Temáticas da Inquisição na poesia de Machado de Assis

Uma leitura do poema “A cristã nova”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v36n2-2020-TT

Palavras-chave:

Machado de Assis, Poesia, Inquisição, Santo Ofício, “A cristã-nova”

Resumo

Há poucos estudos mais densos sobre a relação de Machado de Assis com as temáticas da Inquisição e com os assuntos judaicos. Se fizermos um recorte apenas na lírica machadiana, encontraremos algumas poesias que estão relacionadas com as questões judaicas e com o Santo Ofício; dentre elas, o longo poema intitulado “A cristã-nova”, o qual pretendemos analisar neste artigo. Nossas reflexões estarão ancoradas principalmente nas pesquisas de Cláudio Murilo Leal, Mário de Andrade, Anita Novinsky, Francisco Bethencourt, Lina Gorenstein, Ricardo Forster.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kenia Maria de Almeida Pereira, Universidade Federal de Uberlândia

Professora de literatura da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Doutora em Literatura Brasileira pela UNESP/ São José do Rio Preto/SP. Atualmente pesquisa o teatro do autor barroco luso-brasileiro Antônio José da Silva, o Judeu.

Marcela Henrique de Freitas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Adjunct Professor at Federal Institute of Education, Science and Technology of Paraiba (IFPB) – Santa Rita Campus, Brazil. M.A. in Linguistics from Universidade Federal de Uberlandia (UFU).

Igor Antônio Lourenço Da Silva, ILEEL - UFU

Professor adjunto do curso de Tradução do Instituto de Letras e Linguística (ILEEL) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFU). É membro permanente do Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos (PPGEL). É também membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos (POSLIN), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e pesquisador associado do Laboratório Experimental em Tradução (LETRA/UFMG). Faz parte da rede internacional de pesquisadores TREC (Translation, Research, Empiricism and Cognition). Tem experiência como tradutor inglês-português-inglês e revisor, principalmente na área acadêmica, nos campos da linguística, medicina, administração e contabilidade. É autor de artigos científicos e capítulos de livros publicados no Brasil e no exterior. É editor da Revista Letras & Letras e tutor da empresa júnior Babel Traduções.

Referências

ANDRADE, Mário de. Aspectos da literatura brasileira. Belo Horizonte: Itatiaia, 2002.

ASSIS, Machado de. Americanas. Rio de Janeiro: B. L. Garnier,1875.

ASSIS, Machado de. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994. V. III.

ASSIS, Machado de. Memórias Póstumas de Brás Cubas. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

ASSIS, Machado de. Toda poesia de Machado de Assis. Organização e prefácio de Cláudio Murilo Leal. Rio de Janeiro: Record, 2008.

BANDEIRA, Manuel. O Poeta. In: ASSIS, Machado de. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994. V. III. p. 11-14.

BETHENCOURT, Francisco. História das Inquisições. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

BORGES, Jorge Luis. Outras inquisições. Tradução de Davi Arrigucci Jr. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

FORSTER, Ricardo. A ficção marrana: Antecipação das estéticas pós-modernas. Tradução de Lyslei Nascimento e Miriam Volpe. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

GONÇALVES, Fabiana. De poeta a editor de poesia. São Paulo: Cultura Acadêmica; UNESP, 2015.

GORENSTEIN, Lina. A Inquisição contra as mulheres: Rio de Janeiro, séculos XVII e XVIII. São Paulo: Humanitas, 2005.

GRANDOLPHO, Marina. O indianismo em Americanas (1875). (Releitura da tradição romântica). 2014. 105 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/4724. Acesso em: 18 nov. 2019.

GRIGULÉVITCH, Iossif. História da Inquisição. Translated by. José Antônio Rodrigues. Lisboa: Editorial Caminho, 1990.

LEAL, Cláudio Murilo. Prefácio: a poesia de Machado de Assis. In: ASSIS, Machado de. Toda poesia de Machado de Assis. Organização e prefácio de Cláudio Murilo Leal. Rio de Janeiro: Record, 2008.

LIPINER, Elias. Santa Inquisição: terror, linguagem. Rio de Janeiro: Documentário, 1977.

MASSA, Jean-Michel. A biblioteca de Machado de Assis. In: JOBIM, José Luís. A biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Topbooks, 2001. p. 21-90.

MIASSO, Audrey. O diálogo bíblico em “A cristã-nova”, de Machado de Assis. In: PEREIRA, K.; AYUB, P.; SILVA, G. (orgs.). A poesia e a bíblia: entre a reverência e a paródia. Uberlândia: EDIBRÁS, 2016.

MOTT, Luiz. Bahia, Inquisição e sociedade. Salvador: EDUFBA, 2010. DOI: https://doi.org/10.7476/9788523208905

NOVINSKY, Anita. Machado de Assis, os judeus e a redenção do mundo. In: AMÂNCIO, Moacir (Org.). Ato de presença: hineni (homenagem a Rifka Berenzin). São Paulo: Humanitas, 2005. p. 23-38.

NOVINSKY, Anita. O olhar judaico em Machado de Assis. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1990.

PEREIRA, Kenia Maria de Almeida. Dois marranos e um bruxo: Antônio José e Baruch Espinosa na poesia de Machado de Assis. Arquivo Maaravi, Belo Horizonte: UFMG, v. 6, n. 11,p. 1-10, out. 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.17851/1982-3053.6.11.62-70

SILVA, Jiuvan Tadeu da. O mito do judeu errante em Machado de Assis: entre a errância e a redenção - a reinvenção do imaginário e a subversão da cultura. 2017. 142 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/21153. Acesso em: 18 nov. 2019.

SCHWARZ, Roberto. Um mestre na periferia do capitalismo: Machado de Assis. São Paulo: Duas Cidades: Editora 34, 2000.

VAINFAS, Ronaldo (Org). Confissões da Bahia: Santo Ofício da Inquisição de Lisboa. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

WIZNITZER, Arnold. Os judeus no Brasil colonial. Translated by Olivia Krahenbuhl. São Paulo: EDUSP, 1966.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

PEREIRA, K. M. de A.; FREITAS, M. H. de; DA SILVA, I. A. L. Temáticas da Inquisição na poesia de Machado de Assis: Uma leitura do poema “A cristã nova”. Letras & Letras, [S. l.], v. 36, n. 2, p. 323–337, 2020. DOI: 10.14393/LL63-v36n2-2020-TT. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/59083. Acesso em: 26 maio. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>