A variação fonética em configurações de mão da libras à luz do sistema de transcrição de Johnson e Liddell (2011, 2012)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v37n2-2021-15

Palavras-chave:

Libras, Variação, Fonética, Transcrição, Configuração de mão

Resumo

No sistema de notação de configurações de mão de Stokoe (1960), esse parâmetro é primariamente descrito em termos perceptuais e representado por símbolos holísticos. No sistema de Liddell e Johnson (1989), diferentemente, têm-se os primeiros passos rumo a uma análise articulatória e componencial da configuração de mão através da representação das posições do polegar separadamente dos demais dedos, ainda tratados como uma unidade fonológica. Na versão mais recente do sistema, reconhece-se, entretanto, a independência articulatória de cada dedo e oferecem-se recursos para registrar o estado de cada uma de suas articulações (JOHNSON; LIDDELL, 2011, 2012). Este artigo reporta resultados da análise da variação na realização de uma das variantes da configuração de mão em B, observadas em produções de 44 sinais da libras. Essas produções foram selecionadas do corpus de Xavier e Barbosa (2014), constituído por três realizações de 60 sinais dessa língua por 12 surdos, 6 homens e 6 mulheres, do estado de São Paulo. Os resultados obtidos mostram a ocorrência de variação inter e intra-sujeito, bem como estabilidade articulatória da maior parte dos traços que caracterizam a variante analisada em suas diferentes realizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisane Conceição Alecrim, Universidade Federal do Paraná

Licenciada em Letras Libras. Mestranda em letras na Universidade Federal do Paraná.

André Nogueira Xavier, Universidade Federal do Paraná

Doutor em Linguística. Professor de linguística de línguas de sinais no curso de licenciatura em letras libras da Universidade Federal do Paraná

Referências

ALECRIM, E. C.; XAVIER, A. N. Descrição da variação fonético-fonológica em Libras. In: SEMANA DE LETRAS DA UFPR, 19 2018, Curitiba. Cadernos da Semana de Letras. Curitiba: Setor de Ciências Humanas, 2017. v. 1. p. 41-53.

ALECRIM, E. C.; XAVIER, A. N. Análise da variação fonética da configuração de mão ‘A’ e ‘S’ em libras. In: FRANCISCO, G. da S. A. M.; SÁ, T. M de. (Org.). Professores de libras: Encontros II – estudos de língua brasileira de sinais para o nível superior. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2019a. s.p. DOI: https://doi.org/10.5216/rs.v5.62908

ALECRIM, E. C.; XAVIER. A. N. Comparação entre três sistemas de notação da configuração de mão com base em dados da libras. Revista Sinalizar, v. 4, s.p., 2019b. DOI: https://doi.org/10.5216/rs.v4.56832

ALECRIM, E. C.; XAVIER. A. N. Análise da variação fonética em configurações de mão da libras. Revista Sinalizar, v. 5, s.p., 2020. DOI: https://doi.org/10.5216/rs.v5.62908

BATTISON, R. Lexical borrowing in American Sign Language. Silver Spring, MD: Linstok, 1978.

BRENTARI, D. Handshape in sign language phonology. In: van OOSTENDORP, M.; EWEN, C.; HUME, E.; RICE, K. (Org.). The Blackwell companion to phonology, New York: Blackwells, 2011. p. 195-222. DOI: https://doi.org/10.1002/9781444335262.wbctp0009

FELIPE DE SOUZA, T. A. A relação sintático-semântica dos verbos e seus argumentos na língua brasileira de sinais (libras). 1998. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1998.

JOHNSON, R. E.; LIDDELL, S. K. Toward a phonetic representation of hand configuration: the thumb. Sign Language Studies, v. 12, n. 2, p. 316-333, 2012. DOI: https://doi.org/10.1353/sls.2011.0020

JOHNSON, R. E.; LIDDELL, S. K. Toward a phonetic representation of hand configuration: the fingers. Sign Language Studies, v. 12, n. 1, p. 5-45, 2011. DOI: https://doi.org/10.1353/sls.2011.0013

LIDDELL, S. K.; JOHNSON, R. E. American Sign Language: the phonological base. In: VALLI, C.; C. LUCAS (Org.). Linguistics of American Sign Language: an introduction. Washington, D.C.: Clerc Books/Gallaudet University Press. 1989-2000. p. 267-306.

SANTOS, T. S. Intensidade em libras. (em preparação)

STOKOE, W. Sign language structure: an outline of the visual communication systems of the American deaf”. Studies in Linguistics: Occasional Papers, 8, Washington, DC: Gallaudet University Press, 1960.

XAVIER, A. N.; BARBOSA, P. A. Diferentes pronúncias em uma língua não sonora? Um estudo da variação na produção de sinais da libras, D.E.L.T.A, v. 30, n. 2, p. 371-413, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-445069770367936329

XAVIER, A. N. Descrição fonético-fonológica dos sinais da língua brasileira de sinais (libras). 2006. 175f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

ALECRIM, E. C.; XAVIER, A. N. A variação fonética em configurações de mão da libras à luz do sistema de transcrição de Johnson e Liddell (2011, 2012). Letras & Letras, [S. l.], v. 37, n. 2, p. 292–323, 2021. DOI: 10.14393/LL63-v37n2-2021-15. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/57715. Acesso em: 11 ago. 2022.