VULNERABILIDADE AMBIENTAL E CONFLITO NO USO DA TERRA NO MUNICÍPIO DE MIRASSOL D'OESTE, BRASIL

Conteúdo do artigo principal

Jesã Pereira Kreitlow
João dos Santos Vila da Silva
Sandra Mara Alves da Silva Neves
Ronaldo José Neves
Laís Fernandes de Souza Neves

Resumo

O escopo desta pesquisa foi avaliar a vulnerabilidade ambiental e os confl itos decorrentes da utilização da terra da municipalidade de Mirassol D'Oeste, na perspectiva da geração de subsídios para o planejamento municipal. O estudo foi desenvolvido através da utilização de metodologias que avaliam o potencial à erosão hídrica laminar, a capacidade de uso da terra e o confl ito de uso da terra para a obtenção da vulnerabilidade ambiental. Foram individualizados 12 morfocompartimentos, sendo que destes os de número 5, 8 e 10 são os que apresentam maior susceptibilidade à erosão devido a declividades superiores a 45% e a presença de Neossolos Quartzarênicos. Em geral o município apresenta médio potencial à erosão laminar, sendo que esta classe ocupa aproximadamente 70% da extensão territorial municipal. Na área de estudo a capacidade de uso com maior representatividade foi a IV, esta classe é composta por terras que são cultiváveis ocasionalmente, onde são encontrados problemas complexos de conservação. A classe de confl ito baixo é a de maior ocorrência (84,95%) na área pesquisada. De posse deste estudo os planejadores locais podem decidir sobre as melhores formas de utilização das áreas rurais do município.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
KREITLOW, J. P.; SILVA, J. dos S. V. da; NEVES, S. M. A. da S.; NEVES, R. J.; NEVES, L. F. de S. VULNERABILIDADE AMBIENTAL E CONFLITO NO USO DA TERRA NO MUNICÍPIO DE MIRASSOL D’OESTE, BRASIL. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 68, n. 10, 2016. DOI: 10.14393/rbcv68n10-44292. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44292. Acesso em: 2 dez. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Jesã Pereira Kreitlow, Universidade do Estado de Mato Grosso Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola

Graduado em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) e membro do Grupo de Pesquisas SERPEGEO/UNEMAT. Mestrando do Programa de Pós Graduação em Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola, Universidade do Estado de Mato Grosso/UNEMAT, Tangará da Serra, MT. Atua principalmente nos seguintes temas: Geotecnologias, Bacia Hidrográfica, Sensoriamento Remoto, Ensino de Geografia, Zoneamento Ambiental e Meio Ambiente.

João dos Santos Vila da Silva, Embrapa Informática Agropecuária

Possui graduação em Licenciatura em Ciências - Habilitação Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1983), Especialização em Sensoriamento Remoto pela Unesp (1987), mestrado em Sensoriamento Remoto pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (1991) e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual de Campinas (2003). Atualmente é Pesquisador A da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, professor e orientador do mestrado Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola (PPGASP/Unemat) e revisor de periódico cientifico. Tem experiência em pesquisa e desenvolvimento, com ênfase em Métodos e Técnicas para zoneamento, atuando principalmente nos seguintes temas: zoneamento e planejamento ambiental, geotecnologias (sensoriamento remoto, geoprocesamento, sistemas de informacoes geograficas) e cobertura vegetal e uso da terra.

Sandra Mara Alves da Silva Neves, Universidade do Estado de Mato Grosso Docente do Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola

Possui licenciatura plena e bacharelado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1993), mestrado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1999) na área de concentração Planejamento Ambiental e doutorado em Ciências (Geografia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006) na área de concentração Gestão e Planejamento Ambiental. Atualmente é professora adjunta da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT, lotada no Campus Jane Vanini, na cidade de Cáceres/MT e docente nos Programas de pós-graduação stricto sensu em Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola e Biodiversidade e Agroecossistemas Amazônicos, ambos da UNEMAT, sediados respectivamente nos Campi de Tangará da Serra e Alta Floresta. Atua principalmente nos seguintes temas: Geotecnologias aplicadas aos estudos socioambientais e interdisciplinares, Planejamento Ambiental e Paisagem.

Ronaldo José Neves, Universidade do Estado de Mato Grosso Docente do Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola

Concluiu sua graduação em Licenciatura Plena e Bacharelado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul em 1993, o mestrado em Geografia pela Universidade Estadual de Maringá em 2002 e o doutorado em Ciências (Geografia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2008. Atualmente é professor adjunto (Doutor) da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), no Curso de Geografia e no Programa de Pós-graduação em Ambiente e Sistema de Produção Agrícola. Tem experiência na área de Geografia, atuando nos seguintes temas: ensino de geografia, cartografia para escolares e geotecnologias aplicada aos estudos geográficos.

Laís Fernandes de Souza Neves, Mestranda Universidade do Estado de Mato Grosso Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais

Mestranda do Programa de Pós Graduação stricto sensu em Ciências Ambientais, pela Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus Universitário de Cáceres. Graduada em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade do Estado de Mato Grosso- UNEMAT, Campus de Cáceres/MT. Atua nas seguintes áreas: Banco de Dados Geográficos (BDG),geoprocessamento, mapa temático, métricas da paisagem e mapeamento de queimadas.