O dicionário e as práticas pedagógicas

Autores

  • Flávia de Oliveira Maia-Pires Universidade de Brasília - UnB
  • Michelle Machado de Oliveira Vilarinho Universidade de Brasília - UnB

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex2-v1n2a2016-6

Palavras-chave:

Dicionário, Lexicografia, Ensino de línguas

Resumo

Esta pesquisa apresenta o dicionário como recurso indispensável aos professores de língua, a fim de que sejam exploradas as possibilidades de uso. Para coleta de dados, entrevistas foram feitas com estudantes de Letras da Universidade de Brasília, a fim de identificar o conhecimento que eles possuíam sobre os dicionários e o modo como usariam os repertórios lexicográficos, como consulentes ou professores de línguas. Os resultados relevaram que os estudantes ainda desconhecem o modo como o dicionário pode ser empregado em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia de Oliveira Maia-Pires, Universidade de Brasília - UnB

Doutora em Linguística pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade de Brasília - PPGL/UnB. Mestre pela Universidade de Brasília. Graduada em Letras - Português do Brasil como Segunda Língua. Pesquisadora do Centro de Estudos Lexicais e Terminológicos (Centro LexTerm) da UnB. Linha de pesquisa: Linguagem: Teoria e Descrição, Léxico e Terminologia. Coordenadora do Curso de Letras - Português como Segunda Língua - UnB. Tem experiência na área de Linguística e Língua Português, atuando, principalmente, nos seguintes temas: Língua Portuguesa, Lexicologia, Lexicografia, Terminologia, Terminografia e Português do Brasil como Segunda Língua. Professora do Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas - LIP- da Universidade de Brasília. 

Michelle Machado de Oliveira Vilarinho, Universidade de Brasília - UnB

Doutora e mestre em Linguística pela Universidade de Brasília (UnB); licenciada em Letras Português do Brasil como Segunda Língua pela UnB; professora adjunta 2 do Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas da UnB; pesquisadora do Centro de Estudos Lexicais e Terminológicos (Centro LexTerm) da UnB e coordenadora de tutoria do curso de Letras EaD da UnB. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, Linguística, Lexicologia, Lexicografia e Terminologia

Referências

ALVES, I. M. Os conceitos de neologia e neologismo segundo as obras lexicográficas, gramaticais e filosóficas da língua portuguesa. In: NUNES, J. H.; PETTER, M. (Orgs.). História do saber lexical e constituição de um léxico brasileiro. São Paulo, SP: Humanitas, FFLCH-USP e Pontes, 2002.

ANTUNES, I. Lutar com as palavras: coesão e coerência. São Paulo: Parábola, 2005.

BORBA, F. da S. Organização de dicionários: uma introdução à lexicografia. Editora UNESP. São Paulo, 2003.

BRASIL, MEC/SEF. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: SEF/MEC, 1997.

BRASIL. MINIST

CARVALHO, O. L. de S. Dicionários escolares: definição oracional e texto lexicográfico. In.: CARVALHO, O. L. de S e BAGNO, M. (orgs.) Dicionários escolares: políticas, formas & usos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

CHAFE, W. Significado e estrutura linguística. Tradução de Maria Helena de Moura Neves, Odette Gertrudes Luiza Altamann de Souza Campos, Sonia Veasey Rodrigues. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1979.

CORR

FAULSTICH, E. Avaliação de dicionários: uma proposta metodológica. Organon (UFRGS), v. 25, p. 181-220, 2011.

FAULSTICH, E. Como ler, entender e redigir um texto. 22 ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

FAULSTICH, E. Para gostar de ler um dicionário. In: RAMOS, C. de M. de A; BEZERRA, J. de R. M.; ROCHA, M. de F. S.. (Org.). Pelos caminhos da Dialetologia e da Sociolinguística: entrelaçando saberes e vidas. 1. ed. São Luís: UFMA, 2010, v. 1, p. 166-185.

FERREIRA, A. B. de H. Novo dicionário Aurélio. 7. ed. Versão 7.0. Dicionário eletrônico. Curitiba: Positivo. 1 CD-ROM, 2010.

GEIGER, P (org.). Caldas Aulete : Dicionário escolar da língua portuguesa; ilustrado com a turma do Sítio do Pica-Pau Amarelo. 3 ed. São Paulo: Globo, 2011.

GOMES, P. V. N. Aquisição lexical e uso do dicionário escolar. In. CARVALHO, O. L. de S. e BAGNO, M. (orgs.) Dicionários escolares: políticas, formas & usos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

GOMES, P. V. N. O processo de aquisição lexical na infância e a metalexicografia do dicionário escolar. (tese de doutorado) Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

HAENSCH, G. Aspectos prácticos de la elaboración de diccionarios. In: ______.; WOLF; Lothar; ETTINGER, Stefan; WERNER, Reinhold. La lexicografía: de la lingüística teórica a la lexicografía práctica. Madrid: Gredos, 1982. p. 395-534.

HAENSCH, G. Los diccionarios del español en el umbral del siglo XXI. 1 ed. Salamanca: Ediciones Universidad de Salamanca, 1997.

HOUAISS, A. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Versão 3.0. São Paulo: Objetiva, 2009.

KRIEGER & RANGEL In: XATARA, C. Dicionários na teoria e na prática: como e para quem são feitos, DE XATARA, C., BEVILACQUA, C. R. E HUMBL

LARA, I. A. Aspectos de lexicografía teórica. Granada: Gredos, 1989.

LAUFER, B. What is in a word that makes it hard ou easy: some intralexical factors that affect the learning of word. N SCHIMITT; MACHATHY M. Vocabulary, description, acquisitiona and pedagogy. CUP, Cambridge, 1997.

MAIA-PIRES, F. de O . Proposta de dicionário de aprendizagem: descrição de alguns verbos no contexto do português do brasil como segunda língua. 2015. 206 p. Tese (Doutorado em Linguística)

MAIA-PIRES, F. de O.; VILARINHO, M. M de O. O estudo do léxico no Curso de Letras EaD da UnB. In. VIEIRA, J. A; SILVA, F. C da. (orgs). O que a distância revela: reflexões da professores e estudantes do curso de Letras

OLIVEIRA, A. M. P. P. e ISQUERDO, Aparecida N. (org.) As Ciências do Léxico: Lexicologia, Lexicografia, Terminologia. Campo Grande, MS: Editora UFMS. 1998; 2.ed. 2001.

RANGEL, E. de O. Dicionários escolares e políticas públicas em educação: a relevância da

STREHLER, R. G. As marcas de uso nos dicionários. In: OLIVEIRA, A. M. P. P.; ISQUERDO. A. N. (Org.) As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia, terminologia. Campo Grande: Ed. UFMS, 1998. p. 171-180.

VIGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo. Martins Fontes, 1993.

VILARINHO, Michelle Marchado de Oliveira. Proposta de dicionário informatizado analógico de língua portuguesa. Tese (doutorado) - Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2013. Disponível em: < http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/15142/1/2013_MichelleMachadoOliveiraVilarinho.pdf>. Acessado em: 20 de jun. 2014.

Downloads

Publicado

26-12-2016

Como Citar

Maia-Pires, F. de O., & Vilarinho, M. M. de O. (2016). O dicionário e as práticas pedagógicas. Revista GTLex, 1(2), 326–344. https://doi.org/10.14393/Lex2-v1n2a2016-6

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)