A vegetação em evidência na toponímia baiana: os Fitotopônimos no Território de Identidade 23 - da Bacia do Rio Corrente

os Fitotopônimos no Território de Identidade 23 - da Bacia do Rio Corrente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex-v7a2021/22-13

Palavras-chave:

Onomástica, Toponímia, Fitotopônimo, Território de Identidade 23, Bacia do Rio Corrente

Resumo

O presente artigo apresenta uma análise dos fitotopônimos encontrados na hidronímia do Território de Identidade 23- Bacia do Rio Corrente. A língua inspira novos caminhos e desempenha, em toda a sociedade, um papel influente, com o intuito de transmitir pensamentos e emoções. A partir da palavra, o homem nomeia e identifica a realidade das coisas que existem. Dessa forma, investigar os recursos lexicais de um grupo contribui para entender a realidade e o aspecto que seus componentes estruturam o mundo que os rodeia. A investigação do léxico toponímico integra o objeto de estudo da Toponímia, um dos ramos da Onomástica, ciência que estuda as designações próprias. Enquanto a Toponímia se dedica ao estudo dos nomes próprios de lugares, a Antroponímia tem por base o estudo dos nomes próprios de pessoas. O presente artigo apresenta uma análise toponímica, cuja finalidade é o exame da origem e do significado dos fitotopônimos encontrados na hidronímia do território supracitado, tendo como intuito promover a elaboração do Atlas Toponímico da Bahia (ATOBAH), um dos projetos do Núcleo de Estudos Lexicais (NEL), com vistas a propiciar as informações a respeito da constituição cultural da localidade apresentada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rebeca Carrilho, UNEB

Mestra em Linguagens, Discurso e Sociedade pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem da Universidade do Estado da Bahia- PPGEL/UNEB.

Celina Márcia de Souza Abbade, UNEB

Doutora em Letras pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora Plena da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Referências

CUNHA, A. G. da. Dicionário etimológico da língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2010.

DAUZAT, A. Les noms de lieux. Paris: Librairie Delagrave, 1926

DICK, M. V. de P. do A. A motivação toponímica e a realidade brasileira. São Paulo: Edições Arquivo Estado de São Paulo, 1990a.

DICK, M. V. de P. do A. O sistema onomástico: bases lexicais e terminológicas, produção e freqüência. In: PIRES DE OLIVEIRA, A. M. P; ISQUERDO; A. N. (org.). As ciências do léxico. Lexicologia, Lexicografia e Terminologia. 2. ed. Campo Grande: UFMS, 2001.

FERREIRA, A. B. de H. Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 1a ed. 15. Impressão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1975.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S.; FRANCO, F. M. de M. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agropecuário 2008. Disponível em: Acesso em: 07/11/2021.

NAVARRO, E. de A. Dicionário de Tupi Antigo. A língua indígena clássica do Brasil. São Paulo: Global, 2013.

PDTS. Território de Identidade Bacia do Rio Corrente. 1 ed. 2010. Disponível em: http://sit.mda.gov.br/download/ptdrs/ptdrs_qua_territorio015.pdf

SAMPAIO, T. O Tupi na Geografia Nacional. 5ªed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1987.

SEABRA, M. C. T. C. de. Referência e onomástica. In: Múltiplas perspectivas em linguística: Anais do XI Simpósio Nacional e I Simpósio Internacional de Letras e Linguística (XI SILEL). Uberlândia: ILEEL, 2006. p. 1953-1960.

SEI - Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia. Municípios. s/d. Disponível em:

http://www.sei.ba.gov.br/index.php?option=com_wrapper&view=wrapper&Itemid=266. Acesso em: 19 ago. 2021.

ROSTAING, C. Les noms de Lieux. Paris: PressesUniversitaires de France, 1961.

TAVARES, M. C.; ISQUERDO, A. N. A Questão da Estrutura Morfológica dos Topônimos: Um Estudo na Toponímia Sul-Mato-Grossense. SIGNUM: Estud. Ling., Londrina, n. 9/2, p. 273-288, dez. 2006. DOI https://doi.org/10.5433/2237-4876.2006v9n2p273

Downloads

Publicado

21-10-2022

Como Citar

CARRILHO, R.; ABBADE, C. M. de S. A vegetação em evidência na toponímia baiana: os Fitotopônimos no Território de Identidade 23 - da Bacia do Rio Corrente: os Fitotopônimos no Território de Identidade 23 - da Bacia do Rio Corrente. Revista GTLex, [S. l.], v. 7, p. e0713, 2022. DOI: 10.14393/Lex-v7a2021/22-13. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/GTLex/article/view/65213. Acesso em: 4 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos