Estudo da integração da unidade lexical “placenta” ao léxico português

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex-v8a2023/24-4

Palavras-chave:

Etimologia, Neologia, Terminologia da Biologia, Termo

Resumo

O objetivo deste estudo é descrever a integração da unidade lexical placenta na língua portuguesa, com vistas à elaboração do verbete placenta do Dicionário Histórico de Termos da Biologia (Maroneze; Rio-Torto, 2023). Para isso, trazemos uma discussão teórico-metodológica a respeito da Etimologia e da Neologia, entendendo que a integração de uma unidade lexical envolve a descrição do momento em que ela foi considerada um neologismo. Assim, descrevemos os empregos de placenta no latim da Antiguidade e no latim moderno e científico, mostrando como seu significado passou de “torta ou bolo achatado” para “órgão da gravidez”. Em seguida, analisamos as primeiras ocorrências da unidade na língua portuguesa, evidenciando seus empregos neológicos (no início do século XVIII), até o momento em que deixa de ser sentida como novidade, com a inserção em obras lexicográficas (fim do século XVIII) e a formação de derivados (séculos XIX e XX). Por fim, apresentamos o percurso diacrônico resumido e a proposta de verbete que integrará o referido dicionário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana da Silva Borges, UFMS

Pós-graduanda, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Bruno Oliveira Maroneze, UFGD

Professor Adjunto da Faculdade de Comunicação, Artes e Letras da Universidade Federal da Grande Dourados.

Referências

ALVES, I. M. Neologismo: criação lexical. 3 ed. São Paulo: Ática, 2007.

ALVES, I. M. O conceito de neologia: da descrição lexical à planificação linguística. Alfa, São Paulo, v. 40, 1996. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/3992. Acesso em: 20 set. 2023.

BARBOSA, M. A. Aspectos da dinâmica do neologismo. Língua e literatura, n. 7, 1978. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/linguaeliteratura/article/view/138126. Acesso em: 28 jul. 2023. DOI https://doi.org/10.11606/issn.2594-5963.lilit.1978.138126

BLUTEAU, R. Vocabulario Portuguez e Latino. (vol. T-Z) Lisboa Occidental: na Officina de Paschoal da Sylva, 1721. Disponível em: https://www.google.com.br/books/edition/Vocabulario_portuguez_latino/RwGCgmERezIC. Acesso em: 07 jun. 2023.

CÂMARA Jr., J. M. História e estrutura da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Padrão, 1976.

CATÃO, M. P. Da agricultura. Tradução, apresentação e notas: Matheus Trevizam. Campinas: Ed. Unicamp, 2016.

COLOMBO, R. De Re Anatomica libri XV. Venetiis: Ex typographia N. Beuilacquae, 1559. Disponível em: https://books.google.com.br/books?id=bOJlUzIWOowC. Acesso em: 15 ago. 2023.

FALLOPPIO, G. Observationes anatomicae. Coloniae: Apud haeredes Arnoldi Birckmanni, 1562. Disponível em: https://www.google.com.br/books/edition/Observationes_anatomicae/_gk8AAAAcAAJ. Acesso em: 16 ago. 2023.

FIGUEIREDO, C. de. Novo Diccionário da Língua Portuguesa. 4. ed. Lisboa: Portugal-Brasil Sociedade Editora, 1926.

GRÉCO, G. (dir.) Gaffiot 2016. Disponível em: https://gaffiot.fr. Baseado em: GAFFIOT, F. Dictionnaire Latin-Français. Paris: Hachette, 1934.

HELANDER, H. On neologisms in Neo-Latin. In: FORD, P.; BLOEMENDAL, J.; FANTAZZI, C. (ed.) Brill’s Encyclopaedia of the Neo-Latin World. Leiden: Brill, 2014. p. 37-54.

HENRIQUES, F. da F. Medicina Lusitana, Soccorro Delphico. Amsterdam: em caza de Miguel Diaz, 1731. Disponível em: https://www.google.com.br/books/edition/Medicina_Lusitana_soccorro_Delphico_a_os/SaliAAAAcAAJ. Acesso em: 16 ago. 2023.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. Grande dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Instituto António Houaiss, 2012. Disponível em: http://houaiss.uol.com.br. Acesso em: 16 ago. 2023.

