Visão de formadores de um curso de Licenciatura em Química sobre Prática enquanto Componente Curricular

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OT2023v25.n.1.67785

Palavras-chave:

Prática como Componente Curricular. Formação de professores. Teoria e prática. Prática pedagógica.

Resumo

A formação inicial de professores nos cursos de licenciatura é pauta recorrente, face às constantes mudanças nos cenários que envolvem professores, alunos e o processo ensino e aprendizagem. Nesse alinhamento, a Prática enquanto Componente Curricular representa a possibilidade de diálogo com a prática docente durante o curso de licenciatura. Este artigo é o recorte da dissertação de mestrado Profissional em Educação e tem como questão de pesquisa: quais as concepções a respeito da prática como componente curricular apontadas pelo coordenador e docentes formadores do curso de licenciatura em Química? E, o objetivo é: conhecer as concepções que o coordenador e os professores formadores, do curso de licenciatura em Química, do Instituto X, têm sobre a Prática como Componente Curricular. A investigação enquadra-se na abordagem de natureza qualitativa, foi desenvolvida pelos procedimentos do estudo de caso e a produção da empiria deu-se por meio de entrevistas semiestruturadas. Os resultados apontaram que a Prática enquanto Componente Curricular possibilita contato com: a prática educativa; o desenvolvimento de atividades docentes; a articulação entre teoria e prática; o compartilhamento de experiências; a reflexão crítica sobre a própria prática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BISPO, J. G. de O.; SOARES, S. R. O papel da escola básica na formação inicial de professores: representações de docentes universitários. Educação Unisinos, v. 21, n. 1, p. 81-89, 2017. DOI: https://doi.org/10.4013/edu.2017.211.11244

BRASIL. Lei nº 9894 de 20 de dezembro de 1996 - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, (LDB). Diário Oficial da União: Brasília, dez./1996.

CATELLANI, G. V. O professor e a comunicação na sala de aula. PUCSP, 2013.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Conselho Pleno. Parecer CNE/CP 28/2001 de 02 de outubro de 2001. Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, estabelece duração e carga horária dos cursos de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União: Brasília, out./2001.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP 15/2002 de 19 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de Formação de Professores da Educação Básica em nível superior. Diário Oficial da União: Brasília, fev./ 2002.

DUARTE, R. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar em revista, n. 24, p. 213-225, 2004. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-4060.357

FERNANDES, C. M. B.; FERNANDES, S. R. de S. As questões da prática pedagógica como componente curricular nas licenciaturas. UNISINOS. In: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação – Grupo de Trabalho, v. 4, 2005. Disponível em:

https://anped.org.br › sites › files › gt04-1218-int

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática docente. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

GIROUX, H. Teoria crítica e resistência em educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 1986.

INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA. Sobre o campus. Panambi, 30 de março de 2016. Disponível em: <https://www.iffarroupilha.edu.br/institucional-pb>. Acesso em: 01 out. 2020.

LUDKE, M. ANDRE, M. E. D. A. A Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MINAYO, M. C. S.; DESLANDES, S. F. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

NONENMACHER, S. E. B. Contribuições da prática profissional integrada na formação inicial de professores. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2014. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. Lisboa: Editora,1992.

PESCE, M. K.; ANDRÉ, M..; HOBOLD, M. S. Formação docente e sustentabilidade: um olhar transdisciplinar. XI Congresso Nacional de Educação. In: Anais [...] – EDUCERE. II Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação – SIRSSE/IV Seminário Internacional sobre Profissionalização Docente – SIPD UNESCO. Curitiba, PR: Champagnat, p.1-14, 2013.

REIS, G. A. de S. V. dos; OSTETTO, L. E. Compartilhar, estudar, ampliar olhares: narrativas docentes sobre formação continuada. Educação e Pesquisa, v. 44, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/S1678-4634201844180983

SANTOS, A.; CERTARO, P. M. R.; LUSARDO, C. C. L. Professor reflexivo: gênese e implicações atuais. Simpósio Educação e Espaço, I, 2007. Disponível em:

https://docplayer.com.br/9548642-Professor-reflexivo-genese-e-implicacoes-atuais.html

SARTORI, J. Formação do professor em serviço: da (re) construção teórica e da ressignificação da prática. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2009. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/16914

SILVA, L. H. de A.; SCHNETZLER, R. P. A mediação pedagógica em uma disciplina científica como referência formativa para a docência de futuros professores de biologia. Ciência & Educação (Bauru), v. 12, n. 1, p. 57-72, 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-73132006000100006

SILVA, R. M. G.; SCHNETZLER, R. P. Concepções e ações de formadores de professores de Química sobre o estágio supervisionado: propostas brasileiras e portuguesas. Química Nova, v. 31, n. 8, p. 2174-2183, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-40422008000800045

SILVA, R. M. G.; SCHNETZLER, R. P. Constituição de professores universitários de disciplinas sobre ensino de Química. Química Nova, v. 28, n. 6, p. 1123-1133, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-40422005000600030

WOUTERS, E.; PIRES, F. L. B. Verbos Siameses: amar e ensinar. In: PIRES, F. L. B.; FONTOURA, A. R. K.; SOARES, C. S. L. Compartilhando Saberes e Práticas Reflexivas na Formação Docente: da singularidade à pluralidade. Novas Edições Acadêmicas, p. 51-63, 2019.

WOUTERS, E.; PIRES, F. L. B. Ensinando angiospermas para o Ensino Fundamental: metodologias para uma aprendizagem significativa. In: Mostra de Produção Universitária, 19, 2020, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, Anais.

Downloads

Publicado

2023-05-11

Como Citar

SARTORI, J.; WOUTERS SILVA, E. Visão de formadores de um curso de Licenciatura em Química sobre Prática enquanto Componente Curricular. Olhares & Trilhas, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 1–20, 2023. DOI: 10.14393/OT2023v25.n.1.67785. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/67785. Acesso em: 19 maio. 2024.