Inclusão intelectual no ensino regular: perímetro e área de regiões poligonais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/BEJOM-v1-n2-2020-53247

Palavras-chave:

Déficit intelectual. Educação inclusiva. Materiais manipulativos.

Resumo

Este artigo apresenta os principais resultados de uma pesquisa cujo objetivo foi analisar as possíveis contribuições de uma proposta utilizando materiais manipulativos para o ensino de perímetro e área de regiões poligonais com alunos do 9º ano do Ensino Fundamental portadores de necessidades intelectuais. A pesquisa de cunho qualitativo, na modalidade estudo de caso, ocorreu em uma escola de ensino regular na cidade de Mairinque, no interior de São Paulo, e contou com a participação de três estudantes portadores de necessidades especiais (deficiência intelectual) e três alunos auxiliares, não portadores de necessidades especiais. As atividades realizadas com esses alunos tiveram a intenção de observar e analisar a interação dos estudantes portadores de necessidades especiais com o meio e a presença da mediação defendida nas ideias de Vygotski. Ao final do estudo, foi possível constatar que os materiais manipulativos auxiliaram o desenvolvimento da ludicidade e exerceram importante função na aprendizagem dos estudantes. A inserção dos materiais manipulativos no processo de construção do conhecimento contribuiu para a compreensão das noções de perímetro e área, ressignificar a relação mediadora com os colegas, valorizando sua ajuda, e reconhecer no material formas e métodos utilizados na vida cotidiana. Esses materiais facilitaram o entendimento dos conteúdos abordados, proporcionando forma lúdica para o aprendizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Susana Michelim Collareda, Secretaria de Estado da Educação de São Paulo

Possui graduação em Matemática pela Universidade Camilo Castelo Branco (1997),Pós-Graduação Lato Sensu em Ensino da Matemática pela Universidade de Sorocaba(2000) , graduação em Pedagogia pela Universidade Iguaçu (2006) e Pós-Graduação Lato Sensu em Mídias na Educação (2014).Professora efetiva da rede Estadual do Estado de São Paulo, na escola, E.E. Altina Julia de Oliveira,.Professora Efetiva no Município de Mairinque , São Paulo, na escola E.M. Professor Educador Paulo Freire. (Fonte: Currículo Lattes).

Rogério Fernando Pires, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP); mestre profissional em ensino de Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP); graduado em Matemática (bacharelado e licenciatura) pela Universidade de Sorocaba (2002). É Professor Adjunto do Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal (ICENP) da Universidade Federal de Uberlândia (Campus Ituiutaba); professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas (PPGECE) da UFSCar e durante quinze anos atuou como professor de Matemática nas redes municipal de ensino de Salto de Pirapora e estadual de São Paulo. Seus estudos estão voltados para os seguintes temas: Ensino e aprendizagem de Matemática, Modelagem Matemática, Modelação Matemática, Resolução de problemas e Concepções do conceito de função. (Fonte: Currículo Lattes).

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Secretaria da Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP,2001.

BRASIL. A Convenção sobre Direitos das Pessoas com Deficiência comentada. Coordenação Ana Paula Crosara Resende e Flavia Maria de Paiva Vital. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, 2008. Disponível em: https://www.gov.br/governodigital/pt-br/acessibilidade-digital/convencao-direitos-pessoas-deficiencia-comentada.pdf. Acesso em: 9 fev. 2018.

RAAD, L. F.; TUNES, E. Deficiência com latogênese. In: MARTINEZ, Albertina Mitjáns; TACCA, Maria Carmen Villela Rosa (org.). Possibilidades de aprendizagem: ações pedagógicas para alunos com dificuldade e deficiência. Campinas: Alínea, 2011.

SILVA, I. G. O espaço e o ambiente escolar como elementos de mediação para o desenvolvimento dos sujeitos com deficiência. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, 2014.

TOSTA, C. G. Vigotski e o desenvolvimento das funções psicológicas superiores. Revista Perspectivas em Psicologia, Uberaba, v. 16, n. 1, p. 57-67, jan./jun. 2012. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/perspectivasempsicologia/article/view/27548. Acesso em: 27 fev. 2019.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas: fundamentos de defectología. Tradução Julio Guillermo Blank. Madrid: Machado Grupo de Distribuição, 2012.

YIN, R. K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Trad.: Daniel Grassi. Porto Alegre: Artmed, 2005.

Downloads

Publicado

2020-07-02

Como Citar

COLLAREDA, S. M.; PIRES, R. F. Inclusão intelectual no ensino regular: perímetro e área de regiões poligonais. BRAZILIAN ELECTRONIC JOURNAL OF MATHEMATICS, Uberlândia, v. 1, n. 2, p. 18–33, 2020. DOI: 10.14393/BEJOM-v1-n2-2020-53247. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/BEJOM/article/view/53247. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Educação Matemática