Cultura e ambiente

hagiotopônimos na hidronímia da Mesorregião Norte Maranhense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex11-v6n1a2020-16

Palavras-chave:

Toponímia, Hidronímia, Hagiotopônimos, Maranhão

Resumo

Este trabalho apresenta uma análise dos hagiotopônimos que nomeiam hidrônimos da Mesorregião Norte Maranhense, objetivando examinar a relação cultura, ambiente e toponímia. O corpus foi extraído do banco de dados da dissertação de mestrado intitulada Pelos caminhos das águas: um estudo da hidronímia da Mesorregião Norte Maranhense (PEREIRA, 2017). O banco abarca 60 municípios maranhenses e foi constituído com base em mapas oficiais do IBGE (2010), com escalas que variam de 1:50.000 a 1:100.000. Para este estudo, fundamentado nos trabalhos de Dick (2004; 1995), Sapir (1961) e Chaves (1956), foram selecionados 40 hagiotopônimos. Os resultados apontam a religiosidade como um fator significativo no processo de nomeação no âmbito da hidronímia maranhense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edson Lemos Pereira, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Mestre em Letras pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), doutorando do Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguísticos da Universidade Federal de Minas Gerais (PosLin-UFMG).

Conceição de Maria de Araujo Ramos, Universidade Federal do Maranhão

Doutora em Linguística pela Universidade Federal de Alagoas, professora associada IV do Departamento de Letras da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Maria Cândida Trindade Costa de Seabra, Universidade Federal de Minas Gerais

Pós-Doutora pela USP e UNISINOS, Professora da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Referências

BIDERMAN, M. T. C. As ciências do léxico. In: OLIVEIRA, A. M. P. P.; ISQUERDO, A. N. (org.). As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia, terminologia. v. 1. 2. ed. Campo Grande: Editora da UFMS, 2001. p. 13-22.

CHAVES, L. Influências religiosas na formação da antroponímia e da toponímia em Portugal. O Archeólogo Português, Lisboa, v. 3, p. 177-209, 1956.

D’ABBEVILLE, C. História da missão dos padres capuchinhos na Ilha do Maranhão e terras circunvizinhas. São Paulo: Siciliano, 2002.

D’EVREUX, Y. Viagem ao norte do Brasil: feita no ano de 1613 a 1614. São Paulo: Siciliano, 2002.

DAUZAT, A. Les noms de lieux. Paris: Librairie Delagrave, 1928.

DICK, M. V. de P. do A. Atlas toponímico do Brasil: teoria e prática II. Revista Trama, Paraná, v. 3, n. 5, p. 141-155, 2007a.

DICK, M. V. de P. do A. Rede de conhecimento e campo lexical: hidrônimos e hidrotopônimos na onomástica brasileira. In: ISQUERDO, A. N.; KRIEGER, M. da G. (org.). As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia, terminologia. Campo Grande: Editora. UFMS, 2004, v. 2, p. 121-130.

DICK, M. V. de P. do A. A motivação toponímica e a realidade brasileira. São Paulo: Edições do Arquivo do Estado, 1990a.

DICK, M. V. de P. do A. Os vocabulários toponímicos básicos no “vocabulário na língua brasílica” e sua relação geográfica. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros – IEB da Universidade de São Paulo, São Paulo, n. 31, p. 95-111, 1990b.

DICK, M. V. de P. do A. O léxico toponímico: marcadores e recorrências linguísticas (Um estudo de caso: a toponímia do Maranhão). Revista Brasileira de Linguística, São Paulo, v. 8, n. 1, p.69-67, 1995.

DICK, M. V. de P. do A; SEABRA, M. C. T. C. de. Caminho das águas, povos dos rios: uma visão etnolinguística da toponímia brasileira. In: CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA, 5., 2001, Rio de Janeiro. Anais [...]: Disponível em: http://www.filologia.org.br/vcnlf/anais%20v/cong_vcnlf06.html. Acesso 28 ago 20.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Glossário dos termos genéricos dos nomes geográficos utilizados no mapeamento sistemático do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2010, v. 1.

ISQUERDO, A. N.; SEABRA, M. C. T. C. de. Apontamentos sobre hidronímia e hidrotoponímia na fronteira entre os estados de Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. In: ISQUERDO, A. N.; BARROS, L. A. (org.). As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia e terminologia. v. 5. Campo Grande: EDUFMS, 2010. p. 79-98.

MARQUES, C. A. Dicionário histórico-geográfico da Província do Maranhão/ Notas e apuração textual de Jomar Morais. 3. ed. São Luís: Edições AML, 2008.

MORALA, J. R. Toponimía y geografia linguística. Sobre leonés y castellano. In: SOUSA FERNÁNDEZ, X. (ed.). Toponimia e cartografia. Santiago de Compostela: Consello da Cultura Galega: Instituto da Lingua Galega, 2010. p. 103-128.

MUJIKA ULAZIA, N. Bilingüismo, toponímia y cartografia en la Comunidad Autónoma del País Vasco. In: SOUSA FERNÁNDEZ, X. (ed.). Toponimia e cartografia. Santiago de Compostela: Consello da Cultura Galega: Instituto da Lingua Galega, 2010. p. 73-102.

PEREIRA, E. L. Pelos caminhos das águas: um estudo da hidronímia da. Mesorregião Norte Maranhense. 2017. 109f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Centro de Ciências Humanas, Universidade Federal do Maranhão, São Luis, 2017.

ROSSELLÓ I VERGER, V. M., Toponimia, geografia y cartografía. In: SOUSA FERNÁNDEZ, X. (ed.). Toponimia e cartografia. Santiago de Compostela: Consello da Cultura Galega: Instituto da Lingua Galega, 2010. p. 21-37.

SAPIR, E. Linguística como ciência. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1961.

TROVÃO, J. R. O processo de ocupação do território maranhense. São Luís: IMESC, 2008.

VASCONCELOS, J. L. de. Opúsculos. III. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1931.

Downloads

Publicado

12-05-2021

Como Citar

Pereira, E. L. ., Ramos, C. de M. de A. ., & Seabra, M. C. T. C. de. (2021). Cultura e ambiente: hagiotopônimos na hidronímia da Mesorregião Norte Maranhense. Revista GTLex, 6(1), 324–339. https://doi.org/10.14393/Lex11-v6n1a2020-16