A expertise por interação como condicionante da competência do tradutor de textos técnicos e científicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL32-v11n5a2017-19

Palavras-chave:

Tradução de textos especializados, Expertise em tradução, Conhecimento especializado, Expertise por interação

Resumo

O presente artigo apresenta uma reflexão inicial sobre o papel da expertise por interação como componente necessário da competência do tradutor de textos técnicos e científicos. Mais especificamente, com base no modelo de expertise, preconizado por Collins e Evans (2007, 2010), e na noção de escrita mediante transformação do conhecimento, trazida por Scardamalia e Bereiter (1991), propõe-se que a interação entre tradutor e especialista em atividades de prática deliberada (ERICSSON; CHARNESS, 1997) fomenta processos tradutórios que levam à produção de textos de chegada adequados às expectativas das comunidades discursivas a que se destinam. Exemplos são apresentados para mostrar a pertinência da proposta e evidenciar que a expertise por interação é necessária para o sucesso da prática tradutória e para a elaboração de tarefas de prática deliberada voltadas à formação e à especialização de tradutores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Igor Antônio Lourenço da Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Professor adjunto do curso de Tradução do Instituto de Letras e Linguística (ILEEL) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFU)

Referências

ALVES, F.; GONCALVES, J. L. V. R. Modelling translator’s Competence: Relevance and Expertise under Scrutiny. In: GAMBIER, Y., SCHLESINGER, M.; STOLZE, R. (Ed.). Translation Studies: Doubts and Directions. Selected Papers from the IV Congress of the European Society for Translation Studies. Amsterdam: John Benjamins, 2007.

ALVES, F.; PAGANO, A. S.; SILVA, I. A. L. Modeling (un)packing of meaning in translation: insights from effortful text production. In: SHARP, B.; ZOCK, M.; CARL, M.; JAKOBSEN, A. (Org.). Proceedings of the 8th International NLPCS Workshop (Natural Language Processing and Cognitive Sciences). Special theme: human-machine interaction in translation. Copenhague: Samfundslitterattur, 2011, v. 11, p. 153-162.

AUBERT, F. H. Tradução técnico-científica e terminologia: um ensaio exploratório de uma via de mão dupla. Tradterm, São Paulo, v. 7, p. 41-52, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2001.49141. Acesso em: 8 maio 2017.

BEEBY, A. Teaching translation from Spanish to English. Ottawa: University of Ottawa Press, 1996.

BELL, R. T. Translation and translating. London: Longman, 1991.

BRAGA, C. N. O. B. O texto traduzido sob a perspectiva do avaliador: um estudo exploratório. 2012. 150f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2012.

BUCHWEITZ, A.; ALVES, F. Cognitive adaptation in translation: an interface between language direction, time, and recursiveness in target text production. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 41, n. 2, p. 241-272, jun. 2006.

BYRNE, J. Technical translation: usability strategies for translating technical documentation. Dordrecht: Springer, 2006. https://doi.org/10.1007/1-4020-4653-7

CAMPBELL, S. Translation into the second language. London: Longman, 1998.

CHI, M. T. H. Two approaches to the study of experts’ characteristics. In: ERICSSON, K. A.; CHARNESS, N.; FELTOVICH, P. J.; HOFFMAN, R. R. The Cambridge handbook of expertise and expert performance. Cambridge: CUP, 2006a, p. 21-30. https://doi.org/10.1017/CBO9780511816796.002

______. Laboratory methods for assessing experts’ and novices’ knowledge. In: ERICSSON, K. A.; CHARNESS, N.; FELTOVICH, P. J.; HOFFMAN, R. R. The Cambridge handbook of expertise and expert performance. Cambridge: CUP, 2006b, p. 167-184. https://doi.org/10.1017/CBO9780511816796.010

COLLINS, H.; EVANS, R. Rethinking expertise. Chicago e Londres: The University of Chicago Press, 2007. https://doi.org/10.7208/chicago/9780226113623.001.0001

______. Repensando a expertise. Trad. Igor Antônio Lourenço da Silva. Belo Horizonte: Fabrefactum, 2010.

CRYSTAL, D. English as a global language. Cambridge: CUP, 1988.

DA SILVA, I. A. L. Conhecimento experto em tradução: aferição da durabilidade de tarefas tradutórias realizadas por sujeitos não-tradutores em condições empírico-experimentais. 2007. 277 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2007.

______. (Des)compactação de significados e esforço cognitivo no processo tradutório: um estudo da metáfora gramatical na construção do texto traduzido. 2012. 294 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2012.

