAS, M. Acercamiento onomástico al nombre de las bandas de Heavy Metal. Onomástica desde América Latina, Cascavel, v. 2, n. 3, p. 59-81, 2020. DOI: https://10.48075/odal.v0i0.26062.

RUDNYCKYJ, Jaroslav. 1959. Functions of proper names in literary work. In Böckmann, Paul (ed.), Stil- und Formprobleme in der Literatur. Heidelberg: Carl Winter, 1959, p. 378-383.

SEIDE, M. S. Proposta de definição interdisciplinar de nome próprio. Onomástica desde América Latina, Cascavel, v. 2, n. 4, p. 70–94, 2021. DOI: https://10.48075/odal.v0i0.27562.

SEIDE, M.S. Lithuanian female personal names as cultural names derived from common nouns from the point of view of speakers of Lithuanian as a heritage language. Acta Linguistica Lithuanica, Vilnius, LXXXVI, p. 144-164, 2022, DOI: https://doi.org/10.35321/all86-06

SILVESTRE, Emerson. Da ficção dos gêneros à ficção literária: uma leitura de O filho de mil homens. Revista Escrita. Ano 2015. Número 20, p.139-251.

Downloads

Publicado

18-06-2024

Como Citar

SEIDE, M. S. Funções literárias de nomes de personagem no romance O filho de mil homens . Revista GTLex, Uberlândia, v. 9, p. e0914, 2024. DOI: 10.14393/Lex-v9a2023/24-14. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/GTLex/article/view/71924. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos