Reforma Agrária no Brasil: Classificação Baseado em Objeto e Reflectância Acumulada no Monitoramento e Fiscalização da Terra

Conteúdo do artigo principal

Ramon Chaves
https://orcid.org/0000-0002-8747-5839
Tati de Almeida
https://orcid.org/0000-0002-6387-8254
Rejane Ennes
https://orcid.org/0000-0001-7592-6527
Suzan Pequeno
https://orcid.org/0000-0002-3256-8544

Resumo

A automatização do monitoramento e fiscalização do uso e cobertura do solo em projetos de assentamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) utilizando sensoriamento remoto e técnicas de geoprocessamento podem otimizar, reduzir custos e qualificar as atividades de produtores rurais. Assim, esse trabalho apresenta uma proposta de uso de classificação orientada ao objeto em imagens do satélite Sentinel-2A 1C, a partir da reflectância acumulada e mineração de dados em projetos de assentamento no Bioma Cerrado. Foram empregados softwares livres e gratuitos: QGIS na classificação das imagens Sentinel-2A; InterImage na segmentação das imagens, definição e exportação dos atributos de cada segmento que basearam a classificação e Weka na mineração de dados dos atributos. As classificações com técnica da reflectância acumulada tiveram melhores índices de acurácia (exatidão global e índice Kappa), mas a melhora se deu nas classes relativas à vegetação natural do Bioma Cerrado, não ocorrendo nas classes de Culturas Diversas e Silvicultura. Os programas utilizados executaram de forma satisfatória todos os procedimentos propostos para a consecução dos objetivos do trabalho, demonstrando sua aplicabilidade no monitoramento do projeto de assentamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
ARAÚJO, R. C. de; DE ALMEIDA, T.; CICERELLI, R. E.; RODRIGUES, S. P. Reforma Agrária no Brasil: Classificação Baseado em Objeto e Reflectância Acumulada no Monitoramento e Fiscalização da Terra. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 72, n. 1, p. 100–109, 2020. DOI: 10.14393/rbcv72n1-48545. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/48545. Acesso em: 14 ago. 2022.
Seção
Artigos Originais