DA SILVA, I. A. L.; ALVES, F.; SCHMALTZ, M.; PAGANO, A. S.; WONG, D.; CHAO, L.; LEAL, A. L. V.; QUARESMA, P.; GARCIA, C.; SILVA, E. G. Translation, post-editing and directionality: a study of effort in the Chinese-Portuguese language pair. In: JAKOBSEN, A. L.; MESA-LAO, B. Translation in transition. Amsterdam: John Benjamins, 2017, p. 107-134. https://doi.org/10.1075/btl.133.04lou

DA SILVA, I. A. L.; OLIVEIRA, M. L.; LIMA, K. C. S. Conhecimento experto em tradução: uma abordagem processual e discursiva de tarefas tradutórias realizadas por pesquisadores expertos. Revista da ABRALIN, Curitiba, v. 7., n. 1, p. 279-306, jan.-jul. 2008.

ERICSSON, K. A. An introduction to The Cambridge Hanbook of Expertise and Expert Performance: its development, organization, and content. In: ERICSSON, K. A.; CHARNESS, N.; FELTOVICH, P. J.; HOFFMAN, R. R. The Cambridge handbook of expertise and expert performance. Cambridge: CUP, 2006. p. 2-3. https://doi.org/10.1017/CBO9780511816796

______. Expertise in interpreting: an expert-performance perspective. Interpreting, Amsterdam, v. 5, n. 2, p. 189-222, 2000. https://doi.org/10.1075/intp.5.2.08eri

ERICSSON, K. A.; CHARNESS, N. Cognitive and developmental factors in expert performance. In: FELTOVICH, P.; FORD, K. M.; HOFFMAN, R. R. (Ed.). Expertise in context: human and machine. Cambridge: MIT Press, 1997.

ERICSSON, K. A.; CHARNESS, N.; FELTOVICH, P. J.; HOFFMAN, R. R. The Cambridge handbook of expertise and expert performance. Cambridge: CUP, 2006. https://doi.org/10.1017/CBO9780511816796

ERICSSON, K. A., KRAMPE, R., AND TESCH-ROEMER, C. The role of deliberate practice in the acquisition of expert performance. Psychological Review, Washington, v. 100, p. 363-406, 1993. https://doi.org/10.1037/0033-295X.100.3.363

FERREIRA, A. Direcionalidade em tradução: uma investigação do processamento cognitivo de tradutores profissionais em tradução direta e inversa no par linguístico inglês-português. 2010. 137 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2010.

______. Direcionalidade em tradução: o papel da subcompetências bilíngue em tarefas de tradução L1 e L2. 2013. 177 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2013.

FERREIRA, A.; SCHWIETER, J. W.; GOTTARDO, A.; JONES, J. Cognitive e ort in direct and inverse translation performance: insight from eye-tracking technology. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 36, n. 3, p. 60-80, 2016. https://doi.org/10.5007/2175-7968.2016v36n3p60

GARCIA, I. W. Tradução do texto técnico-científico. Ilha do Desterro, Florianópolis, v. 28, p. 75-85, 1992.

GILE, D. Basic concepts and models for interpreter and translator training. Amsterdam: John Benjamins, 1995. https://doi.org/10.1075/btl.8(1st)

GONÇALVES, J. L. V. R. O desenvolvimento da competência do tradutor: em busca de parâmetros cognitivos. In: ALVES, F; MAGALHÃES, C. M.; PAGANO, A. S. (Org.). Competência em tradução: cognição e discurso. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2005, p. 59-90.

HALLIDAY, M. A. K. Text as semantic choice in social context. In: VAN DIJK, T. A.; PETOFI, J. S. Grammars and descriptions. Berlin: Walter de Gruyter, 1977.

HURTADO-ALBIR, A. La enseñanza de la traducción directa ‘general’. Objetivos de aprendizaje y metodología’. In: HURTADO-ALBIR, A. (Ed.). La enseñanza de la traducción. Castellón: Universitat Jaume I, 1996, p. 31-35.

______. (Ed.). Enseñar a traducir: metodología en la formación de traductores e intérpretes. Madrid: Edelsa, 1999.

KELLOGG, R. T. Professional writing expertise. In: ERICSSON, K. A.; CHARNESS, N.; FELTOVICH, P. J.; HOFFMAN, R. R. The Cambridge handbook of expertise and expert performance. Cambridge: CUP, 2006, p. 389-402. https://doi.org/10.1017/CBO9780511816796.022

KINGSCOTT, G. Technical translation and related disciplines. Perspectives: Studies in Translatology, London, v. 10, n. 4, p. 247-255, 2002. https://doi.org/10.1080/0907676X.2002.9961449

KIRALY, D. Pathways to translation: pedagogy and process. Kent: The Kent State University Press, 1995.

