Ensino de alemão com foco decolonial

uma discussão sobre propostas didáticas para o projeto Zeitgeist

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DLv17a2023-9

Palavras-chave:

Linguística Aplicada Interdisciplinar, Decolonialidade, Ensino de Alemão como Língua Adicional, Elaboração de materiais didáticos

Resumo

Com base nos pressupostos da linguística aplicada indisciplinar e, a partir de uma perspectiva decolonial, o presente trabalho tem como objetivo principal apresentar e discutir propostas de atividades elaboradas para um material didático de ensino de alemão como língua adicional. Esse material vem sendo desenvolvido no âmbito de um projeto interinstitucional, o projeto Zeitgeist, que visa discutir e propor um livro didático de alemão específico para o contexto acadêmico. Nesse sentido, para além da descrição das atividades em si, também serão apresentados o contexto de produção do livro e seus princípios orientadores. A proposta deste trabalho, assim como do projeto Zeitgeist, é o de refletir e atuar de maneira prática sobre o ensino e aprendizagem e a pesquisa do alemão como língua adicional em uma perspectiva pluricêntrica, focando especialmente no contexto acadêmico de formação autodirigida de professoras e pesquisadoras de alemão no Brasil. A análise realizada aponta que as atividades enfatizam questões relevantes dentro de práticas sociais contextualizadas permitindo, portanto, que professoras e estudantes se reconheçam no material e possam desenvolver um aprendizado crítico em língua alemã.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, P. G. Memória: da fundação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras do Paraná. Educar em Revista, Curitiba, v. 7, n. 1. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/3xSwRWnd4DDZkbJ8RPN7JdG/?lang=pt. Acesso em: 16 fev. 2022.

AQUINO, M. A monitoria acadêmica no ensino de alemão como língua adicional em contexto universitário: reflexões sobre um projeto de formação crítica. Ensino & Pesquisa, Curitiba, v. 18, n. 2, p. 23-35, 2020. DOI https://doi.org/10.33871/23594381.2020.18.2.23-35

AQUINO, M.; CHERCHIGLIA, A. Didactic and non-didactic texts in the context of German as an additional language: a linguistic-quantitative analysis for the Zeitgeist project. Pandaemonium Germanicum, v. 24, p. 421-451, 2021. DOI https://doi.org/10.11606/1982-88372444421

AQUINO, M.; SCHMIDT, C.; FEITOSA, M. Estratégias de aprendizagem individual no ensino de alemão como língua adicional: um projeto de consultoria acadêmica. Revista do Gel, São Paulo (no prelo).

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf. Acesso em: 07 abr. 2022.

CANDAU, V. M. F. Educação e direitos humanos. Programa da Rede Brasileira de Direitos Humanos: Entrevista com Vera Lucia Candau. 2021 [Live]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=sO_YpjgvYTE&t=369s. Acesso em: 23 jan. 2022.

CAPUTO, A. C.; MELLO, H. A Industrialização Brasileira nos Anos de 1950: Uma Análise da Instrução 113 da SUMOC. Revista Estudos Econômicos, São Paulo, v. 39, n. 3, p. 513-538, JULHO-SETEMBRO, 2009. Disponível em:

https://www.scielo.br/j/ee/a/ZpgwjzqDRC9bT4YrFhfxcvC/?lang=pt. Acesso em: 07 abr. 2022. DOI https://doi.org/10.1590/S0101-41612009000300003

DAY, K. Ensino de língua estrangeira no Brasil: entre a escolha obrigatória e a obrigatoriedade voluntária. Revista Escrita. Número 15, 2012. DOI https://doi.org/10.17771/PUCRio.escrita.20850

DENZIN, N. K; LINCOLN, Y. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FAGUNDES, I. Z. Z.; AMADO, G. T. R. ELLA – uma proposta decolonial de ensino-aprendizagem de língua inglesa a distância. In: Anais do CIET: EnPED:2020 - (Congresso Internacional de Educação e Tecnologias | Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância), São Carlos. 2020.

FANON, F. Os condenados da terra. 2.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17ª edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1997.

HOOKS, B. Teaching to transgress: education as the practice of freedom. New York: Routledge. 1994. DOI https://doi.org/10.3366/para.1994.17.3.270

GONDAR, A.; FERREIRA, M. A. V. Desafios do uso do livro didático no ensino superior: uma análise empírica exploratória da recepção de aspectos de vocabulário, gramática e exercícios do livro DaF kompakt. Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v. 22, n. 37, p. 302-330, 2019. DOI https://doi.org/10.11606/1982-88372237302

GRILLI, M. Por uma educação linguística Translíngue e Decolonial: questões para o ensino de alemão. Revista Iniciação & Formação Docente. V. 7 n. 4, 2020. DOI https://doi.org/10.18554/ifd.v7i4.5200

GROSSENBACHER, B.; SAUER, E.; WOLFF, D. Inhaltsorientierung: Ein Grundkonzept des modernen Fremdsprachenunterrichts und seine Umsetzung im Franzsösichlehrmittel Mille feuilles. Dans: Babylonia 01/12, 2012. p. 17-21

KUMARAVADIVELU, B. Language Teacher Education for A Global Society: A Modular Model for Knowing, Analyzing, Recognizing, Doing, and Seeing. New York, NY: Routledge, 2012. DOI https://doi.org/10.4324/9780203832530

LEFFA, V. J. O Ensino de Línguas estrangeiras no contexto nacional. Contexturas, APLIESP, n. 4, p. 13-24, 1999.

