A criança e a vivência das regras de interação na conversação

“Que jogo está sendo jogado aqui?”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL40-v14n1a2020-8

Palavras-chave:

Interação, Micronegociação, Aquisição da linguagem

Resumo

Neste artigo, tem-se o objetivo de aprofundar a discussão sobre a vivência, pela criança, das regras de interação. Para tanto, focalizam-se os deslocamentos que a criança produz e interpreta na conversação, na busca de compreensão do episódio interacional vivenciado. Na abordagem desse tema, analisam-se dois recortes enunciativos compostos por interações conversacionais de uma criança na faixa etária dos dois anos aos dois anos e seis meses, com seus pais e seus amigos. A análise desses recortes, representativa da pesquisa realizada, revela que a participação da criança na conversação implica uma complexa operação sociocognitiva de compreensão do evento interacional, ou seja, do reconhecimento do “jogo” que todos os interactantes parecem ter aceitado jogar. A criança, via micronegociações, aprimora sua competência de produzir enunciados adaptados à situação comunicativa e ao discurso do outro, numa construção conjunta do seu dizer.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlete Sandra Diedrich, UPF

Professora do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo - RS.

Referências

DIEDRICH, M. S. Aquisição da linguagem: o aspecto vocal da enunciação na experiência da criança na linguagem. 2015. 148 f. Tese (Doutorado em Estudos da linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/130026.

DIEDRICH, M. S. A interpretância da língua em relação às funções inter-humanas do discurso na aquisição da linguagem via aspecto vocal da enunciação. DELTA: documentação e estudos em linguística teórica e aplicada, v. 33, n. 2, set. 2017. ISSN 1678-460X. DOI https://doi.org/10.1590/0102-445012762971994565. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/delta/article/view/34374/23627. Acesso em: 16 dez. 2019.

ERVIN-TRIPP, S. M.; GUO, J.; LAMPERT, M. Politeness and persuasion in children's control acts. Journal of pragmatics, v. 14, n. 2, April 1990. DOI https://doi.org/10.1016/0378-2166(90)90085-R.

GOFFMAN, E. Footing. Tradução de Beatriz Fontana. In: RIBEIRO, B. T.; GARCEZ, P. M. (org.). Sociolingüística interacional. 2. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

KERBRAT-ORECCHIONI, C. Nouvelle communication et analyse conversationnelle. Langue française: Communication et enseignement, n. 70, p. 7-25, 1986. DOI https://doi.org/10.3406/lfr.1986.6368. Disponível em: http://www.persee.fr/doc/lfr_0023-8368_1986_num_70_1_6368. Acesso em: 1 maio 2018.

LEVINSON, S. C. The human “interaction engine”. In: LEVINSON, S. C. Properties of human interaction. New York: Berg, 2006a. p. 39-70.

LEVINSON, S. C. Cognition at the heart of human Interaction. Discourse studies, v. 8, n. 1, p. 85-93, 2006b. DOI https://doi.org/10.1177/1461445606059557.

LEVINSON, S. C. Pragmática. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

STIVERS, T.; SIDNEEL, J. S.; BERGEN, C. Children's responses to questions in peer interaction: A window into the ontogenesis of interactional competence. Journal of pragmatics, v. 124, p. 14-30, 2018. DOI https://doi.org/10.1016/j.pragma.2017.11.013.

Downloads

Publicado

11-02-2020

Como Citar

DIEDRICH, M. S. A criança e a vivência das regras de interação na conversação: “Que jogo está sendo jogado aqui?”. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 14, n. 1, p. 218–234, 2020. DOI: 10.14393/DL40-v14n1a2020-8. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/47549. Acesso em: 7 ago. 2022.