Neologismos em áreas de especialidade

descrição baseada em um corpus de revistas femininas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex8-v4n2a2019-4

Palavras-chave:

Neologismo, Estrangeirismo, Empréstimo linguístico, Inovação Lexical, Criação lexical

Resumo

Os neologismos têm uma forte ligação com a inovação e a criatividade. Os mecanismos de criação e inovação permitem o surgimento de novos vocábulos e não raro este fenômeno surge primeiramente em áreas de especialidade para então passar a fazer parte do vocabulário comum, embora o contrário também ocorra. Este artigo busca descrever a produtividade neológica e, para isso, lançamos mão da análise semiautomática de um corpus de pesquisa, a fim de realizar uma descrição, classificação e quantificação da neologia (neologismo, estrangeirismo e empréstimo linguístico) em relação às áreas de especialidade, tomando como base no corpus de pesquisa composto por revistas voltadas para o público feminino. Como resultado da pequisa, destacamos  que o fenômeno linguístico mais produtivo em termos absolutos na amostra estudada foi o estrangeirismo com 58% do total. Por sua vez, encontramos um número reduzido de empréstimos linguísticos, perfazendo 4% do total da amostra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, I. M. A Integração dos Neologismos por Empréstimo ao Léxico Português. Alfa, São Paulo, v. 28, n. 2, p. 119-126, 1984. Trimestral.

ALVES, I. M.. Neologismo Criação lexical. 3. ed. São Paulo: Ática, 2007. 93 p. (Princípios).

BALVERDU, A. M. Comunidade booktube como alternativa de incentivo à leitura. 2014. 53 f. Monografia (Especialização) – Curso de Biblioteconomia, Ciências de Informação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/112194. Acesso em: 22 abr. 2020.

BASÍLIO, M. Formação e Classe de Palavras no Português do Brasil. São Paulo: Editora Contexto, 2011. 87 p.

BOULANGER, J. -C. Néologie et terminologie. Néologie en Marche, v. 4, p. 5-128. 1979.

BRANCO, S. O. Diferenciais de poder e o empréstimo linguístico em traduções no Brasil. Antares: Letras e Humanidades, Campina Grande, v. 3, n. 6, p. 236-250, jul. 2011. Semestral.

CARVALHO, N. M. A criação neológica. Trama, Marechal Rondon, v. 2, n. 4, p. 191-203, jul. 2006. Quadrimestral.

CARVALHO, N. M. Empréstimos linguísticos na língua portuguesa. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2009. 96 p.

CORREIA, M. Criatividade e inovação terminológica. Novos desafios. Colóquio Internacional: A neologia científica: balanço e perspectivas. União Latina. 2003. 12 p. Disponível em: http://www.iltec.pt/pdf/wpapers/9998-mcorreia-criatividade_inovacao_terminologica.pdf. Acesso em: 21 abr. 2020.

FARACO, C. A. Linguística histórica: Uma introdução ao estudo da história das línguas. São Paulo: Parábola, 2007. 216 p.

FREITAS, R. Criação lexical: a produtividade da neologia semântica na fala do brasileiro. Travessias: Pesquisas em educação, cultura, linguagem e artes, Cascavel, v. 2, n. 2, p. 1-11, 2008. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/3044/2390. Acesso em: 15 mar. 2019.

GRECO, M. Conteúdo digital dobra a cada dois anos no mundo: Se todo conteúdo digital do mundo fosse armazenado em iPads, eles formariam uma pilha com altura igual a dois terços da distância entre a Terra e a Lua. Exame, São Paulo, p. 1-10, 9 abr. 2014. Disponível em: https://exame.com/tecnologia/conteudo-digital-dobra-a-cada-dois-anos-no-mundo/. Acesso em: 29 jun. 2020.

LEECH, G. Principles and applications of corpus linguistics. In: VIANA, V.; ZYNGIER, S.; BARNBROOK, G. (org.). Perspectives on corpus linguistics. Amsterdam/ Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, 2011. Cap. 10. p. 155-170.

LYONS, J. Semantics 1. Cambridge: Cambridge University Press, 1977. 385 p.

MORATO, R. M. A. Neologismos e desenvolvimento da competência lexical, a partir de Querô, uma reportagem maldita. Universidade Federal de Minas Gerais. 2012. 101 p.

SAUSSURE, F. Curso de Linguística Geral. 28. ed. São Paulo: Cultrix, 2007. 278 p.

SCHER, A. P. Formas Truncadas em Português brasileiro e Espanhol Peninsular: Descrição Preliminar. Revel. Ed. 5., 276 p., 2011. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/artigos/revel_esp_5_formas_truncadas_em_portugues_brasileiro_e_espanhol_peninsular.pdf. Acesso em: 30 mar. 2018.

Downloads

Publicado

04-08-2020

Como Citar

Oliveira, E. F. R. de, & Minussi, R. D. . (2020). Neologismos em áreas de especialidade: descrição baseada em um corpus de revistas femininas. Revista GTLex, 4(2), 299–316. https://doi.org/10.14393/Lex8-v4n2a2019-4