Acessibilidade textual e terminológica

conquistas recentes, pesquisas em andamento e novas perspectivas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex6-v3n2a2018-1

Palavras-chave:

Acessibilidade textual e terminológica, Vocabulário, Leitura, Estudos do Léxico

Resumo

Em meio ao conjunto de pesquisas do nosso grupo de pesquisa sobre Acessibilidade Textual e Terminológica (ATT), do curso de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), este artigo relata duas investigações em andamento, as quais são inter-relacionadas. Ambas pesquisas tratam do perfil lexical dos materiais textuais que examinam. A primeira, em nível de doutorado, descreve e analisa textos de museus de ciências e tecnologia dirigidos para público infanto-juvenil. A segunda é uma pesquisa de mestrado que lida com textos escritos por crianças e jovens do Ensino Fundamental de escolas públicas, contrastando o léxico da produção escrita com o dos livros didáticos que utilizam. Além de apresentar e discutir as duas pesquisas, trazendo seus resultados iniciais, busca-se ponderar como as duas propostas conectam-se com o tema da ATT.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALUÍSIO, S. M.; GASPERIN, C. Fostering digital inclusion and accessibility: the Porsimples project for simplification of Portuguese texts. In: Proceedings of the NAACL HLT 2010 young investigators workshop on computational approaches to languages of the Americas. New York: ACL, 2010. v. 1, p. 46-53.

BASILIO, M. Formação e classes de palavras no português do Brasil. São Paulo: Contexto, 2004.

BEAUGRANDE, R.; DRESSLER, W. Introduction to text linguistics. London: Longman, 1981.

BERBER SARDINHA, T. Linguística de corpus. Barueri: Manole, 2004.

BIDERMAN, M. T. A face quantitativa da linguagem: um dicionário de frequências do português. Alfa, São Paulo, v. 42, número especial, p. 161-181, 1998.

BISOGNIN, T. R. Sem medo do internetês. Porto Alegre: AGE, 2009.

CARPIO, P. M. S. Abaixando o cocho: adaptação de textos sobre doenças causadas pela inalação de amianto destinados para o público leigo. 2017. 106 f. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

CARRILHO, A. R. S. A. Aprendizagem estratégica de vocabulário em português língua segunda e português língua estrangeira. 2015. 313 f. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Artes e Letras, Universidade da Beira Interior, Covilhã, 2015.

CEREJA, W. R.; MAGALHÃES, T. C. Português: Linguagens, 8º ano do Ensino Fundamental. 8. ed. São Paulo: Atual, 2014.

CUNHA, A. L. V. da. Coh-Metrix-Dementia: análise automática de distúrbios de linguagem nas demências utilizando processamento de línguas naturais. 155 f. Dissertação (Mestrado em Ciências – Ciências de Computação e Matemática Computacional) – Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação, USP, São Carlos, 2015.

ECO, U. Quase a mesma coisa. Rio de Janeiro: Record, 2007.

FINATTO, M. B. F.; CREMONESE, L. E.; AZEREDO, S. O vocabulário na redação de vestibular: do enfoque estatístico às especificidades da enunciação. In: ABREU, S. (org.). A redação no vestibular: do leitor ao produtor de texto. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008. p. 95-108. ISBN 978-85-386-0026-8

FINATTO, M. J. B.; PONOMARENKO, G. L.; BERWANGER, L. P. Não basta ler, tem que entender: simplificando textos. Revista Roseta – ABRALIN, Campinas, v. 2, p. 1-10. Acesso em: 7 abr. 2019.

FINATTO, M. B. F.; STEFANI, M.; EVERS, A.; PASQUALINI, B. Vocabulário, complexidade textual e compreensão de leitura em ambientes digitais de ensino: uma investigação inicial com alunos do ensino médio. Texto livre, Belo Horizonte, v. 9, n. 2, p. 64-76, 2016. DOI https://doi.org/10.17851/1983-3652.9.2.64-76.

FULGÊNCIO, L.; LIBERATO, Y. Como facilitar a leitura. 3. ed. São Paulo: Contexto, 1998.

HOFFMANN, L. Conceitos básicos da linguística de linguagens especializadas. In: FINATTO, M. J. B.; ZILIO, L. (org.). Textos e termos por Lothar Hoffmann: um convite para o estudo das linguagens técnico-científicas. Porto Alegre: Palotti, 2015.

INSTITUTO PAULO MONTENEGRO. INAF BRASIL 2018: Resultados preliminares. 2018. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1ez-6jrlrRRUm9JJ3MkwxEUffltjCTEI6/view. Acesso em: 23 jul. 2019.

JAKOBSON, R. On linguistic aspects of translation. Massachusetts: Harvard University Press, 1959.

MARTINS, T. B. F.; GHIRALDELO, C. M.; NUNES, M. G. V.; OLIVEIRA JR., O. N. de. Readability formulas applied to textbooks in Brazilian Portuguese. Notas do ICMSC, São Paulo, n. 28, p. 1-11, 1996.

MORAES, R. Uma oportunidade agradável de aprender: museu de ciências e tecnologia da PUCRS. In: BORGES, R. M. R. (org.). Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS coletânea de textos publicados. Porto Alegre: Edipucrs, 2013.

MOTTA, E. Índices de complexidade textual em sentenças dos juizados especiais cíveis do poder judiciário do estado do Rio Grande do Sul. Inventário, Salvador, v. 1, n. 21, p. 35-50, 2018.

MOTTA-ROTH, D.; SCHERER, A. S. Popularização da ciência: a interdiscursividade entre ciência, pedagogia e jornalismo. Bakhtiniana: Revista de Estudos do Discurso, São Paulo, v. 11, n. 2, p. Port. 164-189 / Eng. 171-194, mar. 2016. ISSN 2176-4573. DOI https://doi.org/10.1590/2176-457323671. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/bakhtiniana/article/view/23671. Acesso em: 27 jul. 2018.

OLIVEIRA, T. A.; SILVA, E. G. O.; SILVA, C. O.; ARAÚJO, L. A. M. Tecendo linguagens: Língua Portuguesa, 8º ano. 4. ed. São Paulo: IBEP, 2015.

PEARSON, J. Terms in context. Amsterdam/Philadelphia: Benjamins, 1998. (Studies in Corpus Linguistics, 1). DOI https://doi.org/10.1075/scl.1.

SERRA, L. H. O ensino de vocabulário na sala de aula: reflexões e práticas para a produção de textos na educação básica. Afluente: Revista de Letras e Linguística, São Luís, v. 1, n. 1, p. 1-19, jan./jun. 2016. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/afluente/article/view/4749. Acesso em: 11 abr. 2018.

SILVA, A. D. C. Textos de divulgação para leigos sobre o transtorno do estresse pós-traumático em português: alternativas para a acessibilidade textual e terminológica. 2018. 427 p. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, UFRGS, Porto Alegre, 2018.

ZETHSEN, K. K. Intralingual translation: an attempt at description. Meta, Montreal, v. 54, n. 4, p. 795-812, 2009. DOI https://doi.org/10.7202/038904ar.

Downloads

Publicado

19-02-2020

Como Citar

Tcacenco, L., Rodrigues da Silva, B., & Finatto, M. J. B. (2020). Acessibilidade textual e terminológica: conquistas recentes, pesquisas em andamento e novas perspectivas. Revista GTLex, 3(2), 197–224. https://doi.org/10.14393/Lex6-v3n2a2018-1