Avaliação de roteiros de audiodescrição

Uma proposta via interface entre os Estudos da Tradução e a Linguística Sistêmico-Funcional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v35n2-2019-3

Palavras-chave:

Audiodescrição (AD), Tradução Audiovisual Acessível (TAVa), Estudos da Tradução, Linguística Sistêmico-Funcional, Sistema de Avaliatividade (SA)

Resumo

A audiodescrição-AD, tradução de imagens em palavras, torna acessível produtos (audio)visuais a pessoas com deficiência visual via roteiro e narração/locução. Pensava-se ser possível a neutralidade em ambos. Para abordar essa questão com audiodescritores em formação, elaboramos uma proposta de avaliação de roteiros de AD que demonstrasse a existência e tipo de avaliação neles e as implicações em sua formação. A proposta baseia-se no Sistema de Avaliatividade-SA, parte da Linguística Sistêmico-Funcional hallidayana. O SA contempla três grandes áreas de significados avaliativos que evidenciam como audiodescritores avaliam. Este artigo objetiva compartilhar os resultados de aplicação piloto da proposta via análise dos roteiros de um filme, uma peça e uma pintura. A proposta revelou-se efetiva para informar a formação, indicando: os tipos de avaliação a serem enfatizadas dependendo dos aspectos do texto visual a serem priorizados na descrição; a necessidade de que desvios e inferências descritivos expressos categoricamente sejam evitados e como fazê-lo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Henrique Lima Praxedes Filho, Universidade Estadual do Ceará-UECE

Possui graduação em Letras (Português-Inglês e Literaturas) pela Universidade Federal do Ceará (1988), especialização em Ensino de Línguas Estrangeiras-Inglês (1991) pela Universidade Estadual do Ceará, mestrado em Letras (Concentração em Língua Inglesa) pela Universidade Estadual do Ceará (1996), doutorado em Letras/Inglês e Literatura Correspondente (Concentração: Língua Inglesa e Lingüística Aplicada; Linha de Pesquisa: Aprendizagem e Ensino) pela Universidade Federal de Santa Catarina (2007) e fez estágio pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais na interface, em Linguística Aplicada, entre a Tradução Audiovisual/Audiodescrição e o Sistem de Avaliatividade/Linguística Sistêmico-Funcional. Atualmente é Professor Associado O (40h/DE) da Universidade Estadual do Ceará. Tem experiência na área de Lingüística, com ênfase em Lingüística Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento/aprendizagem da língua inglesa como língua estrangeira ou segunda língua (teoria cognitivista da interlíngua e teoria sócio-cultural) e demais línguas adicionais, Linguística Sistêmico-Funcional, lexicogramática, oralidade vs. escrita, Sistema de Avaliatividade, Tradução Audiovisual Acessível/Audiodescrição.

Vera Lúcia Santiago Araújo, Universidade Estadual do Ceará-UECE

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Ceará (1982), mestrado em Mestrado Em Letras Língua Inglesa pela Universidade Estadual do Ceará (1994) e doutorado em Letras pela Universidade de São Paulo (2000). Atualmente é professor associado da Universidade Estadual do Ceará e pesquisadora nível 2 do CNPq.. Tem experiência na área de Lingüística Aplicada, com ênfase em Tradução, atuando principalmente nos seguintes temas: tradução audiovisual, legendação-legendagem, audiodescrição e tradução audiovisual e ensino.

Kethleen de Almeida Claudino, Universidade Estadual do Ceará-UECE

Licenciada em Letras com habilitação em Língua Inglesa e suas respectivas Literaturas pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Enquanto graduanda, esteve vinculada ao Programa de Iniciação Científica (IC/UECE), desenvolvendo estudos por meio da interface entre a Tradução Audiovisual Acessível (TAVa) e o Sistema de Avaliatividade (SA). Atualmente é mestranda do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada (PosLA/UECE), com pesquisa filiada ao Laboratório de Tradução Audiovisual (LATAV), dentro do projeto CARA - Características avaliativas de roteiros de audiodescrição: um estudo descritivo.

Referências

ALMEIDA, J. M. B. O roteiro de audiodescrição do filme de curta-metragem ‘Águas de Romanza’ é neutro? uma pergunta para o Sistema de Avaliatividade. 2015. 39f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado) – Centro de Humanidades, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2015.

ABUD, J. V. T. Análise do roteiro de audiodescrição da peça ‘Miralu e a Luneta Encantada’: um estudo descritivo via sistema de avaliatividade. 2018. 177f. Dissertação (Mestrado) – Pós-graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2018.

ARAÚJO, V. L. S.; ABUD, J. T.; PRAXEDES FILHO, P. H. L. Análise do roteiro de Audiodescrição da peça Miralu e a Luneta Encantada via sistema de avaliatividade. In: MAYER, F.A; PINTO, J. Perspectivas contemporâneas em Audiodescrição. Curitiba: CRV, 2018, 115-132.

ARRAES, D. A. A (falta de) reconstrução de programas de efeitos em roteiros de audiodescrição de filme via posicionamentos avaliativos do audiodescritor: um estudo de caso. 140f. 2017. Dissertação (Mestrado) – Pós-graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2017.

BENECKE, B. Audio-Description. Meta: Translators’ Journal, v. 49, n. 1, 2004, p. 78-80.

