Estimativa da evapotranspiração real em área de relevo acidentado utilizando o SEBAL

Conteúdo do artigo principal

André Luiz Profeta
Sergio Donizete Faria
Hemlley Maria Acioli Imbuzeiro

Resumo

A evapotranspiração é um processo de redistribuição tanto de água como de energia na interface superfície-atmosfera, sendo uma variável essencial para aplicação em modelos hidrológicos, biofísicos e climáticos. Esses modelos contribuem para uma gestão consistente dos recursos hídricos, seja em escala local, regional, ou global; em recortes artificiais (agricultura e pastagem) ou em ambientes naturalmente definidos, como bacias hidrográficas e biomas. O presente estudo tem como objetivo estimar a evapotranspiração real horária e diária em área de relevo acidentado, utilizando o Surface Energy Balance Algorithms for Land (SEBAL) a partir de imagens do satélite Landsat 8 e dados meteorológicos. Assim, são executados dois modelos para a Unidade de Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos do Rio Piranga (UPGRH DO1) - Minas Gerais: sem correção para a influência do relevo (Modelo 1) e com correção para a influência do relevo (Modelo 2). Com a aplicação do SEBAL, o fluxo de calor latente () é estimado como um resíduo da equação simplificada do balanço de energia. A partir do , que corresponde à energia empregada para o processo de evapotranspiração, é estimada a evapotranspiração real horária e, utilizando a fração evaporativa, a evapotranspiração real diária. Os resultados de evapotranspiração obtidos permitem evidenciar sua variabilidade espacial na UPGRH DO1 e o conhecimento da contribuição de vapor d'água para a atmosfera considerando os tipos de cobertura e uso da terra na área sob investigação. A partir da comparação dos valores estimados com a evapotranspiração de referência (), calculada pelo método Penman-Monteith padrão FAO, e com a evapotranspiração da cultura () do eucalipto, a estimativa com os dois modelos se mostrou consistente. A estimativa com Modelo 2 tende a apresentar valores inferiores aos do Modelo 1. Em ambos os modelos, ficou evidente a influência da vegetação no particionamento dos fluxos de energia na superfície da Terra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
PROFETA, A. L.; FARIA, S. D.; IMBUZEIRO, H. M. A. Estimativa da evapotranspiração real em área de relevo acidentado utilizando o SEBAL. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 70, n. 4, p. 1437–1469, 2018. DOI: 10.14393/rbcv70n4-46511. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/46511. Acesso em: 24 maio. 2022.
Seção
Artigos Originais

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.