Neologia e neologismos no português brasileiro

principais ideias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex7-v4n1a2018-2

Palavras-chave:

Linguística, Lexicologia, Neologia, Neologismos, Criação Lexical

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar um breve histórico dos estudos de Neologia no Português Brasileiro, bem como passar em revista, com base, sobretudo, em Guilbert (1972, 1975), em Alves (1990) e em Cabré (2010), as principais ideias a respeito da conceituação de “neologia” e de “neologismo” e as diferentes metodologias possíveis para a identificação de neologismos na língua comum. Além disso, é nossa intenção, ainda, apresentar algumas contribuições que o Observatório de Neologismos do Português Brasileiro Contemporâneo (Projeto TermNeo), sob a coordenação de Ieda Maria Alves, tem dado às pesquisas lexicais e morfológicas por estudar os principais processos de criação lexical e por trazer as novidades, sempre constantes, surgidas no âmbito desses processos, que por sua vez, evidenciam a vivacidade perene da língua, sempre pronta a moldar-se às necessidades de expressão dos falantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, I. M. Neologismo: Criação lexical. 1. ed. São Paulo: Ática, 1990.

ALVES, I. M. Um estudo sobre a neologia lexical: os microssistemas prefixais do português contemporâneo. Tese (Livre Docência em Lexicologia e Terminologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

ALVES, I. M. A observação sistemática da neologia lexical: subsídios para o estudo do léxico. Alfa, v. 50, n. 2, p. 131-144, São Paulo, 2006.

ALVES, I. M. A neologia do português brasileiro de 1990 a 2009: tradição e mudança. In: ALVES, I. M. (org.). Neologia e neologismos em diferentes perspectivas. São Paulo: Paulistana, 2010. p. 63-82.

BARBOSA, M. A. Léxico, produção e criatividade: Processos do neologismo. São Paulo: Global, 1981.

BASILIO, M. Estruturas lexicais do português: uma abordagem gerativa. Petrópolis: Vozes, 1980.

BIDERMAN, M. T. C. Teoria linguística: linguística quantitativa e computacional. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1978.

BOULANGER, J. C. Problématique d'une métholodologie dynamique d'identification des neólogismes en terminologie. In: Néologie et lexicologie. Paris: Larousse, 1979. p. 36-46.

CABRÉ, M. T. La neología, campo disciplinar y aplicado: utilidad y problemas en el trabajo neológico de los observatorios. In: ALVES, I. M. (org.). Neologia e neologismos em diferentes perspectivas. São Paulo: Paulistana, 2010. p. 13-33.

CÂMARA JR., J. M. Ampliação e renovação lexical. In: CÂMARA JR., J. M. História e estrutura da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Padrão, 1975. p. 213-234.

GONÇALVES, C. A. Atuais tendências em formação de palavras. São Paulo: Contexto, 2016.

GUILBERT, L. Théorie du néologisme. In: Cahiers de l'association internationale des etudes françaises, n. 25, 1972. p. 9-29. DOI https://doi.org/10.3406/caief.1973.1020.

GUILBERT, L. La créativité lexicale. Paris: Larousse, 1975.

REY, A. Néologisme: um pseudoconcept? Cahiers de Lexicologie, n. 28, p. 3-17, 1976.

ROCHA, L. C. de A. Estruturas morfológicas do português. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

SABLAYROLLES, J. F. Le sentiment néologique: une compétence qui s'acquiert et s'affine. In: ALVES, I. M. et al. (org.). Os estudos lexicais em diferentes perspectivas. São Paulo: FFLCH/USP, 2013. v. III, p. 6-20.

SANDMANN, A. J. Formação de palavras no português brasileiro contemporâneo. Curitiba: Sciencia e Labor/Ícone, 1989.

SANDMANN, A. J. Morfologia lexical. São Paulo: Contexto, 1992.

Downloads

Publicado

19-02-2020

Como Citar

Ganança, J. H. (2020). Neologia e neologismos no português brasileiro: principais ideias. Revista GTLex, 4(1), 33–53. https://doi.org/10.14393/Lex7-v4n1a2018-2

Edição

Seção

Artigos