A taxonomia científica versus nome popular em sobre algumas novas espécies de répteis e plantas brasileiras: memória de Giuseppe Raddi

Autores

  • Benilde Socreppa Schultz Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex1-v1n1a2015-11

Palavras-chave:

Viajantes naturalistas, Fauna e flora brasileira, Taxonomia e neologia.

Resumo

A abertura dos portos nacionais às nações amigas, quando da vinda de Dom João permitiu a entrada de viajantes naturalistas ao Brasil, decididos a pesquisar a flora e a fauna brasileiras. Missões científicas, organizadas por diversos países europeus, tinham finalidades não somente técnico-científicas, mas também utilitaristas e foram de grande proveito para avaliar a potencialidade ecológica e econômica do país. Os viajantes naturalistas, ao descreverem as plantas e animais, além de colaborar com a história natural, davam a sua contribuição lexical. Giuseppe Raddi é considerado o maior naturalista italiano a coletar e classificar espécimes das nossas florestas. Conjuntamente à nomeação científica, em muitos casos, o naturalista italiano utilizava a denominação popular do item coletado, emprestando um item lexical português para a língua italiana.  Expomos aqui o resultado das pesquisas de Raddi, publicadas em um artigo no Jornal de Ciências de Modena, em 1820, Di alcune specie nuove di Rettili e piante Brasiliane (Sobre algumas novas espécies de répteis e plantas brasileiras) bem como refletir sobre o emprego dos neologismos que acompanham as denominações científicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15-02-2016

Como Citar

Schultz, B. S. (2016). A taxonomia científica versus nome popular em sobre algumas novas espécies de répteis e plantas brasileiras: memória de Giuseppe Raddi. Revista GTLex, 1(1), 184–202. https://doi.org/10.14393/Lex1-v1n1a2015-11