"Ser alemão de verdade"

Participação e construção de entendimentos em práticas multilíngues em aulas de alemão como língua adicional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/10.14393/LL63-v35nEsp2019-8

Palavras-chave:

Contexto multilíngue, Práticas de linguagem, Participação, Aprendizagem

Resumo

Este artigo é resultante de compreensões elaboradas por meio de uma Etnografia da Linguagem (DALLA VECCHIA, 2018) que acompanhou aulas de língua alemã em uma turma de 1º e uma de 3º ano do Ensino Médio, no período anterior ao exame de proficiência em língua alemã em um colégio privado situado em “uma colônia alemã” no interior do Paraná. Propomos como objetivo refletir sobre participação e usos da língua(gem) em construções situadas, articuladas com identidades e valores das línguas ou do que representam localmente. Como resultados, apresentamos que os participantes, na fala-em-interação, utilizam o seu repertório para alcançarem entendimentos e avançarem em direção à proficiência esperada para que tenham um bom desempenho no exame de proficiência em língua alemã, o que está relacionado com a construção de uma identidade que indica, para esses alunos, mobilidade local e translocal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Dalla Vecchia, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB, em Amargosa-BA 

Doutora em Letras pela Universidade Estadual de Maringá/PR, com tese apresentada à área de Estudos Linguísticos, na linha de pesquisa Ensino e Aprendizagem de Línguas Docente de Estágio Supervisionado em Língua Portuguesa do Centro de Formação de Professores da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB, em Amargosa-BA.

 

Rafael Petermann, Instituto Federal do Paraná, Campus Paranavaí

Mestre em Letras pela Universidade Estadual de Maringá, com dissertação apresentada à área de Estudos Linguísticos, na linha de pesquisa Ensino-Aprendizagem de Línguas. Docente do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico no Instituto Federal do Paraná, Campus Paranavaí.

Referências

ABELEDO, M. L. Uma compreensão etnográfica da aprendizagem de língua estrangeira na fala-em-interação de sala de aula. 2008. 217 f. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

AUER, P. The pragmatics of code-switching: a sequential approach. In: MILROY, L.; MUYSKEN, P. (Ed.). One speaker, two languages: cross-disciplinary perspectives on code-switching. Cambridge: Cambridge University Press, 1995. p. 115-135. https://doi.org/10.1017/CBO9780511620867.006

BAUMAN, R.; BRIGGS, C. L. Poética e Performance como perspectivas críticas sobre a linguagem e a vida social. Tradução de Vânia Z. Cardoso. ILHA - Revista de Antropologia, Florianópolis/SC, v. 1, n. 2, p. 185-229, 2006.

BLOMMAERT, J. Contexto é/como crítica. In: SIGNORINI, I. (Org.). Situar a linguagem. São Paulo: Parábola, 2008. p. 91-115.

BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas. 6. ed. São Paulo: Perspectiva, 2007.

CAMARGO, M. Atlântico Negro Paiol: como estão sendo conduzidas questões de raça e etnia mas aulas de língua inglesa? 2012. 170 f. Dissertação (Mestrado em Linguagem, Identidade e Subjetividade) – Programa de Pós-Graduação em Linguagem, Identidade e Subjetividade, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2012.

CANAGARAJAH, S. Translingual practice. New York: Routledge, 2013. https://doi.org/10.4324/9780203120293

CREESE, A. Linguistic Ethnography. In: KING, K.; HORNBERGER, N. (Org.). The encyclopedia of language and education. Berlim: Springer, 2008, p. 229-241.

DALLA VECCHIA, A. Participação e usos de línguas em aulas de alemão em uma comunidade de suábios no sul do Brasil. 2018. 223 f. Tese (Doutorado em Letras) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2018.

DALLA VECCHIA, A.; JUNG, N. M. Paisagem Linguística em um contexto suábio-brasileiro: mobilidade e representação de uma comunidade "germânica". Revista da ANPOLL, Florianópolis, n. 40, p. 115-128, jan./jun. 2016. https://doi.org/10.18309/anp.v1i40.1021

ELFES, A. Suábios no Paraná. Curitiba: Banco Lar Brasileiro S.A., 1971.

FRANK, I. Constituição e superação de momentos desconfortáveis em sequências de convites à participação: a construção do engajamento na fala-em-iteração de sala de aula. 2010. 170 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

GARCEZ, P. M. A organização da fala-em-interação na sala de aula: controle social, reprodução de conhecimento, construção conjunta de conhecimento. Calidoscópio, São Leopoldo/RS, n. 1, p. 66-80, jan./abr. 2006.

GARCEZ, P. M.; FRANK, I.; KANITZ, A. Interação social e etnografia: sistematização do conceito de construção conjunta do conhecimento na fala-em-interação de sala de aula. Calidoscópio, São Leopoldo/RS, n.2, p.211-224, maio/ago., 2012. https://doi.org/10.4013/cld.2012.102.08

GARCEZ, P. M; SCHULZ, L. Olhares circunstanciados: etnografia da linguagem e pesquisa em Linguística Aplicada no Brasil. D.E.L.T.A., v. 31-especial, p. 1-34, 2015.

GARCÍA, O. Bilingual education in the 21st century: A global perspective. Malden, MA and Oxford: Wiley/Blackwell, 2009.

GARCÍA, O. El papel de translenguar en la enseñanza del español en los Estados Unidos. In: DUMITRESCU, D.; PIÑA-ROSALES, G. El español en los Estados Unidos: e pluribus unum? Enfoques multidisciplinarios. New York: Academia Norteamericana de la lengua española, 2013. p. 353-373.

GARCÍA, O.; WEI, L. Translanguaging: Language, Bilingualism and Education. New York, NY: Palgrave Macmillan, 2014. https://doi.org/10.1057/9781137385765

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara, 2008, 323p.

GOFFMAN, E. Footing. In: RIBEIRO, B. T.; GARCEZ, P. M. Sociolinguística Interacional. 2. ed. ampliada. São Paulo: Loyola, 2002. p.107-148.

HELLER, M. Bilingualism as ideology and practice. In: HELLER, M. Bilingualism: a social approach. Critical ethnography of language and identity. New York: Oxford University Press, 2007, p. 1-24. https://doi.org/10.1057/9780230596047

HELLER, M. Paths to post-nationalism: A Critical Ethnography of language and identity. New York: Oxford University Press, 2011.

JACQUEMET, M. Tansidiomatic practices: language and power in the age of globalization. Language and communication, v. 25, p. 257-277, 2005. https://doi.org/10.1016/j.langcom.2005.05.001

JAFFE, A. Authority and authenticity: Corsican discourse on bilingual education. In: HELLER, M.; MARTIN-JONES, M. (eds.) Voices of Authority – Education and Linguistic Difference. Westport, ABLEX, 2001, p. 269-296.

JUNG, N. M. A (re)produção de identidades sociais na comunidade e na escola. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2009, 243 p.

JUNG, N. M.; SILVA, R. C. M.; PIRES-SANTOS, M. E. Etnografia da linguagem como políticas em ação. Calidoscópio, n. 1, p. 145-162, jan.-abr. 2019. https://doi.org/10.4013/cld.2019.171.08

LODER, L. L. O modelo Jefferson de transcrição: convenções e debates. In: LODER, L. L.; JUNG, N. M. Fala-em-interação social: introdução à análise da conversa etnometodológica. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2008, p. 127-161.

LOPES, M. F. R. A fala-em-interação de sala de aula contemporânea no Ensino Médio: o trabalho de fazer aula e fazer aprendizagem de língua espanhola. 2015. 197 f. Tese (Doutorado em Letras) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

LUCENA, M. I. P.; NASCIMENTO, A. M. D. Práticas (trans)comunicativas contemporâneas: uma discussão sobre dois conceitos fundamentais. Revista da ANPOLL, Florianopolis, p. 46-57, jan./jun. 2016. https://doi.org/10.18309/anp.v1i40.1014

MONDADA, L. Bilingualism and the analysis of talk at work: code-switching as a resource for the organization of action and interaction. In: HELLER, M. (Ed.). Bilingualism: a social approach. New York: Palgrave ⁄ Macmillan, 2007, p. 297-318. https://doi.org/10.1057/9780230596047_14

NASCIMENTO E SILVA, D. ‘A propósito de Linguística Aplicada’ 30 anos depois: quatro truísmos correntes e quatro desafios. D.E.L.T.A., 31-especial, p. 349-376, 2015. https://doi.org/10.1590/0102-445007158226872892

PEIRANO, M. Etnografia, ou a teoria vivida. PontoUrbe. Revista de antropologia urbana da USP, São Paulo, n. 2, p. 1-11, fev. 2008.

PETERMANN, R. A fala-em-interação em sala de aula no ensino médio: participação e construção conjunta de conhecimento em uma equipe de trabalho. 2016. 139 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2016.

SCHULZ, L. A construção da participação na fala-em-interação de sala de aula: um estudo microetnográfico sobre a participação em uma escola municipal de Porto Alegre. 2007. 163 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

SEMECHECHEM, J. A. Letramento e identidades sociais em um município multilíngue no Paraná. 2010. 184 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Centro de Ciências Sociais, Letras e Artes, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2010.

SEMECHECHEM, J. A. O multilinguismo na escola: práticas linguísticas em uma comunidade de imigração ucraniana no Paraná. 2016. 246 f. Tese (Doutorado em Letras) – Centro de Ciências Sociais, Letras e Artes, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2016.

SIGNORINI, I. Por uma teoria da desregulamentação linguística. In: BAGNO, M. Linguística da Norma. São Paulo: Loyola, 2004, 93-126.

Downloads

Publicado

2019-10-23

Como Citar

DALLA VECCHIA, A.; JUNG, N. M.; PETERMANN, R. "Ser alemão de verdade": Participação e construção de entendimentos em práticas multilíngues em aulas de alemão como língua adicional. Letras & Letras, [S. l.], v. 35, n. especial, p. 155–182, 2019. DOI: 10.14393/10.14393/LL63-v35nEsp2019-8. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/49175. Acesso em: 5 dez. 2022.