COMPARAÇÃO ENTRE A APLICAÇÃO DO MODELO SHALSTAB COM MAPAS DE SUSCETIBILIDADE E RISCO DE DESLIZAMENTOS NA BACIA DO CÓRREGO PIRACUAMA EM CAMPOS DO JORDÃO - SP

Conteúdo do artigo principal

Carla Corrêa Prieto
Rodolfo Moreda Mendes
Silvo Jorge Coelho Simões
Carlos Afonso Nobre

Resumo

Eventos de deslizamentos em encostas ocorrem de forma recorrente no município de Campos do Jordão - SP, causando perdas humanas e danos materiais. O presente artigo tem o objetivo de identiï¬car espacialmente as áreas com instabilidade das encostas na bacia do córrego Piracuama, onde se localiza a Vila Albertina, uma área frequentemente afetada por esses eventos. Para tanto, fez-se a aplicação do modelo de estabilidade de encostas (SHALSTAB) e comparou-se os resultados numéricos com dados de mapeamentos de suscetibilidade e risco desenvolvidos pela CPRM em parceira com o IPT e IG, respectivamente. Os resultados foram consistentes com os mapeamentos, uma vez que as áreas identiï¬cadas como mais instáveis haviam sido mapeadas como áreas de elevada suscetibilidade e risco a deslizamentos. Essa é uma pesquisa preliminar que pode indicar as áreas suscetíveis ao processo de deslizamento planar raso. Esse estudo pode embasar pesquisa sobre análise de estabilidade de maneira mais pontual, em escala de detalhe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
PRIETO, C. C.; MENDES, R. M.; SIMÕES, S. J. C.; NOBRE, C. A. COMPARAÇÃO ENTRE A APLICAÇÃO DO MODELO SHALSTAB COM MAPAS DE SUSCETIBILIDADE E RISCO DE DESLIZAMENTOS NA BACIA DO CÓRREGO PIRACUAMA EM CAMPOS DO JORDÃO - SP. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 69, n. 1, 2017. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44033. Acesso em: 18 ago. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Carla Corrêa Prieto, - INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - Curso de Pós-Graduação em Ciência do Sistema Terrestre - aluna de doutorado Cemaden - Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais - Tecnologista

Bacharel em Geografia e mestre em Gestão do Território pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, doutoranda em Ciência do Sistema Terrestre pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Atualmente é Tecnologista na área de Geodinâmica e Geologia de Desastres no Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais - Cemaden. Durante a graduação participou em projetos de iniciação científica: "O Sistema Faxinal enquanto forma de organização camponesa: o caso do Faxinal Água Quente dos Meiras no município de Irati - PR"; e "Análise da expansão do uso da terra em Piraí da Serra, Paraná". Sua dissertação de mestrado trata de planejamento urbano ambiental, com enfoque a processos erosivos e destaque ao processo de voçorocamento, no município de Ponta Grossa-PR. Tem experiência de dois anos como professora colaboradora da Universidade Estadual de Ponta Grossa, lecionando as disciplinas da área de Geociências e experiência no monitoramento e envio de alertas de risco de movimentos massa, desde janeiro de 2012 no Cemaden.

Rodolfo Moreda Mendes, Cemaden - Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais - Pesquisador

Possui graduação em Engenharia Civil pela FEIS-UNESP - Ilha Solteira (1997), mestrado em Engenharia Urbana pela UFSCar - Universidade Federal de São Carlos (2001) e doutorado em Engenharia Geotécnica pela Escola Politécnica - USP (2008). Pesquisador Científico do Instituto Geológico do Estado de São Paulo (IG/SMA) no período de Jan/2005 a Set/2014, nas áreas de Risco Geológico-Geotécnico e Desastres Naturais. Atualmente é Pesquisador Adjunto do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais-CEMADEN/MCTI, na área de Geodinâmica. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Geotecnia e Planejamento do Meio Físico, atuando principalmente nos seguintes temas: SIG, planejamento territorial urbano e regional, cartografia temática geotécnica e ambiental, prevenção a desastres naturais, riscos geológicos-geotécnicos, solos não saturados, estudos experimentais de campo e laboratório, estabilidade de encostas e taludes, monitoramento de variáveis climáticas e geotécnicas para implantação de sistemas de alerta a escorregamentos.

Silvo Jorge Coelho Simões, UNESP - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Professor Adjunto II

Possui graduação em Geologia (1978), mestrado em Geociências pela Unicamp (1993) e doutorado em Geografia pela USP (1997). Parte do doutorado foi realizado junto ao Institut des Sciences de l´Environment da Université du Québec à Montréal, Canadá. Especialista em Mudanças Climáticas pelo INPE em 1999. Em 2001-2002, desenvolveu um programa de pós-doutorado em Harvard University, EUA estudando os impactos da variabilidade/mudanças climáticas sobre os recursos hídricos e hidroeletricidade. Atualmente é Professor Adjunto II atuando no Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT), da UNESP de São José dos Campos situado no Parque Tecnológico (PqTec) da cidade. No PqTec procurar desenvolver ações que busque aproximar pesquisadores e empresários para o desenvolvimento de projetos conjuntos. Atua ainda junto aos programas de pós-graduação multi-campus em Engenharia Civil e Ambiental e Engenharia Mecânica (área de concentração em Energia) ambos da UNESP. Coordena e participa de diversos projetos com apoio de agência de fomento à pesquisa e de empresas privadas com a participação de alunos de iniciação científica, mestrado e doutorado. As áreas de pesquisa incluem a avaliação e monitoramento de desastres naturais (escorregamento, inundação, processos erosivos), interação água superficial e subterrânea, relação entre mudanças climáticas e recursos hídricos, aplicação de geotecnologias (SIG, geoestatística e sensoriamento remoto) aos processos do meio físico e meio ambiente e a integração de SIG com modelos hidrológicos e modelos 3D. Atua como um dos gestores do acordo de cooperação técnica entre a UNESP e o CEMADEN (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais) para desenvolvimento de pesquisa para análise, monitoramento e mitigação de áreas suscetíveis a desastres naturais. Cooperou com a rede Euroclima Desertification, Land Degradation and Drought (DLDD) para a América do Sul (2012-2013). Desde 2010 é professor visitante no Center for Geographic Analysis (CGA), Harvard University desenvolvendo pesquisas para a integração de dados espaciais e temporais.

Carlos Afonso Nobre, Cemaden

Possui graduação em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (Dezembro de 1974) e doutorado em Meteorologia pelo Massachusetts Institute of Technology (Janeiro de 1983). Iniciou sua carreira profissional no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), em 1975. Atuou como pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais de 1983 a 2012. Exerceu funções de gestão e coordenação científicas e de política científica: Presidente da CAPES (Maio 2015-Maio 2016), Diretor do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais-CEMADEN (fevereiro a maio de 2015), Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI (Fevereiro 2011-Fevereiro 2015); Chefe do Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST-INPE) de 2008 a 2011 e Coordenador Geral do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC-INPE) de 1991 a 2003. E também coordenação de experimentos científicos, entre outros: coordenador científico do Experimento de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia (LBA) durante o período de 1996 a 2002, coordenador brasileiro do Anglo-Brazilian Climate Observations Study (ABRACOS) de 1990 a 1996; e coordenador brasileiro do Experimento AMAZALERT entre instituições européias e sul-americanas (2011-2014). Exerceu a presidência do International Advisory Group do Programa de Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PP-G7) (2006-2008). Foi representante do MCTI no Comitê Orientador do Fundo Amazônia.