(Des)(a)fiando o horror

Leituras do conto “teia de aranha”, de mariana henríquez

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v39-2023-39

Palavras-chave:

Escrita sul-americana, Feminismo, Horror, Violência, Mariana Enríquez

Resumo

Este trabalho objetiva uma leitura do conto “Teia de aranha” (2017), de Mariana Enríquez, de forma a ressaltar a importância da escrita sul-americana de horror contemporânea, que, também seguindo a tradição do macabro e cruel, aponta para temas avultados e prementes para a questão feminina atual, como violência de gênero, corpo, feminismo, terror psicológico e patriarcado. O artigo parte da simbologia da aranha não tanto como animal que captura e mata a presa, mas como um ser que também pode libertar e curar almas adoecidas. No caso do conto de Enríquez, percebe-se o quão enferma a protagonista se encontra ao se prender a um marido mordaz e perverso. Trata-se de um trabalho analítico, cuja metodologia pauta-se em teóricos que serão devidamente referenciados ao longo da escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabianna Simão Bellizzi Carneiro, Universidade Federal de Catalão

Professora Adjunta do curso de Letras do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Federal de Catalão (IEL/UFCAT) e Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal de Catalão. Integrante do Grupo Estudos do Gótico (CNPq) e pesquisadora do GT ANPOLL Vertentes do Insólito Ficcional. Suas pesquisas têm ênfase em Estudos Literários, Literatura Comparada, Literatura Gótica e Escrita Feminina, através de temas como: Literatura e alteridade, Identidade e Cultura e pensamento social e político brasileiro. E-mail: fabianna_bellizzi_carneiro@ufcat.edu.br

Referências

BARRANCOS, Dora. História dos feminismos na América Latina. Tradução de Michelle Strzoda. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2022.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: (mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números). Rio de Janeiro: José Olympio, 2001.

CUNHA, Luiz Felipe. SANGUE NO OLHO. Nova geração de autoras latino-americanas chega ao Brasil com temáticas fantásticas, violentas e provocadoras. Cândido. Jornal da Biblioteca Pública do Paraná, n. 130, maio de 2022. Disponível em: https://www.bpp.pr.gov.br/sites/biblioteca/arquivos_restritos/files/documento/2022-05/candido130_maio.pdf. Acesso em: 05 set. 2023.

FREDERICI, Silvia. Mulheres e caça às bruxas: da Idade Média aos dias atuais. Tradução de Heci Regina Candiani. São Paulo: Boitempo, 2019.

FREITAS NETO, José Alves de. A democracia e seus desaparecidos na América Latina. Jornal da UNICAMP, set. 2017. Disponível em: https://www.unicamp.br/unicamp/index.php/ju/artigos/jose-alves-de-freitas-neto/democracia-e-seus-desaparecidos-na-america-latina. Acesso em: 21 ago. 2023.

HENRÍQUEZ, Mariana. “Teia de aranha”. In: HENRÍQUEZ, Mariana. As coisas que perdemos no fogo. Tradução de José Geraldo Couto. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2017. p. 89-111.

MARTINS, José de Souza. Fronteira: a degradação do Outro nos confins do humano. São Paulo: Contexto, 2012.

NESTAREZ, Oscar. “Escrever horror é uma mistura entre planejar e intuir", diz escritora argentina. Revista Galileu, jul. 2019. Disponível em: https://revistagalileu.globo.com/Cultura/noticia/2019/07/escrever-horror-e-uma-mistura-entre-planejar-e-intuir-diz-escritora-argentina.html. Acesso em: 19 ago. 2023.

RAMA, Ángel. El Boom en perspectiva. La crítica de la cultura en América Latina. Tradução de Susana Kerschner. Biblioteca Ayacucho, s/d. p. 266-306. Disponível em: http://www.ufrgs.br/cdrom/rama/rama.pdf. Acesso em: 16 mai. 2023.

ROAS, David. A ameaça do fantástico: aproximações teóricas. Tradução de Julián Fuks. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

SANCHEZ, Mariana. Mariana Enriquez: o terror e as esquinas de Buenos Aires. Suplemento Pernambucano. Disponível em: http://www.suplementopernambuco.com.br/edi%C3%A7%C3%B5es-anteriores/70-perfil/1945-mariana-enriquez-o-terror-e-as-esquinas-de-buenos-aires.html Acesso em: 16 ago. 2023.

TRIGO, Luciano. Mariana Enriquez combina crítica social e terror psicológico. G1, set. 2019. Disponível em: https://g1.globo.com/pop-arte/blog/luciano-trigo/post/2019/09/23/mariana-enriquez-combina-critica-social-e-terror-psicologico.ghtml. Acesso em: 21 ago. 2023.

Downloads

Publicado

2023-12-15

Como Citar

CARNEIRO, F. S. B. (Des)(a)fiando o horror: Leituras do conto “teia de aranha”, de mariana henríquez. Letras & Letras, Uberlândia, v. 39, n. único, p. e3920 | p. 1–17, 2023. DOI: 10.14393/LL63-v39-2023-39. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/70755. Acesso em: 14 jul. 2024.