ANÁLISE FISIOGRÁFICA, A PARTIR DE TÉCNICAS DE FOTOINTERPRETAÇÃO, APLICADA AO MAPEAMENTO GEOLÓGICO-GEOTÉCNICO DE OBRAS RODOVIÁRIAS

Conteúdo do artigo principal

Juliano Oliveira Martins Coelho
José Eduardo Zaine
Flávio Henrique Rodrigues

Resumo

As obras rodoviárias instaladas nos planaltos cristalinos da serra do Mar apresentam problemas geotécnicos recorrentes, envolvendo principalmente erosões aceleradas e movimentos de massa nos taludes de corte. Os estudos geológico-geotécnicos podem ser aplicados na conservação das obras rodoviárias já instaladas e no planejamento das obras futuras, contribuindo com a redução dos custos de manutenção da via e evitando o desenvolvimento de movimentos de massa. Esta pesquisa apresenta uma sistemática de mapeamento geológico-geotécnico na escala de 1:10.000, realizado a partir da análise ï¬siográï¬ca, com o uso de técnicas de fotointerpretação e campanhas de campo, com o objetivo avaliar a suscetibilidade do meio físico ao desenvolvimento de instabilidades em taludes de corte de empreendimentos rodoviários. A sistemática de mapeamento aqui apresentada considerou principalmente as propriedades do meio físico: ruptibilidade; tropia; forma de encosta; forma de topo; forma de vale; declividade; altimetria; padrão e densidade de drenagem, permitindo inferir o comportamento geotécnico dos materiais constituintes dos compartimentos cartografados. O mapeamento identiï¬cou oito unidades ï¬siográï¬cas e as maiores convergências de evidências desfavoráveis à estabilidade de taludes foram identiï¬cadas nas unidades IV, V, VI e VIII e nos setores onde os lineamentos estruturais interceptam o traçado da rodovia, representando descontinuidades paralelas, oblíquas ou perpendiculares aos taludes de corte. As informações e produtos obtidos nesta pesquisa oferecem subsídios para o planejamento e gestão de rodovias na área de estudo e podem servir de referência para estudos de maior detalhe, como sondagens e outros ensaios geotécnicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
COELHO, J. O. M.; ZAINE, J. E.; RODRIGUES, F. H. ANÁLISE FISIOGRÁFICA, A PARTIR DE TÉCNICAS DE FOTOINTERPRETAÇÃO, APLICADA AO MAPEAMENTO GEOLÓGICO-GEOTÉCNICO DE OBRAS RODOVIÁRIAS. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 68, n. 10, 2016. DOI: 10.14393/rbcv68n10-44302. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44302. Acesso em: 6 dez. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Juliano Oliveira Martins Coelho, Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais

Doutor Geociências pela Universidade Estadual Paulista, Unesp - Rio Claro, graduado em Geografia pela mesma instituição. Atua principalmente nos seguintes temas: Análise do Meio Físico, Sensoriamento Remoto, Fotointerpretação e Cartografia Geotécnica. Atualmente é tecnologista em Geodinâmica de Desastres Naturais no Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) em São José dos Campos - SP.

José Eduardo Zaine, Universidade Estadual Paulista, Julio de Mesquita Filho, UNESP- campus Rio Claro

Possui graduação em Geologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp - Campus de Rio Claro (1976), mestrado em Geologia Regional pela Unesp - Rio Claro (1994), doutorado em Geociências e Meio Ambiente pela Unesp - Rio Claro (2000), e é livre-docente em Fotogeologia e Geologia Ambiental pela Unesp - Rio Claro (2011). Atualmente, é professor Adjunto, em RDIDP, junto ao Departamento de Geologia Aplicada do Instituto de Geociências e Ciências Exatas da Unesp Campus de Rio Claro. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geologia Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: geologia ambiental, planejamento urbano, mapeamento geológico-geotécnico e geologia de áreas urbanas.

Flávio Henrique Rodrigues, Universidade Estadual Paulista, Julio de Mesquita Filho, UNESP- campus Rio Claro

Graduado em Engenharia Ambiental pela Universidade Estadual Paulista (2009) e mestre em Geociências e Meio Ambiente (2012) pela mesma instituição. Tem experiência no setor empresarial em projetos de saneamento ambiental (PMS), educação ambiental voltada à gestão de unidade de conservação, além de estágios em mineração, centro de pesquisa (Instituto Geológico - SP) e empresas de consultoria em saneamento básico e mapeamento geológico. Desenvolve seu doutorado em Geociências e Meio Ambiente (desde 2013) e desenvolve atividades na área de cartografia geotécnica e geoambiental.