O berço francês na nossa educação: do projeto do Colégio Pedro II ao Bac-ENEM

Autores

  • Cynthia Agra de Brito Neves

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL20-v9n4a2015-4

Palavras-chave:

educação francesa no Brasil, Colégio Pedro II, Bac-ENEM

Resumo

Este artigo tem por finalidade refletir sobre as raízes e os vínculos transversais do Brasil com a França a partir da investigação das heranças e influências da pedagogia francesa na formação do nosso ensino secundário, sobretudo em meados do século XIX, quando o Colégio Pedro II, a escola modelo, era referência nacional e importava currículos e programas de estudos dos lycées franceses. Almeida (2000), Doria (1997), Santos (2003), Vechia e Cavazotti et al (2003) e, principalmente, Razzini (2000) foram contribuições preciosas para constatarmos o papel das ideias libertárias e literárias dessa pedagogia na excelência desse Colégio no período do Império à República no Brasil. Criado em 1837, sob tutela do Estado e com o nome do imperador, o Colégio estabelecia um projeto de nação baseado nessas ideias. A instituição - responsável pela formação de nomes como Joaquim Manuel de Macedo, Manuel Bandeira e Pedro Nava - contava com um corpo docente de prestígio que se dedicou, durante décadas, à formação dos filhos da elite brasileira que procurava naquela escola uma educação inspirada no modelo clássico e humanista francês.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-12-2015

Como Citar

NEVES, C. A. de B. O berço francês na nossa educação: do projeto do Colégio Pedro II ao Bac-ENEM. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 9, n. 4, p. 64–90, 2015. DOI: 10.14393/DL20-v9n4a2015-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/31267. Acesso em: 6 jul. 2022.