Neologia, cognição e comunicação

aspectos conceptuais e linguísticos dos termos da área de Currículo Escolar em Educação Profissional Técnica de Nível Médio organizado por competências

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex7-v4n1a2018-9

Palavras-chave:

Neologia, Terminologia, Cognição, Comunicação, Currículo Escolar em Educação Profissional Técnica de Nível Médio

Resumo

Currículo Escolar em Educação Profissional Técnica de Nível Médio, nossa área-tema, é definido como ´o esquema teórico-metodológico que direciona o desenvolvimento de formações profissionais técnicas de nível médio, conforme as demandas sociais, que incluem as demandas produtivas e laborais´. Objetivamos discutir aspectos relacionados a neologia, cognição e comunicação relativos aos termos da área-tema, com a análise de textos brasileiros autênticos, escritos, de natureza legal, institucional e pedagógica, que compõem corpus produzido entre 2000 e 2016. Daremos ênfase à função neológica, que se refere à propriedade dos termos de materializarem linguisticamente novos conceitos, ligada à terminologização (a transposição do nível conceptual para o nível linguístico). A função neológica é evidenciada em composições sintagmáticas, conforme seu caráter de lexicalização inacabada, como em matriz curricular; perfil de competências; currículo por competências. A função neológica permite a criação de novos termos (neologia), no eixo sintagmático, como competência, com o qual criam-se outros termos, compostos: competências profissionais, competências gerais, competências laborais. Esses termos novos formados por composição no eixo horizontal da frase são denominados neologismos sintagmáticos, os quais são muito frequentes nas novas terminologias. A função neológica caracteriza também termos simples, formados por apenas um item lexical, a exemplo de função, que se constitui em neologismo semântico, pela atribuição de um novo significado a um significante já presente na língua – nesse caso, a novidade (ou neo) está no significado novo, não em uma forma ou composição novos. Utilizamos princípios das Teorias Sociocognitiva e Comunicativa da Terminologia, valorizando aspectos cognitivos e comunicativos dos termos, além da criatividade lexical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, I. M. Um estudo sobre a neologia lexical: os microssistemas prefixais do português contemporâneo. 2000. 380f. Tese (Livre-Docência – Letras Clássicas e Vernáculas) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

ALVES, I. M. Neologismo: criação lexical. 3. ed. São Paulo: Ática, 2007. (Princípios, 191).

BARBOSA, M. A. Etno-terminologia e terminologia aplicada: objeto de estudo, campo de aplicação. In: ISQUERDO, A. N.; ALVES, I. M. (org.). As Ciências do Léxico: lexicologia, lexicografia, terminologia, v. 3. Campo Grande: Ed. UFMS; São Paulo: Humanitas, 2007. p. 433-445.

BARROS, L. A. Curso básico de Terminologia. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004. 285 p. (Coleção Acadêmica, 54).

BRASIL/ MEC (Ministério da Educação). Educação profissional: referenciais curriculares nacionais da educação profissional de nível técnico (Introdução). Brasília:

MEC, 2000. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf1/introduc.pdf. Acesso em: 12 maio 2019.

CABRÉ, M. T. La terminología: teoría, metodología, aplicaciones. Barcelona: Editorial Antártida/ Empúries, 1993.

CABRÉ, M. T. La terminología: representación y comunicación: elementos para una teoría de base comunicativa y otros artículos. Barcelona: Institut Universitari de Lingüística aplicada/ Universitat Pompeu Fabra, 1999.

DEMAI, F. M. Processos de terminologização: descrição e análise da neologia da área de Educação do Campo. 2014. 417 f. Tese (Doutorado em Letras: Filologia e Língua Portuguesa) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8142/tde.../2014_FernandaMelloDemai_VOrig.pdf

GUILBERT, L. La formation du vocabulaire de l´aviation. Paris: Librairie Larousse, 1965.

GUILBERT, L. Théorie du néologisme. In: Cahiers de l'Association internationale des études francaises, 1973, n° 25. pp. 9-29. DOI https://doi.org/10.3406/caief.1973.1020. Disponível em: http://www.persee.fr/web/revues/home/prescript/article/caief_0571-5865_1973_num_25_1_1020. Acesso em: 5 maio 2014.

LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Metaphors we live by. Chicago; London: University of Chicago Press, 2003 [1980]. DOI https://doi.org/10.7208/chicago/9780226470993.001.0001

SCOTT, M. WordSmith Tools version 7, Stroud: Lexical Analysis Software. 2017. [versão mais recente consultada]. Disponível em: http://www.lexically.net/publications/citing_wordsmith.htm. Acesso em: 24 jun. 2018.

TEMMERMAN, R. Sociocognitive Terminology Theory. In: CABRÉ, M. T.; FELIU, J. (ed.). Terminología y cognición II. Simposio Internacional de Verano de Terminología (13-16 de julio de 1999) Barcelona: Institut Universitari de Lingüística Aplicada. Universitat Pompeu Fabra, 2001. 98 p.

TEMMERMAN, R. Metaphorical models and the translator’ s approach to scientific texts. Antverpiensia New Series – Thems in Translation Studies. N. 1, 2002. ISSN 22955739. Disponível em: https://lans-tts.uantwerpen.be/index.php/LANS-TTS/index. Acesso em: 6 out. 2018.

Downloads

Publicado

03-03-2020

Como Citar

Demai, F. M. (2020). Neologia, cognição e comunicação: aspectos conceptuais e linguísticos dos termos da área de Currículo Escolar em Educação Profissional Técnica de Nível Médio organizado por competências. Revista GTLex, 4(1), 177–200. https://doi.org/10.14393/Lex7-v4n1a2018-9

Edição

Seção

Artigos