Intentio operis, translator et lector empiricus

Sobre a interpretação no processo tradutório, tradutores e leitores empíricos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DLv17a2023-8

Palavras-chave:

Estudos da Tradução, Leitor-modelo, Intentio operis, Transcriação, Normas tradutórias

Resumo

O objetivo deste artigo é aplicar os conceitos de leitor-modelo e intentio operis propostos por Umberto Eco (2004, 2005, 2016) ao processo tradutório, relacionando-os à noção de tradução enquanto reescrita através do conceito de transcriação (CAMPOS, 2011). Mediante uma abordagem teórico-crítica que visa a consideração de tais teorias a partir da ótica da prática tradutória, debatemos de que maneira aspectos socioculturais influenciam tanto o processo interpretativo quanto o processo de (re)autoria necessários à recriação da intentio operis de um texto em um novo sistema semiótico. Por fim, destacamos a necessidade de desenvolvimento de estudos voltados para tradutores e leitores empíricos como forma de obtenção de dados que possibilitem o estabelecimento e o refinamento de normas tradutórias (CHESTERMAN, 1993, 2016; TOURY, 2012), almejando melhor compreender as forças externas que moldam a tradução enquanto processo e produto. Demonstramos, desse modo, a relevância de estudos empíricos voltados para os processos de interpretação e autoria no âmbito dos Estudos da Tradução.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Henrique de Paiva Gaudencio, UFCG

Graduado em Letras – Inglês pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino da Universidade Federal de Campina Grande (PPGLE-UFCG).

Sinara de Oliveira Branco, UFCG

Doutora em Linguística/Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora Adjunta da Universidade Federal de Campina Grande na Unidade Acadêmica de Letras (UAL-UFCG). Pesquisadora e orientadora no Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino da Universidade Federal de Campina Grande (PPGLE-UFCG).

Referências

BARTHES, R. O Rumor da Língua. Tradução de Mario Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BENJAMIN, W. A tarefa do tradutor, de Walter Benjamin: quatro traduções para o português. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2008.

BERNADINI, S. Think-aloud protocols in translation research. Target, Amsterdam, vol. 13, n. 2, p. 241-263, 2001. DOI https://doi.org/10.1075/target.13.2.03ber

CAMPOS, H de. Da Transcriação: poética e semiótica da operação tradutora. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2011.

CHESTERMAN, A. From Is to Ought: Laws, Norms and Strategies in Translation Studies. Target, Amsterdam, vol. 5, n. 1, p. 1-20, 1993. DOI https://doi.org/10.1075/target.5.1.02che

CHESTERMAN, A. Memes of Translation: The spread of ideas in translation theory. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, 2016. DOI https://doi.org/10.1075/btl.123

ECO, U. Lector in Fabula. São Paulo: Perspectiva, 2004.

ECO, U. Interpretação e Superinterpretação. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

ECO, U. Os Limites da Interpretação. Tradução de Pérola de Carvalho. 2 ed. São Paulo: Perspectiva, 2015.

GAMBIER, Y. Translation studies, audiovisual translation and reception. In: DI GIOVANNI, E; GAMBIER, Y. (ed.). Reception Studies and Audiovisual Translation. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, 2018. p. 43-66. DOI https://doi.org/10.1075/bct.95

GENTZLER, E. Teorias Contemporâneas da Tradução. Tradução de Marcos Malvezzi. 2. ed. rev. São Paulo: Madras, 2009.

JAKOBSON, R. Linguística e Comunicação. Tradução de Isidoro Blikstein e José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 2003.

MARTINS, M. As Contribuições de André Lefevere e Lawrence Venuti para a Teoria da Tradução. Cadernos de Letras, Rio de Janeiro, n. 27, p. 59-72, 2010.

PEIRCE, C. S. Semiótica. Tradução de José Teixeira Coelho Neto. 4 ed. São Paulo: Perspectiva, 2010.

PLAZA, J. Tradução Intersemiótica. São Paulo, Perspectiva: 2003.

TOURY, G. Descriptive Translation Studies – and beyond. 2 ed. Amsterdam: John Benjamins, 2012. DOI https://doi.org/10.1075/btl.100

VENUTI, L. A invisibilidade do tradutor. São Paulo: Editora Unesp, 2021.

WITCZAK, O.; JAWORSKI, R. CAT Tools Usability Test with Eye-Tracking and Key-Logging: Where Translation Studies Meets Natural Language Processing. Między Oryginałem a Przekładem, vol. 24, n. 3, p. 49-74, 2018. DOI https://doi.org/10.12797/MOaP.24.2018.41.03

ZANETTIN, F. Corpus Methods for Descriptive Translation Studies. Procedia – Social and Behavioral Sciences, vol. 95, p. 20-32, 2013. DOI https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2013.10.618

Downloads

Publicado

17.11.2022

Como Citar

GAUDENCIO, P. H. de P.; BRANCO, S. de O. Intentio operis, translator et lector empiricus: Sobre a interpretação no processo tradutório, tradutores e leitores empíricos. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 17, p. e1708, 2022. DOI: 10.14393/DLv17a2023-8. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/66810. Acesso em: 4 dez. 2022.