Os insólitos corpos de Murilo Rubião

uma leitura de "Bárbara" e "As unhas"

Autores

  • Bruno Silva de Oliveira Instituto Federal Goiano - Campus Iporá | Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
  • Jamille da Silva Santos Universidade Federal de Uberlândia
  • Andréia Alencar de Oliveira Iguma Centro Universitário da Grande Dourados (UNIGRAN) | Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v34n2a2018-8

Palavras-chave:

Contos, Corpo, Insólito

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar a construção dos corpos em dois contos do escritor Murilo Rubião: "Bárbara" (1974) e "As unhas" (1994), uma vez que é por meio das manifestações insólitas de cunho biológico presentes nesses contos que podemos, tantas vezes, questionar as imposições sociais que circunscrevem nossa sociedade a partir da imposição de "corpos" padrões. A perspectiva de análise ganha relevância a partir da noção de corpo do filósofo Michel Foucault (2010), no que tange toda a construção social e psicológica. Nesse prisma, entendemos que as alterações corporais tecidas nos contos supracitados contribuem significativamente para pensar a ordem e desordem social a partir de padrões impostos que excluem e homogeneízam o que é heterogêneo. E é justamente nesse ponto que as manifestações insólitas ganham relevância, uma vez que por meio do irreal questionamos o real.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Silva de Oliveira, Instituto Federal Goiano - Campus Iporá | Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Professor efetivo da área de Letras do Instituto Federal Goiano - Campus Iporá. Aluno do Doutorado do Programa de Pós-graduação em Estudos Literários da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Membro do Grupo de Pesquisa em Espacialidades Artísticas (GPEA). Mestre em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal de Goiás/ Regional Catalão (UFG/RC). Licenciado em Letras

Jamille da Silva Santos, Universidade Federal de Uberlândia

Aluna regular do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários - nível Doutorado da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Mestre em Linguística pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Licenciada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Membro do grupo de pesquisa em Espacialidades Artísticas (GPEA/ CNPq) e do grupo de pesquisa: Estudos sobre o Discurso e o corpo (grudcorpo/CNPq).


Andréia Alencar de Oliveira Iguma, Centro Universitário da Grande Dourados (UNIGRAN) | Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Doutoranda em Estudos Literários pela Universidade Federal de Uberlândia - UFU; Mestre em Letras (Literatura e Práticas Culturais) pela Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD (2012); Graduada em Letras também pela UFGD (2007). Atua principalmente nos seguintes temas: críticas literárias, literatura e ensino, vertentes do insólito e literatura juvenil. Faz parte do comitê do PROLER na cidade de Dourados - MS. Professora do curso de Letras do Centro Universitário da Grande Dourados - UNIGRAN e colunista para o LITERATUDO.

Downloads

Publicado

2018-12-27

Como Citar

OLIVEIRA, B. S. de; SANTOS, J. da S.; OLIVEIRA IGUMA, A. A. de. Os insólitos corpos de Murilo Rubião: uma leitura de "Bárbara" e "As unhas". Letras & Letras, [S. l.], v. 34, n. 2, p. 124–136, 2018. DOI: 10.14393/LL63-v34n2a2018-8. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/39765. Acesso em: 5 dez. 2022.