Tradução audiovisual do Português para a Libras a partir do gênero institucional de divulgação científica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v37n2-2021-14

Palavras-chave:

Libras, Tradução audiovisual, Janela de Libras, Divulgação científica

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar a descrição de algumas estratégias de tradução audiovisual utilizadas por dois tradutores de Libras em vídeos institucionais de gênero divulgação científica. A metodologia empregada para identificar essas estratégias foi a da autoconfrontação simples, que permite ao sujeito da ação observar e descrever as escolhas realizadas em determinada atividade a partir de uma extraposição cronotópica e enunciativo-discursiva. Os profissionais participantes assistiram aos vídeos por eles traduzidos e comentaram sobre as estratégias à medida que foram visualizando-se em atividade. Foram reconhecidas estratégias comuns entre os dois tradutores como asdo estudo prévio, do direcionamento ao público-alvo e do trabalho em equipe. Foram encontradas, também, estratégias individuais enunciativo-discursivas, marcadas, dentre outros elementos, pelo uso de datilologia para termos desconhecidos e pela apontação para elementos verbais em português dispostos na tela.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lis Maximo e Melo, Universidade Federal de São Carlos

Especialista em Gestão Cultural pelo Centro Universitário SENAC. Bacharela em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e graduanda em Tradução e Interpretação em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e Língua Portuguesa também na UFSCar.

Vinicius Nascimento, Universidade Federal de São Carlos

Doutor e Mestre em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP e Bacharel em Fonoaudiologia pela mesma instituição. Professor Adjunto II do Departamento de Psicologia no curso de Bacharelado em Tradução e Interpretação em Libras e Língua Portuguesa da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Coordenador do Laboratório de Tradução Audiovisual da Língua de Sinais (LATRAVILIS) e líder do Grupo de Estudos Discursivos da Língua de Sinais. Tradutor e Intérprete de Libras-Português. 

Referências

ARAUJO, V. L. S.; ALVES, S. F. Tradução Audiovisual Acessível (TAVa): Audiodescrição, Janela De Libras E Legendagem Para Surdos e Ensurdecidos. Trab. linguist. apl., v. 56, n. 2, p. 305-315, ago. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/010318138650164304021

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. São Paulo: Editora 34, 2016.

BRAIT. B. Olhar e ler: verbo-visualidade em perspectiva dialógica. Bakhtiniana. Revista de Estudos do Discurso, v. 8, n. 2, p. 43-66, nov. 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S2176-45732013000200004

FAÏTA, D.; VIEIRA, M. Quando os outros olham outros de si mesmos: reflexões metodológicas sobre a autoconfrontação cruzada. Polifonia, v. 7, n. 7, p. 27-65, 2003.

FRANCO, E. C. P.; ARAUJO, V. S. Questões terminológico-conceituais no campo da tradução audiovisual. Tradução em Revista, n. 11, 2011. DOI: https://doi.org/10.17771/PUCRio.TradRev.18884

GRECO, G. M. The nature of accessibility studies. Journal of Audiovisual Translation, v. 1, n. 1, p. 205-232, 2018. DOI: https://doi.org/10.47476/jat.v1i1.51

JÚNIOR, M. A. S. S.; CARNEIRO, L. C. S. Traços de regionalismo na tradução audiovisual da novela em libras Família Silva. In: RIGO, N. (Org.) Textos e contextos artísticos e literários: tradução e interpretação em libras: volume III. Petrópolis: Arara Azul, 2020.

JÚNIOR, O. V. Conceito de gênero e análise de textos de vídeos institucionais. 1997. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada ao Ensino de Línguas) – Faculdade de Comunicação, Filosofia e Letras, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1997.

NASCIMENTO, M. V. B. Tradução de Libras em materiais audiovisuais: usabilidade de janelas e sincronia verbo-visual no processo tradutório. (Relatório de Pesquisa). Universidade Federal de São Carlos, (UFSCar), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP – Processo 2017/21970-9), São Paulo, 2020.

