MAPEAMENTO DE SUSCETIBILIDADE A DESLIZAMENTOS A PARTIR DE MINERAÇÃO DE DADOS E DO MODELO SHALSTAB

Conteúdo do artigo principal

Eduardo Samuel Riffel
Luiz Fernando Chimelo Ruiz
Laurindo Antonio Guasselli

Resumo

Diversos modelos têm sido utilizados para mapear, modelar, quantiï¬car e identiï¬car áreas suscetíveis a deslizamentos. Os mapeamentos de suscetibilidade surgem como uma alternativa à cultura forense existente no Brasil em relação aos movimentos de massa, pois consistem em uma previsão de áreas onde é necessária maior atenção em relação à possibilidade de ocorrência de desastres. Assim, o objetivo do presente estudo foi realizar o mapeamento de suscetibilidade a movimentos de massa na bacia hidrográï¬ca do rio Forromeco-RS. Para isso empregou-se duas metodologias, o modelo Shalstab e o modelo Ãrvore de Decisão, que posteriormente foram comparadas. Para implementar os modelos foram utilizadas 47 amostras de deslizamentos, identiï¬cadas a partir de cicatrizes de escorregamentos na região da bacia, mapeados por meio de imagens de satélite de alta resolução espacial. Como dado de entrada dos modelos foram utilizados parâmetros morfométricos, extraídos de imagem SRTM. A comparação dos resultados das duas metodologias e a análise da acurácia dos modelos, baseado no índice kappa, mostrou que o modelo Ãrvore de Decisão apresentou uma acurácia de 0,98, enquanto para o modelo Shalstab foi de 0,82. Ressalta-se que a diferença entre os resultados dos modelos é pouco signiï¬cativa. Ambos podem representar de forma satisfatória o objetivo ï¬nal de geração de mapa de suscetibilidade. No entanto, o modelo Shalstab apresenta mais limitações, devido à necessidade de dados de grande resolução, para uma boa resposta da análise.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
RIFFEL, E. S.; CHIMELO RUIZ, L. F.; GUASSELLI, L. A. MAPEAMENTO DE SUSCETIBILIDADE A DESLIZAMENTOS A PARTIR DE MINERAÇÃO DE DADOS E DO MODELO SHALSTAB. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 68, n. 9, 2016. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44444. Acesso em: 22 maio. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Eduardo Samuel Riffel, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Luiz Fernando Chimelo Ruiz, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Programa de Pós Graduação em Sensoriamento Remoto

Laurindo Antonio Guasselli, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)