Gêneros do Discurso no Ensino de Português como Língua Adicional

reflexões sobre a esfera discursiva acadêmica

Autores

  • Lucas Zambrano Rollsing Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades
  • Rafael Padilha Ferreira Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL34-v12n2a2018-4

Palavras-chave:

Letramento acadêmico, Gêneros do discurso, Esfera discursiva, Competência genérica, Português como língua adicional

Resumo

Este trabalho foca suas atenções no ensino de Português como Língua Adicional (PLA) aos alunos em intercâmbio acadêmico no Brasil. Vê-se, nos estudos dos gêneros do discurso, possíveis contribuições para tornar o processo de ensino-aprendizagem de língua portuguesa mais significativo, munindo os alunos das ferramentas necessárias para inserirem-se plenamente na comunidade acadêmica de que participam. Por meio de uma revisão bibliográfica, busca-se, nos conceitos de letramento acadêmico (STREET, 2014; 2010; FISHER, 2008; ARAÚJO, 2004), de competência genérica (BAKHTIN, 2016; MAINGUENEAU, 2013), de esfera discursiva (BAKHTIN, 2016; MARCUSCHI, 2008; BIBER, 2006) e de gêneros do discurso (BAKHTIN, 2016; SANTOS; BAUMVOL, 2012; MARCUSCHI, 2008; BIBER, 2006), amparo teórico para convidar o docente de PLA a refletir sobre possíveis aplicações desses conceitos à sua prática pedagógica, a fim de promover o letramento acadêmico do aluno estrangeiro na produção de textos (orais e escritos) pertencentes aos gêneros da esfera discursiva acadêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Zambrano Rollsing, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Linguística da Escola de Humanidades da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Bolsista Capes/PROEX.

Rafael Padilha Ferreira, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Linguística da Escola de Humanidades da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Bolsista CNPq.

Referências

ARAÚJO, A. D. Gêneros textuais acadêmicos: reflexões sobre metodologias de investigação. Revista de Letras, v. 1/2, n. 26, 21-27, 2004.

ASKEHAVE, I; SWALES, J. M. Genre Identification and Communicative Purpose: a Problem and a Possible Solution. Applied Linguistics, v. 22, n. 2, p. 195-212, 2001. https://doi.org/10.1093/applin/22.2.195

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. Org., trad., posfácio e notas de Paulo Bezerra. Notas da edição russa de Serguei Botcharov. Editora 34, Rio de Janeiro, 2016.

BIBER, D. University Language: a corpus-based study of spoken and written registers. Philadelphia, John Benjamins, 2006. https://doi.org/10.1075/scl.23

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Manual de sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2014. 189 p.

BRONCKART, J. P. Atividades de linguagem, textos e discursos. Por um interacionismo sócio-discursivo. Trad.: A. R. Machado e P. Cunha. EDUC, São Paulo, 1999.

DILLI, C.; SCHOFFEN, J. R.; SCHLATTER, M. Parâmetros para a avaliação de produção escrita orientados pela noção de gênero do discurso. In: SCHOFFEN, J. R. et al (Orgs.). Português como Língua Adicional: reflexões para a prática docente. Porto Alegre: Bem Brasil, 2012.

FARACO, C. A. Linguagem e diálogo: as idéias linguísticas do círculo de Bakhtin. Curitiba: Criar Edições, 2003.

FISCHER, A. Letramento acadêmico: uma perspectiva portuguesa. Acta Scientiarum. Language and Culture, Maringá, v. 30, n. 2, 177-187, 2008.

MAINGUENEAU, D. Análise de textos de comunicação. Trad. Maria C. Souza-e-Silva e Décio Rocha. 6.ed., Cortez, São Paulo, 2013.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. Parábola Editorial, São Paulo, 2008.

MOLSING, K.; PERNA, C. The pronominal use of –se in Brazilian Portuguese academic writing. No prelo.

MORO, B. I. Advérbios de posicionamento em textos escritos de português acadêmico. 2014. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

PRESOTTO, L. Metáforas no português acadêmico. 2016. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

SANTANA, L. A. A Variação Pronominal Tu/Você e Nós/A gente em Livros Didáticos de Português como Língua Estrangeira. 2016. 107 f. Dissertação (Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa) - Faculdade de Ciências e Letras (Campus Araraquara), Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2016.

SANTOS, L. G. dos; BAUMVOL, L. K. Gêneros discursivos em uma sequência didática para o ensino de português como língua adicional. In: SCHOFFEN, J. R. et al (Orgs.). Português como Língua Adicional: reflexões para a prática docente. Porto Alegre: Bem Brasil, 2012.

SANTOS, S. N. dos. 2015. Uma análise dos substantivos como marcadores de posicionamento em artigos acadêmicos em língua portuguesa. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

SCHEPERS, B. M. Transferência de estratégias de hedging: um estudo contrastivo entre o português brasileiro e o inglês. 2016. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

SCHLATTER, M.; GARCEZ, P. Referenciais Curriculares para o Ensino de Língua Espanhola e de Língua Inglesa. Rio Grande do Sul: Secretaria de Educação do Estado, 2009.

SILVA, K. V.; SILVA, M. H. Dicionário de conceitos históricos. São Paulo: Contexto, 2006.

SOBRAL, A. Do Dialogismo ao Gênero: as bases do pensamento do círculo de Bakhtin. Campinas: Mercado de Letras, 2009.

STREET, B. Academic Literacies approaches to Genre? Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 10, n. 2, 347-361, 2010. https://doi.org/10.1590/S1984-63982010000200004

¬______. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. Marcos Bagno. - 1. ed., Parábola Editorial, São Paulo, 2014.

SUN, Y. 2015. Hedgings em textos acadêmicos: uma perspectiva de aquisição de L3. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

SWALES, J. Genre analysis: English in academic and research settings. Great Britain: Cambridge University Press, 1990.

Downloads

Publicado

29-06-2018

Como Citar

ROLLSING, L. Z.; FERREIRA, R. P. Gêneros do Discurso no Ensino de Português como Língua Adicional: reflexões sobre a esfera discursiva acadêmica. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 839–856, 2018. DOI: 10.14393/DL34-v12n2a2018-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/39953. Acesso em: 11 ago. 2022.