GEOPROCESSAMENTO PARA CARTOGRAFIA DO ALOGRUPO ALTO RIO PARANÁ (SP, PR E MS)

Conteúdo do artigo principal

Alethéa Ernandes Martins Sallun
Kenitiro Suguio
William Sallun Filho

Resumo

Técnicas de geoprocessamento foram utilizadas para mapear a distribuição de depósitos quaternários que compõem o Alogrupo Alto Rio Paraná, na Bacia Hidrográfica do Alto Rio Paraná (SP, PR e MS). Através do cruzamento de dados obtidos em levantamento de campo, produtos de sensoriamento remoto e de cartas temáticas, utilizando Sistema de Informação Geográfica (SIG), foram identificadas as características morfoestratigráficas desta unidade aloestratigráfica e suas relações com superfícies erosivas. As áreas de ocorrência do Alogrupo Alto Rio Paraná puderam ser, pela primeira vez, cartografadas em âmbito regional. As ocorrências de estruturas tectônicas regionais de diferentes unidades litoestratigráficas da Bacia do Paraná e de espessas coberturas coluviais da Aloformação Paranavaí e aluviais da Aloformação Paraná são responsáveis pela compartimentação do relevo. A maior parte da região é composta de colinas amplas condicionadas pelas maiores espessuras de depósitos coluviais da Aloformação Paranavaí, resultando em regiões de menor declividade e rugosidade com vertentes mais extensas em área. Os dados obtidos poderão fornecer subsídios para decisões futuras sobre a ocupação antrópica, uma vez que os depósitos sedimentares quaternários da região do Alto Rio Paraná têm alta suscetibilidade à erosão e a contaminações antrópicas de solo e água subterrânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
SALLUN, A. E. M.; SUGUIO, K.; SALLUN FILHO, W. GEOPROCESSAMENTO PARA CARTOGRAFIA DO ALOGRUPO ALTO RIO PARANÁ (SP, PR E MS). Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 59, n. 3, 2009. DOI: 10.14393/rbcv59n3-44896. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44896. Acesso em: 20 jul. 2024.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Alethéa Ernandes Martins Sallun, Instituto Geológico

Possui graduação em Geologia (1999), Mestrado (2003) e Doutorado (2007) em Geociências (Geologia Sedimentar), pela Universidade de São Paulo. Atua como Pesquisadora Científica do Instituto Geológico (IG) da Secretaria do Meio Ambiente (SP) desde 2006, desenvolvendo estudos em Geologia do Quaternário, Geologia Sedimentar e Mudanças Globais. Durante os últimos 15 anos, desde a graduação, têm se dedicado ao estudo da Geologia do Cenozóico da América do Sul, resultando em diversos trabalhos publicados em periódicos arbitrados, livros, eventos científicos e capítulos de livro.

Kenitiro Suguio, Universidade de São Paulo

Dr. Kenitiro Suguio é Professor Emérito pelo Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo, onde permanece como um professor, orientador e escritor em Geologia Sedimentar. Possui graduação em Curso de Geologia da Fac Filos Ciencias e Letras pela Universidade de São Paulo (1962) e doutorado em Curso de Geologia da Fac Filos Ciencias e Letras pela Universidade de São Paulo (1968). Durante os últimos 25 anos é um ativo participante dos projetos IGCP e IGBP em Geologia do Quaternário. Ele recebeu em 1993 o Prêmio Jabuti (Área de Ciências Naturais e Medicina) da Câmara Brasileira do Livro, e em 1998 a Comenda da Ordem Nacional de Mérito Científico do Ministério da Ciência e Tecnologia. Ele é também Professor Titular da Universidade de São Paulo e do CEPPE (Centro de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão) da Universidade Guarulhos (SP).

William Sallun Filho, Instituto Geológico

Geólogo pela Universidade de São Paulo em 1996. Mestre em Geociências na área de Paleontologia (Geologia Sedimentar) pela Universidade de São Paulo em 1999. Doutor em Geociências na área de Geoquímica e Geotectônica pela Universidade de São Paulo em 2005. Pesquisador científico no Instituto Geológico da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Paleontologia do Pré Cambriano e Geologia de terrenos cársticos.