GEOTECNOLOGIAS PARA PREVENÇÃO DE RISCOS DE DESASTRES: USOS E POTENCIALIDADES DOS MAPEAMENTOS PARTICIPATIVOS

Conteúdo do artigo principal

Victor Marchezini
Allan Yu Iwama
Márcio Roberto Magalhães de Andrade
Rachel Trajber
Ives Rocha
Débora Olivato

Resumo

As geotecnologias têm sido utilizadas na área de gestão de riscos e de desastres por diferentes áreas do conhecimento. Na prevenção de riscos de desastres, as diferentes áreas do conhecimento têm contribuído com diversas aplicações por meio dos mapeamentos de risco. O objetivo do presente artigo é analisar as possibilidades de diálogo e sinergia entre as metodologias de mapeamento de riscos, a cartograï¬a técnica-cientíï¬ca - realizada por especialistas da área de geociências ou engenharias - e a cartograï¬a social - realizada com as pessoas ou grupos sociais com base no conhecimento empírico. A partir de experiências internacionais e nacionais sobre os mapeamentos participativos de riscos, discute-se sobre algumas janelas de oportunidade para promover ações de prevenção de desastres, conectando geotecnologias, tecnologias de informação e comunicação (TICs), educação e ciência cidadã.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
MARCHEZINI, V.; IWAMA, A. Y.; MAGALHÃES DE ANDRADE, M. R.; TRAJBER, R.; ROCHA, I.; OLIVATO, D. GEOTECNOLOGIAS PARA PREVENÇÃO DE RISCOS DE DESASTRES: USOS E POTENCIALIDADES DOS MAPEAMENTOS PARTICIPATIVOS. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 69, n. 1, 2017. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44035. Acesso em: 17 maio. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Victor Marchezini, Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais - CEMADEN

Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (2007) e Licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista - UNESP/FCL- Araraquara (2010). Especialista em Formação Docente para o Ensino Superior pela Anhanguera-Uniderp (2009). Mestre em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos (2010). Especialista em Direitos Humanos, Gestão Global de Riscos e Políticas Públicas de Prevenção de Desastres pela Fundação Henry Dunant - América Latina (2012). Doutor em Sociologia pelo PPGS/UFSCar (2013). Foi pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Sociais em Desastres (NEPED/UFSCar) no período de 2005 a 2011. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia dos Desastres, atuando principalmente nos seguintes temas: Gestão de Riscos e Desastres e Defesa Civil etc. No período de 2012 a setembro de 2014, foi analista operacional em desastres no Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN). Atualmente é pesquisador no mesmo centro.

Allan Yu Iwama, MapAir Aerolevantamento

Engenheiro Ambiental (UNESP), mestre em Sensoriamento Remoto (INPE) e doutor em Ambiente e Sociedade (NEPAM/Unicamp). Atua nos temas relacionados com planejamento, análise de mudanças de cobertura/uso da terra e análises socioeconômicas. Atualmente desenvolve pesquisa e atividades relacionadas com risco, vulnerabilidade e adaptação às mudanças climáticas e ambientais. Tem experiência com planos de manejo de Unidades de Conservação, em particular sobre o tema da questão fundiária, e planos diretores. As palavras-chave de atuação - planejamento urbano-ambiental; sensoriamento remoto; vulnerabilidade; interdisciplinar.

Márcio Roberto Magalhães de Andrade, Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN)

Possui graduação em Geologia, Bacharel (1990) e Licenciatura (2005) pelo Instituto de Geociencias - Universidade de São Paulo, Mestrado (2000) e Doutorado (2009) em Geografia pela Faculdade de Filosofia Letras Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Pesquisador da Área de Geodinâmica do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais - CEMADEN do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI

Rachel Trajber, Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN)

Possui graduação em Língua e Literatura Francesa - University of Haifa / Universidade de São Paulo (revalidação) (1978), mestrado em Antropologia - Purdue University (1982) e doutorado em Antropologia - Purdue University (1988) / revalidação UFSCar (2014). Responsável pelo projeto Cemaden Educação no Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais/ MCTI em 2014. Foi Coordenadora Geral de Educação Ambiental / MEC. Tem experiência na área de Educação Educação Ambiental. Atuação: Educação ambiental, sustentabilidade, mudanças climáticas, prevenção de riscos de desastres e políticas públicas.

Ives Rocha, Centro de Promoção da Saúde - CEDAPS

Formado em Psicologia pela UFRJ; Coordenador de Monitoramento e Avaliação de Projetos do CEDAPS Centro de Promoção da Saúde, Coordenador Técnico do Mapeamento Digital Liderado por Adolescentes e Jovens - UNICEF, Facilitador de Cursos de Elaboração e Gestão de Projetos Sociais e Consultor para Diagnóstico Participativo. Atua nos campos da Promoção da Saúde e Desenvolvimento Comunitário. Desenvolve, facilita e monitora metodologias participativas, em especial a metodologia Construção Compartilhada de Soluções Locais, composta por técnicas de diagnóstico comunitário, oficina de elaboração de planos de ação, monitoramento, avaliação e sistematização de experiência.

Débora Olivato, Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN)

Possui ampla experiência na área ambiental e de ensino. Graduada em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero (1993). Graduada e licenciada em Geografia pela Universidade de São Paulo (2000). Possui Mestrado (2004) e Doutorado em Geografia pela Universidade de São Paulo (2013). Atualmente é professora de geografia - PEB II da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. Presta consultoria em projetos de educação e comunicação em meio ambiente, nas áreas de prevenção a desastres naturais, recursos hídricos e unidades de conservação.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)