Discussão de demandas cognitivas de tarefas matemáticas: as resoluções de dois estudantes do 2º ano do Ensino Médio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/BEJOM-v4-2023-69544

Palavras-chave:

Desenvolvimento Curricular, Demandas Cognitivas, Raciocínios Matemáticos

Resumo

O artigo orienta-se pelo objetivo de discutir as resoluções de tarefas que envolvem Função Polinomial do 1º Grau, realizadas por dois estudantes do Ensino Médio de uma escola da rede estadual de ensino de Minas Gerais. O referencial teórico reporta-se às demandas cognitivas como eixo organizador do currículo de Matemática, bem como aos raciocínios mobilizados pelos estudantes. A análise possibilitou identificar que eles apresentam raciocínios diferentes ao resolver tarefas que demandam alta cognição. As resoluções de um deles evidenciam a mobilização de raciocínios com baixa cognição, o que pode ser interpretado como ausência de compreensão da tarefa e de conceitos; as resoluções de outro mostram a mobilização de raciocínios mais complexos. Tais resultados exigem dos professores conhecimentos relativos aos tipos de raciocínios ao ler, interpretar, avaliar e selecionar tarefas em materiais curriculares ao criar situações de aprendizagem com vistas a possibilitar a formação de conceitos e a mobilização de variados raciocínios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cléia Ferreira Niz Rocha, Espaço de Estudos CL Aulas

Mestranda do Programa de pós-Graduação em Educação (Unimontes), Especialista em Ensino de Matemática (Universidade Cândido Mendes), professora licenciada em Matemática (Unimontes). É membro do Grupo de Pesquisa Currículos em Educação Matemática (GPCEEM), grupo que estuda e investiga sobre currículos de Matemática e a relação professor-currículo. Professora com experiência na rede pública, particular e federal. Atualmente trabalha como Professora Particular.

Jackelany de Souza França D. Machado, Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais

Mestranda em Educação pela Unimontes; Possui graduação em LICENCIATURA PLENA DA DISCIPLINA DE QUÍMICA pela Faculdade do Noroeste de Minas (2009), graduação em LICENCIATURA EM FÍSICA pela Universidade Metropolitana de Santos (2018), graduação em LICENCIATURA EM MATEMÁTICA pela Faculdade de Tecnologia e Ciências da Bahia (2014), graduação em Farmácia pela Universidade Vale do Rio Verde de Três Corações (2005) e graduação em CIÊNCIAS BIOLÓGICAS pelo Centro Universitário de Jales (2018). Especialista em Ensino de Ciências por Investigação (ENCI) pela Universidade Federal de Minas Gerais(UFMG). Pós Graduada em EDUCAÇÃO ESPECIAL, pelo Instituto Superior de Educação Ibituruna-ISEIB. Tem experiência na área de Farmácia, com ênfase em Drogaria e manipulação de medicamentos e como docente em Curso Técnico em Enfermagem e Técnico em Segurança do Trabalho na FTC-Faculdade de Tecnologia e Ciências. Atualmente é professora efetiva de Química, na E.E. Benício Prates, em Coração de Jesus-MG- SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS. É membro do Grupo de Pesquisa Currículos em Educação Matemática (GPCEEM), no qual se estuda e desenvolve investigações sobre currículos de Matemática, materiais de apoio ao desenvolvimento curricular e a relação professor-currículo.

Gilberto Januario, Universidade Estadual de Montes Claros

Doutor e Mestre em Educação Matemática (PUC-SP). Especialista em Formação de Professores (IFSP) e em Educação Matemática (UnG). Licenciado em Matemática (UnG). Professor da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Montes Claros (PPGE/Unimontes). Trabalha com formação inicial e continuada de professores que ensinam Matemática. É Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, triênio 2022-2025. É líder do Grupo de Pesquisa Currículos em Educação Matemática (GPCEEM), no qual se estuda e desenvolve investigações sobre currículos de Matemática, materiais de apoio ao desenvolvimento curricular e a relação professor-currículo.

Referências

ANDREATTA, C.; ALLEVATO, N. S. G. Aprendizagem matemática através da elaboração de problemas em uma escola comunitária rural. Educação Matemática Debate, Montes Claros, v. 4, n. 10, p. 1-23, 2020.

FIGUEIREDO, S. A.; COSTA, N. M. L.; LLINARES, S. Educação Matemática Debate, Montes Claros, v. 5, n. 11, p. 1-23, 2021.

JANUARIO, G. Desenvolvimento curricular em Matemática a partir de projetos integradores: estudo com professoras em formação inicial. Boletim online de Educação Matemática, Florianópolis, v. 10, n. 19, p. 44-62, fev./2022.

OLIVEIRA, S. A.; REZENDE, D. P. L.; REIS, A. R. G.; CARNEIRO, R. F. Vivências de professoras dos Anos Iniciais no trabalho com a resolução de problemas em uma formação continuada. Educação Matemática Debate, Montes Claros, v. 5, n. 11, p. 1-27, 2021.

PENALVA,M.C.; LLINARES,S. Tarefas Matemáticas en la Educación Secundaria. In: GOÑI, Jesus María. (Coord.). Didáctica de las Matemáticas. Barcelona: Graó, 2011, p. 27-51.

POSSAMAI, J. P.; ALLEVATO, N. S. G. Elaboração/Formulação/Proposição de Problemas em Matemática: percepções a partir de pesquisas envolvendo práticas de ensino. Educação Matemática Debate, Montes Claros, v. 6, n. 12, p. 1-28, 2022.

RAFAEL, C. F. B.; GROENWALD, C. L. O. Análise de atividades matemáticas na perspectiva da BNCC e níveis de demandas cognitivas. In: CONFERÊNCIA INTERAMERICANA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 15, 2019, Medellin. Anais da XV CIAEM. Medellin: CIAEM, 2019, p. 1-10.

REMILLARD, J. T.; KIM, O. Elementary Mathematics curriculum materials: de- signs for student learning and Teacher enactment. Cham [Suiça]: Springer, 2020.

REZENDE, A. A.; SILVA-SALSE, A. R. Utilização da aprendizagem baseada em problemas (ABP) para o desenvolvimento do pensamento crítico (PC) em Matemática: uma revisão teórica. Educação Matemática Debate, Montes Claros, v. 5, n. 11, p. 1-21, 2021.

STEIN, M. K.; SMITH, M. S. Mathematical tasks as a framework for reflection: from research to practice. Mathematics Teaching in the Middle School, v. 3, n. 5, p. 344-350, jan. 1998.

STEIN, M. K; SMITH, M. S. Tarefas matemáticas como quadro para a reflexão: da investigação à prática. Educação e Matemática, Lisboa, n. 105, p. 22-28, 2009.

UTIMURA, G. Z.; BORELLI, S. S.; CURI, E. Lesson Study (Estudo de Aula) em diferentes países: uso, etapas, potencialidades e desafios. Educação Matemática Debate, Montes Claros, v. 4, n. 10, p. 1-16, 2020.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

ROCHA, C. F. N.; MACHADO, J. de S. F. D.; JANUARIO, G. Discussão de demandas cognitivas de tarefas matemáticas: as resoluções de dois estudantes do 2º ano do Ensino Médio. BRAZILIAN ELECTRONIC JOURNAL OF MATHEMATICS, Uberlândia, v. 4, p. 1–11, 2023. DOI: 10.14393/BEJOM-v4-2023-69544. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/BEJOM/article/view/69544. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Educação Matemática