Onomástica em Libras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex-v9a2023/24-5

Palavras-chave:

Onomástica, Libras

Resumo

Este texto mostra possibilidades de estudo do signo onomástico na Língua Brasileira de Sinais (Libras) para além das abordagens tradicionalmente mais fortes de antropônimos e topônimos. Por exemplo, Ononímia, Astronímia e Zoonímia são algumas áreas dos estudos onomásticos em línguas de sinais que poderiam contribuir para a descrição do léxico das línguas viso-espaciais e das línguas orais. Embora não seja o foco principal deste texto, as presentes descrições podem contribuir para o ensino do léxico da Libras tanto como primeira língua L1 para surdos quanto como segunda língua (L2) para ouvintes. Esse ensino poderia ser baseado tanto nos aspectos formais quanto nos aspectos semânticos (motivacionais e icônicos) da Língua Brasileira de Sinais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Melo de Sousa, Universidade Federal de Alagoas

Professor Associado da Universidade Federal de Alagoas, nas áreas da Linguística Geral, Linguística Aplicada à Língua Brasileira de Sinais e Língua Portuguesa. Mestre e Doutor em Linguística pela Universidade Federal do Ceará.

Referências

BARROS, M. E. Taxonomia Antroponímica nas Línguas de Sinais – A Motivação dos Sinais-Nomes. Revista RE-UNIR, v. 5, n. 2, p. 40-62, 2018. Retrieved from: https://periodicos.unir.br/index.php/RE-UNIR/article/view/3092 Access on: 14 Nov. 2021. DOI https://doi.org/10.47209/2594-4916.v.5.n.2.p.40-62

BIDERMAN, M. T. C. Dimensões da palavra. Revista Filologia e linguística portuguesa, n. 2, p. 81-118, 1998. Retrieved from: http://dlcv.fflch.usp.br/files/Biderman1998_0.pdf Access on: 14 Nov. 2021. DOI https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v0i2p81-118

BROOM, D. M.; FRASER, A. F. Comportamento e bem-estar de animais domésticos. 4. ed. São Paulo: Manole, 2010.

CÂMARA JR., J. M. Dicionário de linguística e gramática. São Paulo: Vozes, 1986.

CARDOSO, Z. A. Zoonímia e metassemia. Revista Língua e Literatura, v. 6, n. 1, p. 287-291, 1977. Retrieved from: https://www.revistas.usp.br/linguaeliteratura/article/view/115826 Access on: 16 Nov. 2021. DOI https://doi.org/10.11606/issn.2594-5963.lilit.1977.115826

CARDOZO, E. Os animais como sujeitos de Direito. Revista Brasileira de Direito Animal, v. 1, p. 119-121, 2006.

CARMO, F. S. Toponímia em Libras dos parques, praças e espaços de lazer em Rio Branco (AC): análise dos aspectos formais e motivacionais dos sinais que nomeiam os espaços urbanos. 2021. 49f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Letras Libras) – Universidade Federal do Acre, Rio Branco, 2021.

CARVALHO, M. A. Contribuições para o Atlas Toponímico do Mato Grosso – Mesorregião Sudoeste mato-grossense. 2010. 540 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade de São Paulo. São Paulo: USP, 2010.

DUBOIS, J.; GIACOMO, M.; GUESPIN, L.; MARCELLESI, C.; MARCELLESI, J.; MEVEL, J. P. Dicionário de Linguística. São Paulo: Cultrix, 1973.

FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade: um projeto em parceria. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

FERREIRA, D. B. S. Estudo toponímico do centro comercial de Feira de Santana-BA: línguas orais e Libras. 2019. 186 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2019.

FRANCISQUINI, I. A. O nome e o lugar: uma proposta de estudos toponímicos da microrregião de Paranavaí. 1998. 220 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 1998.

GUÉRIOS, R. F. M. Onionímia ou Onomástica Industrial. In: BARBADINHO-NETO, R. (org.). Estudos em homenagem a Cândido Jucá (Filho). Rio de Janeiro: Simões editora, 1973. p. 179-218.

JESUS, C. M. A. Estudo toponímico dos bairros de Feira de Santana-BA: línguas orais e Libras. 2019. 169 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2019.

LAMB, S. M. Lexicologia e semântica. In: HILL, A. A. (org.) Aspectos da linguística moderna. São Paulo: Cultrix, 1974. p. 47-65.

