O ensino de português com base no gênero textual e no caráter interativo e social da língua

Autores

  • Cleide Inês Wittke Universidade Federal de Pelotas (UFPEL)

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v33n2a2017-6

Palavras-chave:

Ensino, Texto, Gênero Textual, Interação Verbal.

Resumo

Nas últimas décadas, principalmente depois da publicação dos PCNs (1998, 1999), muito se tem pesquisado e refletido sobre os insatisfatórios resultados obtidos a partir do trabalho com a língua no ensino básico, tanto no que diz respeito a práticas de leitura, quanto de produção oral e escrita (MARCUSCHI, 2008, 2010; KOCH; ELIAS, 2010, 2016). Nesse quadro, o presente estudo tem como objetivo problematizar o ensino de língua, na busca de apresentar possibilidades que possam resgatar sua importância e produtividade social (BRONCKART, 2012), na medida em que o texto/gênro textual é assumido como objeto de ensino e de análise (SCHNEUWLY; DOLZ, 2009, 2010), uma vez que definimos a língua como uma prática constante de interação verbal. Com base nos estudos bakhtinianos dos gêneros, vemos o ensino de língua como processo interativo e dialógico (BAKHTIN, 1992), cuja meta é criar possibilidades pelas quais o aluno possa desenvolver sua capacidade de pensar, ora por meio de práticas de leitura e de escuta, ora via atividades de fala e de escrita para um interlocutor real ou imaginário (MENDONÇA, 2012).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleide Inês Wittke, Universidade Federal de Pelotas (UFPEL)

Professora Adjunta da Universidade Federal de Pelotas desde 2009.

Professora na Graduação e na Pós-Graduação do Centro de Letras e Comunicação dessa Instituição.

Downloads

Publicado

2017-11-08

Como Citar

WITTKE, C. I. O ensino de português com base no gênero textual e no caráter interativo e social da língua. Letras & Letras, [S. l.], v. 33, n. 2, p. 135–152, 2017. DOI: 10.14393/LL63-v33n2a2017-6. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/36433. Acesso em: 1 dez. 2022.