Projeto ATOEPE

gênese e estágio atual dos estudos sobre a toponímia pernambucana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex11-v6n1a2020-5

Palavras-chave:

Léxico, Toponímia, Pernambuco, Cartografia

Resumo

Os estudos sobre Toponímia no Estado de Pernambuco são escassos, a despeito de poucas dissertações e trabalhos monográficos isolados. Por esse motivo, aliado à literatura específica e inspirado em pesquisas já concluídas, este artigo visa à apresentação de um projeto para documentação e cartografia dos topônimos pernambucanos, de modo a identificar, descrever e analisar as peculiaridades dos nomes dos municípios. A partir dos pressupostos teórico-metodológicos encontrados em Dick (1989; 1994), que defende um modelo de classificação toponímica composto por taxes de natureza física e antropocultural, foram construídas até o momento 10 cartogramas que organizaram os topônimos com a mesma motivação. Percebeu-se, ao fim da análise, que a maioria dos nomes dos municípios se enquadra no grupo dos fitotopônimos, ou seja, aludem à dimensão de nomes referentes a vegetais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edmilson José de Sá, Centro de Ensino Superior de Arcoverde

Doutor de Letras (UFPB); Pós-Doutor em Letras (UFPA).

Referências

ANDRADE, M. C. de O. Pernambuco: cinco séculos de colonização. João Pessoa, PB: Grafset, 2004.

ANTUNES, I. O léxico como componente fundamental da língua: implicações pedagógicas. In: COELHO, F. A.; SILVA, J. E. do N. Ensino de língua portuguesa: Teorias e práticas Rio de Janeiro: Editora, 2010.

ARAGÃO, M. do S. S. de. As relações língua, sociedade e cultura na linguagem popular do Ceará. Revista de Letras, v. 01, p. 96-102, 2013.

BACKHEUSER, E. Toponímia: suas regras, sua evolução. Revista Geográfica, Rio de Janeiro, v. IX-X, n. 25, 1952, p. 163-195.

BARBOSA, M. A. O léxico e a produção da cultura: elementos semânticos. I Encontro de Estudos Linguísticos de Assis. Anais. Assis; UNESP, 1993

BENJAMIN, R. Cultura pernambucana. São Paulo: Grafset, 2011.

BIDERMAN, M T. C. Fundamentos da Lexicologia. In: Teoria linguística: teoria lexical e linguística computacional. São Paulo: Martins Fontes, 2001. p. 99 – 155.

BORBA, F. da S. Introdução aos estudos lingüísticos. São Paulo: Cultrix, 1984.

CÂMARA Jr., J. M. Estrutura da língua portuguesa. 15ª ed. Petrópolis: Vozes, 1985

CARVALHO, S. Paisagens e história de Pernambuco. São Paulo: Editora Habra, 1999.

CAVALCANTI, C. B. Os pioneirismos de Pernambuco. Recife: Edições Bagaço, 2009.

DAUZAT, A. Les noms de lieux: origine et évolution. Paris: Librairie Delagrave, 1926.

DICK, M V. P. A. Toponímia e antroponímia no Brasil. Coletânea de Estudos. 2ª ed. São Paulo: USP, 1989.

DICK, M V. P. A. Toponímia e Antroponímia no Brasil. Coletânea de estudos. 3ª ed. São Paulo: USP, 1992. DOI https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i56p180-191

DICK, M. V. P. A. Aspectos de Etnolingüística - A Toponímia carioca e paulistana - Contrastes e Confrontos. Revista USP, São Paulo, n. 56, p. 180-191, 2003.

DICK, M.V. P. A. A motivação toponímica e a realidade brasileira. São Paulo: Arquivo do Estado, 1994.

DUBOIS, J. et al. Dicionário de Linguística. São Paulo: Cultrix, 2007.

FERNANDES, I. X. Topónimos e gentílicos. Porto: Educação Nacional, 1941.

FERREIRA, A. B. de H. Dicionário Aurélio. 5.ª ed., Curitiba: Melhoramentos, 2010.

FONSECA, H: Pernambucânia: O que há nos nomes das nossas cidades. Recife: CEPE, 2015.

FRANÇA, A. M. de S. Atlas hodonímico de Tupanatinga (ATHOTUP). Monografia de Especialização (Língua Portuguesa e suas literaturas). Centro de Ensino Superior de Arcoverde - CESA, Arcoverde, 2010.

