Modalização e argumentação

a sobremodalização, a remodalização e a comodalização nos livros de autoajuda do Papa Francisco

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL49-v16n1a2022-4

Palavras-chave:

Modalidade, Argumentação, Persuasão, Discurso de Autoajuda

Resumo

Neste trabalho, objetivamos descrever e analisar as diferentes modalizações (epistêmica, deôntica, volitiva e facultativa) e seus usos distintivos (sobremodalização, remodalização e comodalização) como estratégias argumentativas nos livros de autoajuda do Papa Francisco. Para isso, recorremos à tipologia das modalidades de Hengeveld (2004) e aos trabalhos relativos aos usos distintivos da modalização, no caso, Corbari (2016), Valentim (2017) e Gasparini-Bastos e Brunelli (2019). Após a análise dos livros, concluímos que as diferentes modalizações servem para confirmar informações pragmáticas já compartilhadas entre o líder religioso e os fiéis (epistêmica), instaurar avaliações subjetivas de regras e normas de conduta (deôntica), expressar capacidades e habilidades com o poder do divino (facultativa) e manifestar o que é desejável por parte da divindade (volitiva). Em relação aos usos distintivos, a comodalização é empregada para asseverar ou mitigar os conteúdos modais engendrados no discurso, enquanto a sobremodalização busca sobrepor a subjetivação de um conteúdo modal sobre o outro. Por seu lado, a remodalização pretende asseverar os valores modais expressos, mostrando a necessidade de concretização do evento descrito pelos predicados que estão sob a incidência do modalizador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Silva Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Doutorando em Linguística pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará (PPGL/UFC). Professor Assistente de Língua Espanhola da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Referências

ADELINO, F. J. S. Na trilha dos modalizadores: perscrutando os jogos argumentativos no gênero entrevista de seleção de emprego. 2016. 334f. Tese (Doutorado em Linguística) - Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2016.

ADELINO, F. J. S.; NASCIMENTO, E. P. A modalização epistêmica asseverativa na construção argumentativa de entrevistas de seleção de emprego. Revista Entrepalavras, v. 9, n. 1, 2019, p. 287-302. Disponível em: http://www.entrepalavras.ufc.br/revista/index.php/Revista/article/view/1345/580. Acesso em: 10 jun. 2020. DOI https://doi.org/10.22168/2237-6321-11345

BERGOGLIO, J. M.; SKORKA, A.; FIGUEROA, M. A Dignidade. São Paulo: Editora Saraiva-Benvirá, 2019.

BERGOGLIO, J. M.; SKORKA, A.; FIGUEROA, M. A Oração. São Paulo: Editora Saraiva-Benvirá, 2019.

BERGOGLIO, J. M.; SKORKA, A.; FIGUEROA, M. A Solidariedade. São Paulo: Editora Saraiva-Benvirá, 2019.

BERGOGLIO, J. M.; SKORKA, A.; FIGUEROA, M. Razão e Fé. São Paulo: Editora Saraiva-Benvirá, 2019.

BESSA, D. B. Literatura de autoajuda religiosa. Revista Teleológica, v. 1, n. 5, p. 56-64, 2016. Disponível em: http://www.teologica.net/revista/index.php/teologicaonline/article/view/105/111. Acesso em: 10 jun. 2020.

CASTILHO, A. T. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Editora Contexto, 2010. DOI https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v13i1p7-16

CORBARI, A. T. Modalizadores: a negociação em artigo de opinião. Revista Linguagem em (Dis)curso, v. 16, n. 1, p. 117-131, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ld/v16n1/1518-7632-ld-16-01-00117.pdf. Acesso em: 10 jun. 2020. DOI https://doi.org/10.1590/1982-4017-160106-3715

GASPARINI-BASTOS, S. D.; BRUNELLI, A. F. A coocorrência de elementos modais em obras de autoajuda dirigidas a mulheres. Revista Estudos Linguísticos, v. 48, n. 1, p. 262-275, 2019. Disponível em: https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/2280/1489. Acesso em: 10 jun. 2020. DOI https://doi.org/10.21165/el.v48i1.2280

GIVÓN, T. Sintax. An introduction. v.1. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 2001.

HALLIDAY, M. A. K. Functional diversity in language as seem from a consideration of modality and mood in English. Foundations of Language, v.1, n. 6, p. 322- 361, 1970.

HENGEVELD, K. Illocution, mood and modality in a functional grammar of Spanish. Journal of Semantics, v. 6, n. 1, p. 227-269, 1988. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/31400482_Illocution_mood_and_modality_in_a_functional_grammar_of_Spanish. Acesso em: 10 jun. 2020. DOI https://doi.org/10.1093/jos/6.1.227

HENGEVELD, K. Illocution, mood, and modality. In: BOOIJ, G.; LEHMANN, C.; MUGDAN, J. Morphology: a handbook on inflection and word formation. Berlin: Mouton de Gruyter, 2004, p.1190-1201. DOI https://doi.org/10.1515/9783110172782.2.14.1190

HENGEVELD, K. The grammaticalization of tense and aspect. In: HEINE, B.; NARROG, H. (org.). The Oxford Handbook of Grammaticalization. Oxford, Oxford University Press, 2011, p. 580–594. DOI https://doi.org/10.1093/oxfordhb/9780199586783.013.0047

HENGEVELD, K.; HATTNHER, M. M. D. Four types of evidentiality in the native languages of Brazil. Linguistics, v. 53, n. 3, p. 479 – 524, 2015. Disponível em: http://www.degruyter.com/view/j/ling.2015.53.issue-3/ling-2015-0010/ling-2015-0010.xml. Acesso em: 10 jun. 2020.

KOCH, I. G. V. Argumentação e linguagem. São Paulo: Editora Cortez, 1993.

LOPES, M. F. S. Uma análise funcionalista da modalidade deôntica na coluna Confronto das Ideias do jornal “O Povo”. 2015. 147f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.

LYONS, J. Semantics. v. 2. Cambridge: Cambridge University Press, 1977.

NOGUEIRA, M. T.; LOPES, M. F. V. Modo e modalidade: gramática, discurso e interação. Fortaleza: Edições UFC, 2011.

OLIVEIRA, A. S. Modalidade volitiva em língua espanhola nos discursos do Papa Francisco em viagem apostólica. 2017. 310f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.

OLIVEIRA, A. S. Modalidade volitiva e construção argumentativa nos discursos de Donald Trump em língua espanhola. EID&A – Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, v. 1, n. 20, p. 51-80, 2020. Disponível em: https://periodicos.uesc.br/index.php/eidea/article/view/2612/1932. Acesso em: 10 jun. 2020. DOI https://doi.org/10.17648/eidea-20-2612

PALMER, F. R. Mood and modality. Cambridge, Cambridge University Press, 1986.

PARRET, H. Enunciação e Pragmática. Campinas: Editora da UNICAMP, 1988.

VALENTIM, H. T. Quando a reformulação é uma remodalização com efeito de atenuação. Revista Normas, v. 7, n. 1, p. 126-134, 2017. Disponível em: https://ojs.uv.es/index.php/normas/article/view/10428/9706. Acesso em: 10 jun. 2020. DOI https://doi.org/10.7203/Normas.7.10428

Downloads

Publicado

06-01-2022

Como Citar

OLIVEIRA, A. S. Modalização e argumentação: a sobremodalização, a remodalização e a comodalização nos livros de autoajuda do Papa Francisco. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 93–123, 2022. DOI: 10.14393/DL49-v16n1a2022-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/58720. Acesso em: 8 ago. 2022.