Os hagiônimos como motivação de nomes de lugares

o que revelam os dados da toponímia paranaense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex11-v6n1a2020-9

Palavras-chave:

Toponímia, Hagiotopônimos, Paraná, Religiosidade

Resumo

O estudo dos topônimos (nomes de lugares) de uma localidade pode evidenciar características sociais e ambientais do lugar e de seus habitantes. Os hagiotopônimos (topônimos motivados pelo nome de santos e santas do hagiológio romano), por exemplo, podem evidenciar aspectos da devoção do denominador aos santos católicos materializada no sistema toponímico de uma área geográfica. Este texto discute topônimos de natureza religiosa na toponímia paranaense, tomando por base resultados da pesquisa de Ananias (2018). Os hagiotopônimos analisados foram coletados dos mapas oficiais da malha municipal do estado do Paraná disponibilizados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de Curitiba/Paraná com escalas que variam entre 1:50.000 ou 1:100.000 (2010), perfazendo um montante de 7.654 hagiotopônimos. Descontadas as repetições, foram identificados 304 nomes distintos de santos do hagiológio romano, na toponímia paranaense. O estudo demonstrou, dentre outros aspectos, a possibilidade de resgate de valores religiosos de grupos sociais por meio da pesquisa toponímica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Carolina Chierotti dos Santos Ananias, Universidade Estadual de Londrina

Doutora em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina.

Aparecida Negri Isquerdo, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Doutora em Letras (Linguística e Língua Portuguesa) pela UNESP/Araraquara. Docente permanente na Pós-Graduação stricto sensu da UFMS – Estudos de Linguagens/CCHS (Mestrado) e Letras/CPTL (Mestrado e Doutorado).

Referências

ANANIAS, A. C. C. dos S. Marcas de Religiosidade na Toponímia Paranaense. 2018. 398f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem), Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2018.

ATTWATER, D. Dicionário de Santos. Tradução Maristela R. A. Marcondes. 2ª ed. São Paulo: Art Editora, 1991.

BALHANA, A. P. et al. História do Paraná. 2. ed. Curitiba: Gráfica Editora Paraná Cultural Ltda, 1969.

CARDOSO, J. A.; WESTPHALEN, C. M.. Atlas histórico do Paraná. Curitiba: Chain Editora, 1986.

COLODEL, J. A. Cinco séculos de História. In: SILVA, G. H. da; BULHÕES, Ronaldo; PERIS, A. F. (org.). Mesorregião Oeste Paranaense: diagnóstico e perspectivas. Cascavel: Edinuoeste, 2002, p. 05 - 47.

DICK, M. V. de P. do A. A motivação toponímica e a realidade brasileira. São Paulo: Edições Arquivo do estado de São Paulo, 1990a.

DICK, M. V. de P. do A. Toponímia e Antroponímia no Brasil: Coletânea de estudos. 2ª ed. São Paulo: FFLCH/USP, 1990b.

DICK, M. V. de P. do A. Métodos e questões terminológicas na Onomástica. Estudo de caso: o Atlas Toponímico do estado de São Paulo. Investigações: Lingüística e Teoria Literária, Recife, UFPE, v. 9, p. 119-148, 1999.

DICK, M. V. de P. do A. Rede de conhecimento e campo lexical: hidrônimos e hidrotopônimos na onomástica brasileira. In: ISQUERDO, A. N.; KRIEGER, M. da G. (org.). As Ciências do léxico. Lexicologia, Lexicografia, Terminologia v. II. Campo Grande: Editora UFMS, 2004. p.121-130.

DICK, M. V. de P. do A. Etnia e etnicidade. Um outro modo de nomear. Projetos ATESP/ATB. In: ISQUERDO, A. N.; FINATTO, M. J. B. (org.). As ciências do léxico. Lexicologia, Lexicografia, Terminologia. Campo Grande (MS): Editora UFMS; Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2010. p. 177-197.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo de 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/apps/mapa/. Acesso em: 10 out. 2020.

ISQUERDO, A. N. A motivação na toponímia: algumas reflexões. In: SELLA, A. F.; CORBARI, C. C.; BIDARRA, J. (org.). Pesquisas sobre léxico: reflexões teóricas e aplicação. Campinas-SP: Pontes Editora, 2012. p. 81-96.

MAEDA, R. M. A. A toponímia sul-mato-grossense: um estudo dos nomes de fazendas. 2006. 276f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Universidade Estadual Paulista – Campinas, 2006.

MEGALE, N. B. O livro de ouro dos santos: vidas e milagres dos santos mais venerados no Brasil. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.

MOLINA DIAZ, F. De los hagiónimos a los hagiotopónimos: la toponimia como instrumento para la historia religiosa. Indivisa, Boletin de Estudios e Investigación [en linea], nº 14, p. 30-43, 2014. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=77130564002. Acesso em: 10 out. 2020.

SANTIDRÍAN, P. R.; ASTRUGA, M. del C. Dicionário dos Santos. Tradução: Elizabeth dos Santos Reis. São Paulo: Editora Santuário, 2004.

WACHOWICZ, R. História do Paraná. 10ª. ed. Curitiba: Imprensa Oficial do Paraná, 2002.

Downloads

Publicado

26-10-2020

Como Citar

Ananias, A. C. C. dos S. ., & Isquerdo, A. N. . (2020). Os hagiônimos como motivação de nomes de lugares: o que revelam os dados da toponímia paranaense. Revista GTLex, 6(1), 147–166. https://doi.org/10.14393/Lex11-v6n1a2020-9