BASE DE DADOS EM SIG APLICADA À MODELAGEM AMBIENTAL EM RECIFES DE CORAL: RECIFE DE FORA, PORTO SEGURO, BA

Conteúdo do artigo principal

Renata Carolina Mikosz Arantes
José Carlos Sícoli Seoane

Resumo

Este trabalho tem por objetivo reconhecer as atuais características fisiográficas, sedimentológicas e biológicas do Parque Municipal Marinho do Recife de Fora (PMMRF), localizado no município de Porto Seguro - BA, através da construção de um modelo ambiental utilizando técnicas de geoprocessamento. Foi realizado um levantamento batimétrico utilizando um sistema integrado de ecossonda e GPS, com resolução da célula de grid de 10 m. Para gerar o modelo batimétrico das áreas submersas do PMMRF foram testados diferentes métodos de interpolação raster sendo considerado o Radial Basis Function por quadrante o que melhor descreve a batimetria. A composição de uma base cartográfica, com modelo batimétrico e imagem de satélite QuickBird, serviram como base para a definição do desenho amostral. Este contou com um total de 234 estações, posicionadas a cada 400 m em malha regular acrescida de pontos a cada 400m ao longo da quebra de relevo do topo recifal, delimitada pela declividade do modelo batimétrico e pela interpretação da imagem. Nas estações, foram coletadas amostras de sedimento e informações sobre a distribuição das comunidades. O PMMR apresenta alta complexidade ambiental sob influência de aspectos como hidrodinâmicos, geomorfológicos, sedimentológicos e ecológicos. A resolução espacial do modelo contemplou o mapeamento de oito feições geomorfológicas (face exposta, face abrigada, platô recifal, piscinas, canal, recifes em mancha, praias de areia, cabeços algálicos) que compõem a área recifal. A sedimentação é caracterizada pela deposição de sedimentos polimodais finos, muito mal selecionados, com distribuição granulométrica platicúrtica a mesocúrtica e assimetria positiva a muito positiva. O grau de seleção e o fato de predominarem amostras polimodais indicam um ambiente típico de plataforma, o qual está sujeito a influência de sedimentos provenientes de outras áreas, carreados pelas correntes de deriva litorânea, e que nem sempre são contemporâneos. A morfologia do recife também influenciou a distribuição dos sedimentos encontrados, visto que diversas feições escavadas como piscinas e canais, podem reter material grosso ou fino. Sendo assim, o ambiente de sedimentação do Recife de Fora é de baixa energia, resultante da ação das marés, de correntes da deriva litorânea. Além disso, a morfologia estrutural do recife serve ainda como barreira para a ação remobilizadora das ondas, ou como armadilhas de sedimento durante períodos de marés vazantes. A análise mineralógica da composição do sedimento superficial do PMMRF demonstra que a área é caracterizada pela predominância de sedimentação carbonática sobre terrígena. O mapeamento de comunidades indicou que o PMMRF abriga uma fauna típica de ambientes coralíneos brasileiros, com a presença de cinco espécies formadoras. A classificação de habitats do PMMRF engloba ambientes compostos por corais, zoantídeos, algas e gramas marinhas. Esses complexo ecossistema recifal é composto por um mosaico de habitats para o qual foi construído um banco de dados georeferenciados, incluindo vídeos e fotos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
ARANTES, R. C. M.; SEOANE, J. C. S. BASE DE DADOS EM SIG APLICADA À MODELAGEM AMBIENTAL EM RECIFES DE CORAL: RECIFE DE FORA, PORTO SEGURO, BA. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 69, n. 9, 2018. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44094. Acesso em: 13 ago. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

José Carlos Sícoli Seoane, Departamento de Geologia Instituto de Geociências - IGEO Universidade Federal do Rio de Janeiro

Geólogo pela USP (1989), Doutor em Metalogênese pela Unicamp (1999), Professor Associado do PPGL-UFRJ e do Departamento de Geologia-UFRJ.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)