Memória, literatura e responsabilidade

Uma proposta para o Estudos do Testemunho a Partir de Emmanuel Lévinas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v36n2-2020-5

Palavras-chave:

Testemunho, Lévinas, Responsabilidade, Ética, Alteridade

Resumo

O argumento central defendido aqui afirma que o Testemunho pode ser compreendido na chave conceitual do que Lévinas chama de Responsabilidade, ou seja, como resposta do sobrevivente ao sofrimento injustificado sob o qual padeceram e morreram milhões de pessoas aprisionadas e assassinadas nos campos de trabalhos forçados e de extermínio mantidos durante o regime nazista alemão. Partindo da hipótese de que testemunhar é assumir a tarefa ética de resistir à banalização do assassinato, este artigo aponta para a Ética da Alteridade, construída ao longo da filosofia de Emmanuel Lévinas, como importante instrumento teórico e político para a crítica do Testemunho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elielson Figueiredo, Universidade do Estado do Pará

Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Professor de Teoria Literária e Literatura Brasileira na Universidade do Estado do Pará (UEPA).

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. Trad. Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2008.

COSTA, Márcio Luís. Antecedentes judaicos da ética da alteridade em Emmanuel Lèvinas. Rev. Psicol. Saúde, Campo Grande, v. 7, n. 2, p. 115-124, dez. 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2177093X2015000200005&lng=pt&nrm=iso. Acessos em: 31 out. 2019.

FARIAS, André Brayner de. É preciso começar de novo – entre a sabedoria do amor e o amor à sabedoria. In: RIBEIRO JUNIOR, Nilo et al. Amor e Justiça em Lévinas. 1. ed. São Paulo: Perspectiva, 2018.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

LEVI, Primo. A trégua. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

LEVI, Primo. É isto um homem? Trad. Luigi Del Re. 3. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

LÉVINAS, Emmanuel. De outro modo que ser ou para lá da essência. Trad. José Luis Perez, Lavínia Leal Pereira. Lisboa: Univ. de Lisboa, 2011.

LÉVINAS, Emmanuel. Humanismo do outro homem. Petrópolis: Vozes, 2012.

LÉVINAS, Emmanuel. Totalidade e infinito: ensaio sobre a exterioridade. Trad. José Pinto Ribeiro. Lisboa: Edições 70, 2008.

LÉVINAS, Emmanuel. Deus, a Morte e o Tempo (Trad. Fernanda Bernardo). Lisboa: Edições 70, 2012.

NESTROVSKI, Arthur. Vozes de crianças. In: SELIGMANN-SILVA, Márcio; NESTROVSKI, Arthur (Org.). Catástrofe como representação. São Paulo: Escuta, 2000. s.p.

PIERRON, Jean-Philippe. Transmissão: uma filosofia do testemunho. São Paulo: Loyola, 2010.

SARMENTO-PANTOJA, Tânia. A catástrofe em “Não passarás o Jordão” de Luiz Fernado Emediato. Guavira Letras, n. 15, p. 225-239, jan.-jul. 2012. Disponível em: http://websensors.net.br/seer/index.php/guavira/article/viewFile/313/286

SELIGMANN-SILVA, Márcio. A História como Trauma. In: SELIGMANN-SILVA, Márcio; NESTROVSKI, Arthur (Org.). Catástrofe como Representação. São Paulo: Escuta, 2000. s.p.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. O testemunho: entre a ficção e o real. In: SELIGMANN- SILVA, Márcio. (Org.). História, memória, literatura: o testemunho na Era das Catástrofes. Campinas: Ed. UNICAMP, 2003.

SEMPRUN, Jorge. A escrita ou a vida. Trad. Rosa Freire D’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SOUZA, Ricardo Timm de. Ética com fundamento II – Pequeno tratado de ética radical. Caxias do Sul: Educs, 2016.

UMBACH, Rosani U. K.. Configurações de história e memória em Was bleibt e Leibhaftig. Pandaemonium ger. (Online), São Paulo, n. 17, p. 50-61, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S198288372011000100004&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 31 out. 2019. DOI: 10.1590/S1982-88372011000100004

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

FIGUEIREDO, E. Memória, literatura e responsabilidade: Uma proposta para o Estudos do Testemunho a Partir de Emmanuel Lévinas. Letras & Letras, [S. l.], v. 36, n. 2, p. 103–121, 2020. DOI: 10.14393/LL63-v36n2-2020-5. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/51384. Acesso em: 9 dez. 2022.