LEFFA, V. J. Se mundo o mundo muda: Ensino de línguas sob a perspectiva do emergentismo. Calidoscópio. São Leopoldo: UNISINOS, v. 7, n.1, p. 24-29, 2009. DOI https://doi.org/10.4013/cld.2009.71.03

MIGNOLO, W. D. Histórias locais, projetos globais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

MOITA LOPES, L. P. Uma lingüística aplicada mestiça e ideológica: interrogando o campo como lingüista aplicado. In: MOITA LOPES, L. P. (org.). Por uma Lingüística Aplicada Indisciplinar. Parábola Editorial, São Paulo, 2006. p. 13-44.

PENNYCOOK, A. Critical applied linguistics: A critical introduction. Routledge: London, 2001. DOI https://doi.org/10.4324/9781410600790

PENNYCOOK, A. Uma lingüística aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, L. P. (org.). Por uma Lingüística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006. p. 67-84.

PENNYCOOK, A. A lingüística aplicada dos anos 90: em defesa de uma abordagem crítica. In: SIGNORINI, I.; CAVALCANTI, M. C. (org.). Lingüística aplicada e transdisciplinaridade. Campinas: Mercado das Letras, 2007. p. 23-49.

PUH, M. “Tudo junto e misturado?”: as contribuições e os limites do multiculturalismo no ensino de línguas. Revista El Toldo de Astier: propuestas y estudios sobre enseñanza de la lengua y la literatura, La Plata, Universidad Nacional de La Plata, ano 11, n. 20-21, p. 415-432, 2020.

QUIJANO, A. Colonialidad del poder y clasificación social. Journal of world-systems research, v. 11, n. 2, p. 342-386, 2000. DOI https://doi.org/10.5195/jwsr.2000.228

RAJAGOPALAN, K. Repensar o papel da Lingüística Aplicada. In: MOITA LOPES, L. P. (org.). Por uma Lingüística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006. p. 149-168.

SAMPAIO, I. da H.; PUH, M. Da teoria para a prática: propostas formativas interculturais e decoloniais para quem ensina(rá) línguas no Brasil. In: ALMEIDA, A. A.; BATISTA, A. S.; KUPSKE, F.; ZOGHBI, D. (org.). Língua em movimento: estudos em linguagem e interação. Salvador: EDUFBA, 2020. p.107-124.

TAVARES, M.; GOMES, S.. Multiculturalismo, interculturalismo e decolonialidade: prolegômenos a uma pedagogia decolonial. Dialogia, São Paulo, n. 29, p. 47-68, mai./ago. 2018. DOI https://doi.org/10.5585/dialogia.N29.8646

UPHOFF, D. Uma pequena história do ensino de alemão no Brasil. In: BOHUNOVSKY, R. (org.). Ensinar alemão no Brasil: contextos e conteúdos. Curitiba: Editora da UFPR, 2011. p. 13-30.

UPHOFF, D. O lugar da criticidade na formação inicial de professores de alemão. In: FERRAZ, D. de M.; KAWACHI-FERRAZ, C. J. (org.). Educação Linguística em línguas estrangeiras. 1ª ed. Campinas: Pontes Editores, 2018. p. 231-247.

URZÊDA-FREITAS, M. T. Educando para transgredir: reflexões sobre o ensino crítico de línguas estrangeiras/inglês. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 51, n. 1., p. 77-98, 2012. DOI https://doi.org/10.1590/S0103-18132012000100005

WALSH, C. Interculturalidade Crítica e Pedagogia Decolonial: in-surgir, re-existir e re-viver. In: CANDAU, V. (org.). Educação Intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de Janeiro: 7Letras, 2009. 227 p.

VOERKEL, P. Professores de alemão no Brasil - entre mitos e realidade. In: EMMEL, I.; FRIESEN BLUME, R.; HEIDERMANN, W. L. (org.). Anais do 2° Congresso da Associação Brasileira de Estudos Germanísticos. Florianópolis: 2017. p. 306-314.

Downloads

Publicado

23.11.2022

Como Citar

AQUINO, M.; FERREIRA, M. Ensino de alemão com foco decolonial: uma discussão sobre propostas didáticas para o projeto Zeitgeist. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 17, p. e1709, 2022. DOI: 10.14393/DLv17a2023-9. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/66610. Acesso em: 9 dez. 2022.