CHARTE de qualité de l’audiodescription, 2008. Disponível em: https://www.sdicine.fr/wp-content/uploads/2015/05/Charte-de-laudio-description-1008.pdf. Acesso em: 15 maio 2019.

CLAUDINO, K. A. Roteiros de audiodescrição de pinturas: a preferência de pessoas com deficiência visual por descrições mais ou menos avaliativas. Em andamento. Dissertação (Mestrado) – Pós-graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, em andamento.

FARIAS JÚNIOR. L. Roteiro de AD em português do filme ‘Ensaio sobre a cegueira’: um estudo descritivo sobre o estilo avaliativo do texto. 2016. 255f. Dissertação (Mestrado) – Pós-graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2016.

HALLIDAY, M. A. K. Language as social semiotic: the social interpretation of language and meaning. London: Edward Arnold, 1978.

HALLIDAY, M. A. K.; MATTHIESSEN, C. Introduction do Functional Grammar. 3 ed. London: Arnold, 2004.

HYKS, V. AD and Translation: two related but different kills. Translating Today Magazine. v. 4, 2005, p. 06-08.

LIMA, A. K. F. Características avaliativas na AD de SAMANTHA!: um estudo de caso sobre um seriado de comédia. Em andamento. Dissertação (Mestrado) – Pós-graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, em andamento.

LIMA, A. K. F.; CLAUDINO, K. A.; PRAXEDES FILHO, P. H. L. Audiodescrição de monumentos de Fortaleza: um estudo sobre as características avaliativas. PERcursos Linguísticos, v. 8, n. 20, 2018, p. 45-63.

MARTIN, J. R.; WHITE, P. R. R. The language of evaluation: appraisal in English. Hampshire: Palgrave Macmillan, 2005.

MUNDAY, J. Style and ideology in translation: Latin American writing in English. Londres e Nova York: Routledge, 2008.

NUNES, M. S. Uma proposta de audiodescrição de pinturas de Bruegel sob a perspectiva dos estudos da tradução e da semiótica social multimodal. 2016. 306f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada). Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada (PosLA). Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2016.

OLIVEIRA JUNIOR, J. Desmistificando a neutralidade em AD via sistema de avaliatividade: um estudo exploratório-descritivo sobre a assinatura do audiodescritor de curtas de temática LGBT. 2016. 205f. Tese (Doutorado) – Pós-graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2016.

OLIVEIRA JUNIOR, J.; PRAXEDES FILHO. P. H. L. A (não)neutralidade em roteiros de audiodescrição-AD de filmes de curta-metragem via sistema de avaliatividade. In: CARPES, D. S. (Org.). Audiodescrição: práticas e reflexões. Santa Cruz do Sul-RS: Catarse, 2016, p. 22-36.

PRAXEDES FILHO, P. H. L. ; ARRAES, D. A. Avaliar ou não avaliar, eis a questão: o estado da arte nas pesquisas sobre avaliatividade em audiodescrição. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 56, n. 2, 2017, p. 379-415.

PRAXEDES FILHO, P. H. L.; MAGALHÃES, C. M. A neutralidade em audiodescrições de pintura: resultados preliminares de uma descrição via teoria da avaliatividade. In: ARAÚJO, V. L. S; ADERALDO, M . F. (Org.). Os novos rumos da pesquisa em audiodescrição no Brasil. Curitiba: CRV, 2013, p. 73-88.

PRAXEDES FILHO, P. H. L.; MAGALHÃES, C. M. audiodescrições de pinturas são neutras? Descrição de um pequeno corpus em português via teoria da avaliatividade. In: PONTES, V. O; CUNHA, R. B; CARVALHO, E. P.; TAVARES, M. G. G. (Org.). A tradução e suas interfaces: múltiplas perspectivas. Curitiba: CRV, 2015, p. 99-130.

PRAXEDES FILHO, P. H. L.; SANTOS, S. A.; FARIAS JÚNIOR, L. R. Tendência de assinatura avaliativa: um estudo de caso exploratório em roteiro de audiodescrição de peça de teatro. Entrepalavras, v. 7, 2017, p. 243-265.

SNYDER, J. Translating Today Magazine. Volume 4, 2005, p.15-17.

SILVA, C. F.; PRAXEDES FILHO, P. H. L. A (in)existência de neutralidade: um estudo de caso baseado em corpus com roteiros de audiodescrição francesas de filmes via Teoria da Avaliatividade. Letras & Letras. v. 30, n. 2, 2014, p. 367-400.

STANDARDS for audio description and code of professional conduct for describers. 3 ed. Audio Description Coalition, 2009. Disponível em: https://audiodescriptionsolutions.com/wp-content/uploads/2016/06/adc_standards_090615.pdf. Acesso em: 15 maio 2019.

WHITE, P. R. R. Beyond modality and hedging: a dialogic view of the language of intersubjective stance. Text, v. 23, n. 2, 2003, p. 259-284.

Publicado

2019-12-31

Como Citar

LIMA PRAXEDES FILHO, P. H. .; SANTIAGO ARAÚJO, V. L.; DE ALMEIDA CLAUDINO, K. Avaliação de roteiros de audiodescrição: Uma proposta via interface entre os Estudos da Tradução e a Linguística Sistêmico-Funcional. Letras & Letras, [S. l.], v. 35, n. 2, p. 34–61, 2019. DOI: 10.14393/LL63-v35n2-2019-3. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/50103. Acesso em: 7 ago. 2022.