Estatística de jogos: blackJack

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/BEJOM-v1-n2-2020-53318

Palavras-chave:

Blackjack, Jogos de cartas, estatística, Probabilidade, Algoritmo computacional

Resumo

O principal objetivo deste artigo é compreender a fundo o mecanismo de funcionamento do jogo de cartas blackjack, bem como estabelecer uma estratégia simples para maximizar as chances de vitória. Inicialmente, fazemos um breve histórico sobre esse jogo, discutindo suas origens e evolução. Explicamos em detalhes as regras do blackjack (sistema de pontuação e procedimentos do jogo). Para contextualizar a popularidade do blackjack, citamos livros, filmes e jogos de vídeo game onde o mesmo apresenta algum protagonismo. A seguir, apresentamos na íntegra o programa computacional que utilizamos para fazer o levantamento numérico das probabilidades de obter uma dada pontuação usando o sistema de pontos do blackjack, quando sorteamos aleatoriamente 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10 e 11cartas de um baralho francês comum e completo, contendo 52 cartas. Explicamos minunciosamente o algorítimo desse programa, apresentamos seus resultados e os analisamos em detalhes. Por fim, simulamos várias rodadas de blackjack com apenas um jogador e um crupiê. Nessas simulações, proibimos que o jogador peça novas cartas quando sua pontuação ultrapassa uma certa pontução máxima (Pmax) ou quando ele chega a um certo número máximo de cartas (Nmax). Mais uma vez, apresentamos o programa computacional completo e o discutimos linha a linha. Analisando os resultados de 100 simulações, onde varremos o valor de Pmax de 12 a 21 e o valor de Nmax de 2 a 11, procuramos pela combinação de valores de Pmax e Nmax que trazem a melhor chance de vitória. Na melhor situação, as chances de vitória do crupiê são apenas 4,7% maiores do que as do jogador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Pascoal dos Reis, Universidade Federal de Uberlândia - ICENP

Professor de Física no ICENP-UFU desde 2011. Bacharel e Doutor em  Física pelo IF-UFRJ. Area de atuação: Física Teórica e Física Matemática.

Elisangela Aparecida y Castro, Universidade Federal de Uberlândia - ICENP

Possui graduação em Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998), mestrado em Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003) e doutorado em Física pela Universidade Federal de São Carlos (2008). Atualmente é professora adjunto da Universidade Federal de Uberlândia. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Processos de Colisão e Interações de Átomos e Moléculas, atuando principalmente nos seguintes temas: método das ondas distorcidas, differential cross-sections, scattering, método variacional schwinger e total absorption cross section. (Fonte: Currículo Lattes).

Cristiano de Siqueira Esteves, Universidade Federal de Uberlândia - ICENP

Possui graduação em Física pela Universidade Federal de Goiás (2001), mestrado em Física pela Universidade Federal de Goiás (2004) e Doutorado em Físico-Química pela Universidade de Brasilia (2008). Tem experiência na área de Física Atômica e Molecular, com ênfase em Propriedades Óptcas não lineares e desenvolvimento de novas metodologias em Estrutura Eletrônica. Atua principalmente nos seguintes temas: Desenvolvimento do Método qHartree-Fock, Desenvolvimento de novas formas funcionais para o estudo de Dinâmica de Reações de Núcleos e Métodos de Otimização [Generalized Simulated Annealing (GSA) e SIPLEX]. (Fonte: Currículo Lattes).

Downloads

Publicado

2020-07-02

Como Citar

Reis, F. P. dos, y Castro, E. A., & Esteves, C. de S. . (2020). Estatística de jogos: blackJack. BRAZILIAN ELECTRONIC JOURNAL OF MATHEMATICS, 1(2), 118–131. https://doi.org/10.14393/BEJOM-v1-n2-2020-53318