KNIGHT, S; TILG, S. The Oxford Handbook of Neo-Latin. Oxford: OUP, 2015. DOI https://doi.org/10.1093/oxfordhb/9780199948178.001.0001

KRIEGER, M. da G.; FINATTO, M. J. B. Introdução à Terminologia: teoria e prática. São. Paulo: Contexto, 2004.

LIDDELL, H. G.; SCOTT, R.; JONES, H. S. A Greek-English Lexicon. Oxford University Press, 1940. Disponível em: https://stephanus.tlg.uci.edu/lsj/#eid=1. Acesso em: 28 jul. 2023.

MARONEZE, B. O.; ALVES, I. M. Neologia: histórico e perspectivas. Revista GTLex, [S.l.], v. 4, n. 1, p. 6–32, 2020. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/GTLex/article/view/55082. Acesso em: 5 jul. 2022. DOI https://doi.org/10.14393/Lex7-v4n1a2018-1

MARONEZE, B.; RIO-TORTO, G. A elaboração de um dicionário terminológico histórico com recursos digitais. Revista LaborHistórico, v. 9, n. 1, e52387, 2023. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/lh/article/view/52387/32319. Acesso em: 5 ago. 2023. DOI https://doi.org/10.24206/lh.v9i1.52387

MORAES SILVA, A. de. Diccionario da Lingua Portugueza composto pelo padre D. Rafael Bluteau. Lisboa: Na Officina de Simão Thaddeo Ferreira, 1789. Disponível em: https://www.google.com.br/books/edition/Diccionario_da_lingua_portugueza_Compost/jw35ZrdRyngC. Acesso em: 16 ago. 2023. DOI https://doi.org/10.14393/DL50-v16n2a2022-6

OXFORD Latin Dictionary. Oxford: Clarendon Press, 1968.

PIZZI, M.; FASSAN, M.; CIMINO, M.; ZANARDO, V.; CHIARELLI, S. Realdo Colombo’s De Re Anatomica: The renaissance origin of the term “placenta” and its historical background. Placenta, v. 33, n. 8, ago., p. 655-657, 2012. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0143400412001257. Acesso em: 15 ago. 2023. DOI https://doi.org/10.1016/j.placenta.2012.03.004

SANTUCCI, B. Anatomia do corpo humano…. Lisboa Occidental: na Officina de Antonio Pedrozo Galram, 1739. Disponível em: https://books.google.com.br/books/about/Anatomia_do_corpo_humano.html?id=D83JL7ybBeUC&redir_esc=y. Acesso em: 19 ago. 2023.

SCHMIDT, S. Tractatus de Paschate. Francofurti ad Moenum: Impensis Johannis Davidis Zunneri, 1685. Disponível em: https://www.google.com.br/books/edition/Tractatus_de_Paschate_altero_Veteris_Tes/RuBmAAAAcAAJ. Acesso em: 16 ago. 2023.

TILING, M. De Placenta Uteri Disquisitio Anatomica. Rinthelii: Impensis Thomae Henrici Hauensteinii, 1672. Disponível em: https://www.google.com.br/books/edition/Matthi%C3%A6_Tilingii_Med_U_Doct_Prof_Public/JH1VAAAAcAAJ. Acesso em: 16 ago. 2023.

TRÉSOR de la Langue Française informatisé. s/d. Disponível em: http://atilf.atilf.fr/. Acesso em: 20 set. 2023.

Verbete plăcintă. In: Wikipedia. The Free Encyclopedia. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Pl%C4%83cint%C4%83. Acesso em: 28 jul. 2023.

VIARO, Mário Eduardo. Etimologia. São Paulo: Contexto, 2011.

VIEIRA, D. Grande Diccionario Portuguez ou Thesouro da Lingua Portugueza. Quarto volume. Porto: Ernesto Chadron e Bartholomeu F. de Moraes, 1873.

Downloads

Publicado

21-09-2023

Como Citar

BORGES, L. da S.; MARONEZE, B. O. Estudo da integração da unidade lexical “placenta” ao léxico português. Revista GTLex, Uberlândia, v. 9, p. e0904, 2023. DOI: 10.14393/Lex-v8a2023/24-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/GTLex/article/view/70509. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos