Caminhos da (re)exploração: A Carta em Caminha, Oswald e Bonassi

Autores

  • Natasha Fernanda Ferreira Rocha Universidade Estadual de Londrina
  • Vanderléia da Silva Oliveira Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL64-v31n1a2015-9

Palavras-chave:

A Carta, Modernismo, Fernando Bonassi

Resumo

Este artigo analisa um exemplo de intertextualidade na produção literária  brasileira. Para tanto, três foram os nomes eleitos: Pero Vaz de Caminha, com A Carta; Oswald de Andrade, em texto selecionado da obra Pau-Brasil, e duas minificções extraídas de Passaporte, do contemporâneo Fernando Bonassi. Procurou-se pensar em como as possibilidades dialógicas desses textos se engendraram e como o trato com o referencial alterou-se de época para época. Buscou-se, também, mirando seu caráter dialógico, perceber a presença de um tópico recorrente nas manifestações artísticas e culturais em nosso país: quem somos. Ou, ainda, quem nos tornamos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natasha Fernanda Ferreira Rocha, Universidade Estadual de Londrina

Discente do Programa de Pós Graduação do Mestrado em Estudos Literários pela Universidade Estadual de Londrina

Vanderléia da Silva Oliveira, Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP

Professora Doutora da Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP, campus de Cornélio Procópio, e docente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UEL.

Downloads

Publicado

2015-07-10

Como Citar

ROCHA, N. F. F.; OLIVEIRA, V. da S. Caminhos da (re)exploração: A Carta em Caminha, Oswald e Bonassi. Letras & Letras, [S. l.], v. 31, n. 1, p. 124–138, 2015. DOI: 10.14393/LL64-v31n1a2015-9. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/29022. Acesso em: 6 jul. 2022.