NASCIMENTO, V. O eu-para-mim de intérpretes de língua de sinais experientes em formação. Bakhtiniana, Rev. Estud. Discurso, v. 13, n. 3, p. 104-122, 2018. ISSN 2176-4573. DOI: https://doi.org/10.1590/2176-457335494

NASCIMENTO, V. Janelas de libras e gêneros do discurso: apontamentos para a formação e atuação de tradutores de língua de sinais. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 56, n. 2, p. 461-492, out. 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/010318138649203273941

NASCIMENTO, M. V. B. Formação de intérpretes de libras e língua portuguesa: encontros de sujeitos, discursos e saberes. 2016. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016a.

NASCIMENTO, V. Da norma legislativa à atividade interpretativa: acessibilidade comunicacional de surdos à mídia televisiva. In: SILVA, A.; ALBRES, N. A.; RUSSO, A. (Org.). Diálogos em estudos da tradução e interpretação de língua de sinais. Curitiba: Editora Prismas, 2016b.

NASCIMENTO, V.; OLIVEIRA, G. N.; SANTOS, L. F.; SOUZA, J. C.; FORNARI, R. V. Tradução e interpretação de português-libras na rede InformaSUS-UFSCar: direito à informação para surdos em tempos de COVID-19. Cadernos de Tradução, N. Especial, p. 61-82, 2020.

NASCIMENTO, V. Gêneros do discurso e verbo-visualidade: dimensões da linguagem para a formação de tradutores/intérpretes de Libras/Português. In: BRAIT, B.; MAGALHÃES, A. S. (Org.) Dialogismo: teoria e(m) prática. São Paulo: Terracota Editora, 2014.

NASCIMENTO, M. V. B. Interpretação da língua brasileira de sinais a partir do gênero jornalístico televisivo: elementos verbo-visuais na produção de sentidos. 2011. Dissertação. (Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.

NAVES, S. B.; MAUCH, C.; ALVES, S. F.; ARAÚJO, V. L. S. (Org.). Guia para produções audiovisuais acessíveis. Brasília: Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, 2016.

NOGUEIRA, T. C.; ALVES, T. M. Procedimentos e desafios na tradução de curtas-metragens para libras. In: RIGO, N. (Org.). Textos e contextos artísticos e literários: tradução e interpretação em libras: volume I. Petrópolis: Arara Azul, 2019.

OLIVEIRA, C.; VASCONCELLOS, A. A janela de Libras. In: FARACHE, A. (Org.). Alumiar: uma experiência de cinema acessível. Recife: Ministério da Educação/TV Escola/Fundação Joaquim Nabuco, 2018.

PAGURA, R. A interpretação de conferências: interfaces com a tradução escrita e implicações para a formação de intérpretes e tradutores. DELTA, 19, v. Especial, p. 209-236, S 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-44502003000300013

PEREIRA, R. C.; RIGO, N. Estratégias de tradução audiovisual para libras no contexto cinematográfico. In: RIGO, N. (Org.) Textos e contextos artísticos e literários: tradução e interpretação em libras: volume III. Petrópolis: Arara Azul, 2020.

RODRIGUES, C. H. Translation and signed language: highlighting the visual-gestural modality. Cadernos de Tradução, v. 38, n. 2, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-7968.2018v38n2p294

RODRIGUES, C. H. A interpretação para a língua de sinais brasileira: efeitos de modalidade e processos inferenciais. 2013. Tese. (Doutorado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

SANTOS, S. A. Tradução/interpretação de língua de sinais no Brasil: uma análise das teses e dissertações de 1990 a 2010. 2013. Tese (Doutorado em Estudos da Tradução) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

SOUZA, S. X. Performances de tradução para a Língua Brasileira de Sinais observadas no curso de Letras-Libras. 2010. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

VOLOCHÍNOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas do método sociológico na ciência da linguagem. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. 1. ed. São Paulo, Editora 34, 2017.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

MELO, L. M. e; NASCIMENTO, V. Tradução audiovisual do Português para a Libras a partir do gênero institucional de divulgação científica. Letras & Letras, [S. l.], v. 37, n. 2, p. 271–291, 2021. DOI: 10.14393/LL63-v37n2-2021-14. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/57455. Acesso em: 3 fev. 2023.