FRANCISQUINI, I. de A. O nome e o lugar: uma proposta de estudos toponímicos da microrregião de Paranaval. Dissertação de Mestrado. Londrina: UEL, 1998.

FREIRE, G. A Importância da Cana de Açúcar na Formação Histórica de Pernambuco. In: FREIRE, G. et al. Curso de história de Pernambuco. Recife: Oficinas Gráficas do Colégio e Curso Radier, 1975.

HOUAISS, A. et al. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

ISQUERDO, A. N. O fato lingüístico como recorte da realidade sócio-cultural. Tese de Doutorado. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, 1996.

JATOBÁ, L. As condições geológicas. In: ANDRADE, M. C.de. Geografia de Pernambuco: ambiente e sociedade. São Paulo: Grafset, 2009.

LIMA, J. A. S. Topônimos dos estados nordestinos brasileiros. Cadernos do CNLF, Vol. XV, Nº 5, t. 3. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2011.

LOPES, N. Novo dicionário bantu do Brasil. Rio de Janeiro: Pallas, 2012.

MARCATO, C. Nomi di persona, nomi di luogo: introduzione all’onomastica italiana. Bologna: il Mulino, 2009.

MARCENA, A. Dicionário da diversidade cultural pernambucana. 2ª edição. Recife: CEL, 2011.

NASCENTES, A. Bases para a elaboração do Atlas Linguístico do Brasil. Rio de Janeiro: MEC, Casa de Rui Barbosa, Vol. I, 1958.

PEREIRA DA COSTA, F. A. Anais pernambucanos, 1834 -1850. Recife: Fundarpe, 1985.

RAMOS, E. B. A toponímia das ruas de Ibimirim-PE. Monografia de Especialização (Língua Portuguesa e suas literaturas). Centro de Ensino Superior de Arcoverde - CESA, Arcoverde, 2019.

SALAZAR-QUIJADA, A. La Toponímia en Venezuela. Caracas: Universidad Central de Venezuela, 1985.

SAMPAIO, T. O tupi na geografia nacional. 5.ed. São Paulo: Editora Nacional,1987.

SARTORI, T. O. Ruas de minha cidade: um estudo hodonímico. Dissertação (Mestrado em Letras, Cultura e Regionalidade). Universidade de Caxias do Sul – UCS, Caxias do Sul, 2010.

SERAFIM, P. da S. Estudo toponímico de algumas ruas de Arcoverde (PE): taxionomias e cartogramas. Monografia de Especialização (Ensino de Língua Portuguesa). Universidade de Pernambuco, Petrolina, 2011.

SILVA, M. V. B. da. Análise dos antropônimos nas ruas de Buíque (PE). Monografia de Especialização (Ensino de Língua Portuguesa). Universidade de Pernambuco, Petrolina, 2012.

SILVA, S. C. da. Toponímia Afro-Indígena do Vale do Ipojuca. Dissertação de Mestrado (Letras). Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2014.

SILVA, V. M. da et al. Cartografia dos Topônimos de Pernambuco. Monografia de Especialização (Língua Portuguesa e suas literaturas). Centro de Ensino Superior de Arcoverde - CESA, Arcoverde, 2019.

SOUZA, E. R. R. de; CAVALCANTI, S. M. D. Descrição cartográfico-analítica dos topônimos do Ipanema Pernambucano. Monografia de Especialização (Língua Portuguesa e suas literaturas). Centro de Ensino Superior de Arcoverde - CESA, Arcoverde, 2017.

STEWART, G. R. A classification of place names. Names, Beckerley, v. II, n. 1, p. 1-13, mar. 1954. DOI https://doi.org/10.1179/nam.1954.2.1.1

THUN, H. Movilidad demongráfica y dimensión topodinámica. Los montevideanos em Rivera. In: RADTKE, E.; THUN, H. Neue Wege der romanischen Geolinguistik: Akten des Symposiums zur Empirischen Dialektologie (Heidelberg/Mainz 21.-24.10.1991) Kiel: Westensee-Vel, 1996.

VASCONCELLOS, J. L. Opúsculos: Onomatologia, vol. III. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1931.

Downloads

Publicado

24-09-2020

Como Citar

Sá, E. J. de. (2020). Projeto ATOEPE: gênese e estágio atual dos estudos sobre a toponímia pernambucana. Revista GTLex, 6(1), 83–102. https://doi.org/10.14393/Lex11-v6n1a2020-5