SIG E MODELOS DE ESCORREGAMENTOS: AVALIANDO MÉTODOS PARA REDUZIR AS INCERTEZAS DE DADOS DE SOLOS E PRECIPITAÇÃO

Conteúdo do artigo principal

Silvio Jorge Simões
Luciene Gomes
Rodolfo Mendes
Tatiana Sussel Mendes

Resumo

Os modelos matemáticos de base física se constituem uma importante ferramenta para auxiliar na previsão e gestão dos escorregamentos. Os dados de entrada (geotécnicos e hidroclimatológicos) destes modelos frequentemente trazem signiï¬cativa incerteza na sua distribuição espacial. Este trabalho avalia dois métodos probabilísticos - lógica Fuzzy e Geoestatística - para representar as propriedades físicas e hidráulicas dos solos e a precipitação. A comparação entre um método determinístico (inverso do quadrado da distância) e a geoestatística mostrou que este último foi bem mais eï¬ciente para detectar os efeitos da precipitação orográï¬ca existente na região da bacia do Paraíba do Sul além de representar, de forma mais adequada, a complexidade e diversidade do mundo real. Também foi avaliado o grau de interação entre os Sistemas de Informação Geográï¬ca (SIG) e os três modelos de escorregamento regionais (Shalstab, SINMAP e TRIGRS). Os modelos Shalstab e SINMAP possuem maior interação e podem funcionar como extensão no interior de um SIG, possibilitando que os mapas produzidos por métodos probabilísticos possam ser melhor utilizados nos modelos de escorregamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
SIMÕES, S. J.; GOMES, L.; MENDES, R.; MENDES, T. S. SIG E MODELOS DE ESCORREGAMENTOS: AVALIANDO MÉTODOS PARA REDUZIR AS INCERTEZAS DE DADOS DE SOLOS E PRECIPITAÇÃO. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 68, n. 9, 2017. DOI: 10.14393/rbcv68n9-44440. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44440. Acesso em: 2 dez. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Silvio Jorge Simões, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Professor Adjunto, Departamento de Engenharia Ambiental, Instituto de Ciência e Tecnologia Áreas de atuação: Desastres naturais, geohidrologia, análise geoespacial e modelagem

Luciene Gomes, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Aluna de doutorado do Programa Ciência do Sistema Terrestre. Áreas de interesse incluem ciclo do nitrogênio, processos erosivos, análise geoespacial

Rodolfo Mendes, Pesquisador Adjunto do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais-CEMADEN/MCTI

Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Geotecnia e Planejamento do Meio Físico, atuando principalmente nos seguintes temas: SIG, planejamento territorial urbano e regional, cartografia temática geotécnica e ambiental, prevenção a desastres naturais, riscos geológicos-geotécnicos, solos não saturados, estudos experimentais de campo e laboratório, estabilidade de encostas e taludes, monitoramento de variáveis climáticas e geotécnicas para implantação de sistemas de alerta a escorregamentos.

Tatiana Sussel Mendes, Instituto de Ciência e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Professora Assistente, Departamento de Engenharia Ambiental, Instituto de Ciência e Tecnologia Áreas de atuação: Cartografia, sensoriamento remoto e análise geoespacial