Copa do Mundo no Brasil: um espaço para a criação de neologismos

Autores

  • Benilde Socreppa Schultz
  • Marcia Sipavicius Seide Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex3-v2n1a2016-1

Palavras-chave:

Lexocologia, neologismo

Resumo

A palavra, definida como unidade lexical, pode ser considerada como o retrato de uma sociedade em seus diversos níveis de manifestação, pois, por ela e através dela, são representadas as mais variadas situações sociais e culturais. A realização de um evento nas proporções da Copa do Mundo no Brasil é um espaço que se configura ideal para a criação de novos itens lexicais, pois a inventividade e a alegria pelo evento realizado dá lugar à ludicidade, sobretudo na elaboração de novos neologismos. Para Alves (2014), o aspecto lúdico na criação de neologismos está presente em todos os gêneros discursivos, como o humorístico, literário, publicitário e jornalístico. Para este artigo, pesquisamos, durante o mês da realização da Copa do Mundo de 2014, os neologismos presentes em três revistas e jornais online: Globo Esporte, Revista Veja e Gazeta do Povo. A recolha dos dados revelou-se interessantíssima, desde o nome dado aos novos estádios, à nova bola, feita especialmente para a ocasião. Esse megaevento deu vasão a uma explosão de palavras com novas significações, neologismos talvez ocasionais, mas que caracterizam a capacidade inventiva do nosso povo e da língua como matriz de uma cultura. Ao denominar um estádio de futebol de Arena, cria-se um neologismo, pois o termo é latino, e segundo o Houaiss, trata-se de um espaço utilizado, desde os tempos romanos, para as disputas entre gladiadores e mais recentemente nas touradas. Examinaremos também o contexto e os processos das criações neológicas do corpus recolhido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Ieda. Maria. Neologismo

____. A observação sistemática da neologia lexical: subsídios para o estudo do léxico. In: ALFA. São Paulo, 50 (2): 2006, p. 131-144.

____. O sufixo

<http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/actas/article/view/14658/8310>. Acesso: 10 out. 2014.

____. Neologia e ludicidade: a construção de compostos lúdicos no português brasileiro. As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia, terminologia, vol. 7. 1ª. ed. Campo Grande: Ed. UFMS, 2014, v. 7, p. 117-128.

AULETE. Dicionário Aulete Digital. Disponível em: <http://www.aulete.com.br/>. Acesso em 10.out. 2014.

CAMPOS, Solange M. M. Malabarismos lexicais na literatura: os neologismos visitam a sala de aula. In: Anais do SIELP. Volume 2, Número 1. Uberlândia: EDUFU, 2012, p. 1-12. Disponível em: <http://www.ileel2.ufu.br/anaisdosielp/wp-content/uploads/2014/07/volume_

¬_artigo_277.pdf>. Acesso em: 15. ago. 2014.

GUILBERT, Louis. La créativité lexicale. Paris: Larousse, 1975.

HENRIQUES, Cláudio Cezar. Morfologia. Rio de Janeiro, Campus, 2007.

HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da Língua portuguesa. 2009. CD Room.

KLAJN, Ivan. Influssi inglesi nella lingua italiana. Firenze: Leo S. Olscki Editori, 1972.

LEWIS,M.Implementing the lexical approach.Putting theory into Practice.Boston, USA: Thompson Heinle Series.Language Teaching Publications, 2002, 224p.

MIGLIORINI, Bruno. Una lingua in margine alla lingua. In: BALDINI, Massimo (org.). Il linguaggio della pubblicità. Le fantaparole. Roma: Armando, 2003.

SABLAYROLLES, Jean-François. La néologie en français contemporain. In: Innovazione Lessicale e terminologie specialistiche. Firenze: Leo S. Olschli Editore, 2003.

SANDMANN, Antônio José. Morfologia lexical. São Paulo: Contexto, 1990.

AUTOR, DUR

Acesso em 21 nov 2016.

TRECCANI. Vocabolario Treccani. Disponível em <http://www.treccani.it/vocabolario/>. Acesso em 10 set. 2014.

Downloads

Publicado

13-06-2017

Como Citar

Socreppa Schultz, B., & Sipavicius Seide, M. (2017). Copa do Mundo no Brasil: um espaço para a criação de neologismos. Revista GTLex, 2(1), 7–30. https://doi.org/10.14393/Lex3-v2n1a2016-1

Edição

Seção

Artigos