MENEZES, K. C. S. O. Antroponímia em Libras: análise dos sinais-nome atribuídos a ouvintes do curso de Letras Libras, da Universidade Federal do Acre. 47f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Letras Libras) – Centro de Educação, Letras e Artes, Universidade Federal do Acre, Rio Branco, 2021.

MIRANDA, R. G. Toponímia em Libras: descrição e análise dos sinais dos municípios de Tocantins. 2020. 186 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal de Tocantins, Porto Nacional, 2020.

NEVES, N. L. H. Nomes próprios comerciais e industriais no português. 1971. 207f. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1971.

PERNISS, P. Space and iconicity in German Sign Language (DGS). Wageningen: Ponsen & Looijen bv, 2007. Retrieved from: http://hdl.handle.net/2066/30937 Access on: 5 May 2020.

POLGUÈRE, A. Lexicologia e semântica lexical: noções fundamentais. São Paulo: Contexto, 2018.

PRADO, N. C. A influência da língua inglesa na formação de nomes comerciais: questões de identidade linguística e cultural. 2014. 343 f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2014.

SILVA, L. L.; SOUSA, R. P. L. Produtos midiáticos: a logomania como identificação de usuários. Da pesquisa, v. 16, p. 01-20, 2021. Retrieved from: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/16528. Access on: 16 Nov. 2021. DOI https://doi.org/10.5965/1808312915252021e0013

SOUSA, A. M. Toponímia em Libras. Relatório (Pós-Doutorado – Linguística Aplicada/Libras) – Programa de Pós-Graduação em Linguística. Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Florianópolis, 2019.

SOUSA, A. M. Toponímia em Libras: pesquisa, ensino e interdisciplinaridade. São Paulo: Pimenta Cultural, 2022. DOI https://doi.org/10.31560/pimentacultural/2022.152

SOUSA, A. M.; DARGEL, A. P. T. P. Onomástica: interdisciplinaridade e interfaces. Revista GTLEX, v. 3, n. 1, p. 7-22, 2020. Retrieved from: http://www.seer.ufu.br/index.php/GTLex/arti cle/view/53813. Access on: 13 Nov. 2021. DOI https://doi.org/10.14393/Lex5-v3n1a2017-1

SOUSA, A. M.; OLIVEIRA, G. C. S.; GONÇALVES-FILHO, J. S. T.; QUADROS, R. M. Antroponímia em língua de sinais: os sinais-nome em Florianópolis-SC, Brasil. Revista Humanidades e Inovação, v. 7, n. 26, p. 112-124. Retrieved from: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/2598 Access on: 14 Nov. 2021.

SOUZA JÚNIOR, J. E. Nomeação de lugares na Língua de Sinais Brasileira: uma perspectiva de Toponímia por sinais. 2012. 149f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

SOUZA, A. J. Criação lexical em textos publicitários: análise de oniônimos. 2019. 107 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019.

STRUNCK, G. L.T.L. Como criar identidades visuais para marcas de sucesso: um guia sobre o marketing das marcas e como representar graficamente seus valores. Rio de Janeiro: Rio Books, 2012.

SUPALLA, S. J. The book of name signs: naming in American Sign Language. San Diego: DawnSignPress, 1992.

TAVARES, R. O princípio da igualdade na relação do homem com os animais. Revista Brasileira de Direito Animal, v. 8, p. 221-248, 2011.

TRASK, R. L. Language and Linguistics: the key concepts. 2. ed. New York: Routledge, 2006. DOI https://doi.org/10.4324/9780203961131

VASCONCELLOS, J. L. Antroponímia portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional, 1928.

WILD, M. R. Name signs in American Sign Language. Swarthmor: Swarthmore College, 2017.

ZINKIN, V. The syntax of place-names. Names, v. 17, n. 3, p. 181-198, 1969. Retrieved from: https://ans-names.pitt.edu/ans/article/view/628/627 Access on: 7 May 2021. DOI https://doi.org/10.1179/nam.1969.17.3.181

Downloads

Publicado

11-10-2023

Como Citar

SOUSA, A. M. de. Onomástica em Libras. Revista GTLex, Uberlândia, v. 9, p. e0905, 2023. DOI: 10.14393/Lex-v9a2023/24-5. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/GTLex/article/view/71041. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Tradução