KRIEGER, M. G. Do ensino da terminologia para tradutores: diretrizes básicas. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 17, n. 1, p. 189-206, 2006.

LIMA, K. C. S. Conhecimento experto em tradução: orientação e revisão em tarefas tradutórias executadas por pesquisadores expertos não-tradutores. 2008. 187 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2008.

______. Caracterização de registros orientada para a produção textual no ambiente multilíngue: estudo baseado em corpora comparáveis. 2013. 249 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2013.

MCKAY, S. L. Teaching English as an international language. Oxford: OUP, 2002.

MENEGHINI, R.; PACKER; A. L. Is there science beyond English? European Molecular Biology Organization Reports, Berlin, v. 8, n. 2, p. 112-116, 2007.

OLIVEIRA, M. L. Conhecimento de domínio e expertise em tradução: contribuições de um estudo comparado entre tradutores profissionais e pesquisadores juniores e seniores no desempenho de tarefas de tradução. 2009. 249 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2009.

OLOHAN, M. Scientific and Technical Translation. In: BAKER, M.; SALDANHA, G. (Org.). Routledge handbook of translation studies. London: Routledge, 2012, p. 246-249.

PACTE. Acquiring translation competence: hypotheses and methodological problems in a research project. In: BEEBY, A.; ENSINGER, D.; PRESAS, M. (Ed.). Investigating Translation. Amsterdam: John Benjamins, 2000, p. 99-106. https://doi.org/10.1075/btl.32

______. Building a translation competence model. In: ALVES, F. (Ed.). Triangulating Translation: perspectives in process oriented research. Amsterdam: John Benjamins, 2003, p. 43-66. https://doi.org/10.1075/btl.45.06pac

______. Investigating translation competence: conceptual and methodological issues. Meta, Montréal, v. 50, n. 2, p. 609-619, 2005. https://doi.org/10.7202/011004ar

PAGANO, A. S. Modelagem sistêmico-funcional da tradução e da produção textual multilíngue. 2012. 130 f. Tese (Concurso Público para Professor Titular) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2012.

PAGANO, A. S.; DA SILVA, I. A. L. Domain knowledge in translation task execution: insights from academic researchers performing as translators. In: WORLD CONGRESS INTERNATIONAL FEDERATION OF TRANSLATORS, 18., 2008, Shanghai. Proceedings... Shanghai: Foreign Language Press, 2008. CD-ROM.

PAIVA, P. T. P.; CAMARGO, D. C.; XATARA, C. M. Uma reflexão sobre a elaboração de um léxico bilíngue preliminar na subárea de cardiologia a partir do uso de termos encontrados em um corpus paralelo e em dois corpora comparáveis. D.E.L.T.A., São Paulo, v. 24, n. 1, p. 1-22, 2008.

RIBEIRO, R. The language barrier as an aid to communication. Social Studies of Science, v. 37, n. 4, p. 561-584, 2007. https://doi.org/10.1177/0306312706070738

RISKU, Hanna. Translatorische Kompetenz. Kognitive Grundlagen des Übersetzens als Expertentätigkeit. Tübingen: Stauffenburg, 1998.

SCARDAMALIA. M.; BEREITER, C. Literate expertise. In: ERICSSON, K. A.; SMITH, J. Toward a general theory of expertise. Cambridge: CUP, 1991, p. 172-194.

SHREVE, G. M. The deliberate practice: translation and expertise. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON NEW HORIZONS IN THEORETICAL TRANSLATION STUDIES, 2005, Hong Kong. Proceedings… Hong Kong: Chinese University of Hong Kong Press, 2006a, p. 154-162.

______. The deliberate practice: translation and expertise. Journal of Translation Studies, Hong Kong, v. 9, n. 1, p. 27-42, 2006b.

VASCONCELOS, S. M. R.; SORENSON, M. M.; LETA, J. Scientist-friendly policies for non-native English-speaking authors: timely and welcome. Brazilian Journal of Medical and Biological Research, Ribeirão Preto, v. 40, p. 743-747, 2007. https://doi.org/10.1590/S0100-879X2007000600001

Downloads

Publicado

21-12-2017

Como Citar

LOURENÇO DA SILVA, I. A.; SILVEIRA, F. de A. A expertise por interação como condicionante da competência do tradutor de textos técnicos e científicos. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 11, n. 5, p. 1746–1763, 2017. DOI: 10.14393/DL32-v11n5a2017-19. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/38372. Acesso em: 16 maio. 2022.