Cartografia geomorfológica e a compartimentação das formas do relevo em área de manancial Peri urbano na borda Nordeste da bacia sedimentar do Paraná

Conteúdo do artigo principal

Carlos Wilmer Costa
Reinaldo Lorandi
Thomaz Alvisi de Oliveira
José Augusto de Lollo

Resumo

Estudos geomorfológicos em bacias hidrográficas são abundantes, porém, poucos são voltados para bacias periurbanas em que a produção de água é um serviço ecossistêmico relevante e de interesse público. Na bacia hidrográfica do Ribeirão do Feijão (243,16 km²), localizada na região central do Estado de São Paulo, entre as coordenadas geográficas 22°02'4", 22°13'14" S e 47°42'46", 47°54'14" W, a qual foi esculpida em terrenos sedimentares da Bacia Sedimentar do Paraná, um grande volume de água pode deixar de infiltrar e recarregar aquíferos e nascentes, em decorrência de significativa degradação ambiental oriunda do uso incorreto do solo. Na perspectiva do planejamento territorial, é patente a necessidade de estudos que compartimentem a bacia em unidades menores para que se possa verificar áreas de maior alteração das condições naturais. Diante disso, o objetivo deste trabalho é estabelecer a compartimentação geomorfológica, em escala de 1:50.000, e a integração de informações geoambientais variadas a fim de subsidiar possíveis tomadas de decisão na bacia. Os procedimentos fundamentaram-se na proposta de Ross (1992). A compartimentação das unidades geomorfológicas foi produto de modelagem tridimensional realizada em ambiente de Sistemas de Informações Geográficas (SIG) a partir da sobreposição do Modelo Digital de Elevação (MDE), o relevo sombreado, declividades, tipos de solos e rochas. Foram identificados diferentes níveis taxonômicos, o mais representativo ocorre no 4° táxon, onde foram identificadas nove unidades de formas do relevo específicas para a bacia. As maiores alterações nas condições morfogênicas naturais da bacia, são ilustradas pelas ravinas e voçorocas identificadas no 6° táxon, que ocorrem no domínio dos Morros Areno-Argilosos de Topos Convexos Altos. É nesta forma do relevo que estão concentradas o maior número de nascentes, o que expressa a prioridade de contingenciamento dos processos erosivos acelerados nesta área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
COSTA, C. W.; LORANDI, R.; OLIVEIRA, T. A. de; DE LOLLO, J. A. Cartografia geomorfológica e a compartimentação das formas do relevo em área de manancial Peri urbano na borda Nordeste da bacia sedimentar do Paraná. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 70, n. 4, p. 1257–1288, 2018. DOI: 10.14393/rbcv70n4-46141. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/46141. Acesso em: 26 nov. 2022.
Seção
Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)